2 de agosto de 2012

Resenha da Mónica: Amor Proibido - Carole Mortimer

Tempo de leitura:

(Título original: Living Together
Editora: Nova Cultural)


— Você está apenas meio-viva, Helen — dizia Leon Masters —, e eu juro que vou derreter esse seu gelo. 

Era verdade. Desde a terrível noite de sua lua-de-mel, quando foi barbaramente violentada pelo marido bêbado, Helen tinha pavor dos homens. Mesmo agora, já viúva, agarrava-se à redoma que havia construído para si mesma como a uma tábua de salvação. E, por mais que Leon a tentasse, Helen tinha medo de arriscar. Sabia que era melhor deixar que seus fantasmas continuassem adormecidos. O que ela não sabia era como resistir, por mais um dia que fosse, à atração de Leon. 




Resenha:


Que livro horroroso. Ele deveria se chamar Livro Proibido e não Amor Proibido. A escrita é terrível. Não sei se foi mutilado, se foi mal traduzido. O facto é que é duro aguentar os diálogos mais idiotas que já li na minha vida. Sem falar nos erros temporais. Primeiro ela perdeu o bebé quando soube que o marido morreu, depois ela diz que o marido bateu nela quando ela perdeu o bebê. Bem ou foi um fenômeno de ressurreição ou a autora estava tão "envolvida" com o trabalho dela que se atrapalhou.

Outro detalhe: ela havia sido violentada pelo marido na noite de núpcias. Quando finalmente ela deixa o mocinho tocá-la e ele a está beijando os seios ele pergunta se o marido a fez se sentir assim. Pelo amor de Deus ela foi violentada hello!! kkkk... Suave como um cactus kkkkkkkk

E que mocinha é essa pelo amor de Deus! O marido a violenta e no dia seguinte ela ainda participa de uma festa que ele dá em casa para aliviar o clima e sabe o que ele fez? Mandou um amigo dele até o quarto dela enquanto ele estava com outra. Será que quando foi violentada não percebeu que o marido era um canalha, precisava de mais alguma mostra?!


Mónica 

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

4 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Mónica!! Esse livro me pareceu tão sem sentido que ri.
    Vou me lembrar dele pra ficar longe rsrsrs

    Bjosss

    ResponderExcluir
  2. Mon Dieu!

    Que livro espantoso, quando o ver passarei longe.

    Obrigada pelo aviso.

    ResponderExcluir
  3. hã?
    não entendi nada! sinceramente eu gostaria de saber se a história tem um mocinho... anda não econtrei! rsrsrsrsrs
    "Suave como um cactus" adorei a resenha!
    xeru
    k-rol

    ResponderExcluir
  4. Renata, esse livro é surreal kkkk...não queria acreditar,mas enfim,dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco então estava na minha fase mais maluca kkkkkkk

    Jaqueline,passa longe não!!! vai perder a oportunidade de colocar fogo nele?! kkkkkkkkkk


    K-rol,"suave como um cactus" kkkkktambém achei bunitinhu kkkkkk...Pois acho que o mocinho foi abduzido por um das organizações tabajara ,é a única explicação kkkkkkkk


    muito obrigado meninas pelos comentários.


    bjs grande

    Mónica

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo