16 de setembro de 2019

Contos Estranhos - Bram Stoker

Literatura Irlandesa 
Título Original: Dracula's guest and other weird stories
Editora: Nova Fronteira
Edição de: 2018
Páginas: 168


Sinopse: Reconhecido como um dos maiores mestres do terror da literatura mundial, Bram Stoker produziu textos dos mais variados gêneros. Este volume traz a antologia Contos estranhos, publicada pela viúva Florence Stoker em 1914, dois anos após a morte do escritor. A obra reúne nove histórias curtas, entre as quais a famosa “O hóspede de Drácula”. Com enredos tão distintos quanto surpreendentes, os contos que compõem esta coletânea são ao mesmo tempo uma prova da genialidade do autor e uma nova porta de entrada para os leitores que já conhecem a história do vampiro mais ilustre da literatura.



Se tem uma coisa que vocês não veem muito por aqui são histórias de terror.rsrs Eu sou fã de suspense, sobretudo o psicológico, mas nunca gostei de obras de terror, que me provocam pesadelos quando não me impedem de dormir. É um gênero do qual acredito que nunca serei fã. Todavia, adquiri alguns livros do Bram Stoker (um box com três volumes), bem como uma coletânea de contos do Edgar Allan Poe e pensei: "Por que não arriscar? Quem sabe consigo lê-los sem morrer do coração..." 

Em fevereiro li uma das histórias presentes em Contos Estranhos (A Profecia da cigana, comentada neste post aqui). Em março li A índia (comentada aqui), que me deixou aterrorizada. Depois não me atrevi a continuar lendo o livro.kkkkkkkkkk... Só agora em setembro resolvi criar coragem e ler as sete histórias restantes. Nesta resenha juntarei os comentários que fiz sobre os dois contos mencionados acima e falarei dos demais contos.

9 de setembro de 2019

Negrinha - Monteiro Lobato


Literatura Brasileira
Editora: Globo, selo Biblioteca Azul
Edição de: 2009
Páginas: 212
Coletânea de contos
Onde comprar: Amazon


Sinopse: Negrinha é um livro de contos realistas lançado em 1920, com personagens que representam a população brasileira das décadas iniciais do século XX. Nele Lobato revela uma terra onde o poder é exercido arbitrariamente pelos coronéis e expõe a mentalidade escravocrata que persiste décadas depois da Abolição. Estão retratados em suas páginas tipos tão diversos quanto um fazendeiro falido, o jardineiro que faz poesia das flores, a viúva cruel, uma criança negra maltratada e o gramático ranzinza.




Quem estiver acompanhando meus posts mensais sobre os contos que estou lendo desde o início do ano, vai perceber que esta resenha na verdade é apenas uma junção de todos os comentários que já fiz sobre cada conto presente na coletânea Negrinha, do Monteiro Lobato. Ao todo são 17 contos presentes neste livro. Três deles eu li em 2017 e fiz resenhas individuais, portanto deixarei o link de cada uma delas neste post. Os outros quatorze contos eu li agora em 2019 e reunirei aqui todos os comentários que fiz mensalmente. :)

Link das resenhas dos três primeiros contos, lidos em 2017:

Negrinha (conto extremamente forte)

Todos os meus comentários sobre os demais contos: 

Ao ler Bugio Moqueado fiquei com os braços arrepiados de verdadeiro pavor. E o pior foi que li à noite, o que é quase certo resultar em pesadelo.

Não vou entregar nenhum segredo da história. Só digo que o personagem é um "ouvinte". Ele está participando de um jogo, então acaba por se distrair ouvindo uma conversa entre uns senhores que estavam próximos dele. Curioso para saber como a história da qual o homem estava recordando terminaria, ele se deixou levar e mal prestava atenção no jogo. Envolvido, nem percebeu o rumo que a história tomava e foi pego de surpresa como aconteceu comigo, quando o final chegou e foi digno de um filme de terror.

6 de setembro de 2019

O Sol na Cabeça - Geovani Martins


Literatura Brasileira
Editora: Companhia das Letras
Edição de: 2018
Páginas: 120
Onde comprar: Amazon


Sinopse: O sol carioca esquenta a prosa destes treze contos que retratam a infância e a adolescência de moradores de favelas como jamais foram retratados. O prazer dos banhos de mar, as brincadeiras de rua, a adrenalina da pichação, as paqueras e o barato do baseado são modulados tanto pela violência da polícia e do tráfico quanto pela discriminação racial indisfarçável no olhar da classe média amedrontada. Com a estreia de Geovani Martins, a literatura brasileira encontra a voz de seu novo realismo. 



Não sei nem por onde começar a falar de O Sol na Cabeça, livro que reúne treze impactantes contos do autor Geovani Martins, nascido em Bangu, que morou em outras comunidades do Rio de Janeiro, como a Rocinha, antes de ir para o Vidigal. Nesta coletânea, aborda assuntos que geralmente ficam à margem da literatura, mas que se propôs a mostrar, para cutucar a sociedade, incomodar até o ponto que não pudéssemos mais ignorar. Aqui temos a realidade nua e crua mesclada com a ficção. Temos situações das quais parte da sociedade sequer ouviu falar.. Uma realidade de desespero, onde já se parece nascer condenado. 

"Esses polícia é tudo covarde mermo, dando baque no feriado, com geral na rua, em tempo de acertar uma criança."

Eu já tinha ouvido falar bastante do livro, tanto li resenhas positivas quanto negativas. E foi a proposta da obra que me fez desejar conhecê-la. Porque puxando pela memória não conseguia recordar algum momento em que tenha lido algo semelhante. Ainda que tenha lido alguns livros que falam de situações de miserabilidade, violência e outras realidades tão angustiantes, nunca tinha passado por um livro que falasse das comunidades, do tráfico de drogas, das crianças e adolescentes que crescem nesse ambiente, sem oportunidades, sem esperanças, mas que ainda assim querem acreditar em alguma coisa... ainda assim brincam na rua, mesmo com o risco da troca de tiros a qualquer momento... que vão à praia para tomar banho e curtir o momento de lazer, como qualquer carioca, mas que acabam sendo vistos com desprezo pelos "playboys" e abordados pela polícia.... Enfim... São tantas situações mostradas pelo autor que sentimos um nó na garganta e uma sensação de vazio quando terminamos de ler. 

4 de setembro de 2019

Contos Escolhidos - Machado de Assis

Literatura Brasileira
Editora: Martin Claret
Edição de: 2012
Páginas: 375

Sinopse: Machado de Assis é um dos mais renomados contistas da literatura brasileira. Transitando entre os diversos tipos de contos - do tradicional ao moderno -, seus textos são originais e complexos. São contos cheios de acontecimentos intensos - quase sempre envolvidos num clima de tensão -, repletos de personagens polêmicos e ambíguos e de jogos e armadilhas textuais que induzem à dúvida, relativizando a maior parte das ideias e levando o leitor a refletir sobre suas "certezas". Contos escolhidos é uma seleção baseada em antologias preparadas pelo próprio autor, com seus contos mais marcantes, quais sejam: Missa do galo, Conto de escola, Cantiga de esponsais, Teoria do medalhão, O espelho, A cartomante, A causa secreta, Mariana, O enfermeiro, Um cão de lata ao rabo, A chinela turca, Uns braços, Frei Simão, Aurora sem dia, O segredo do bonzo, Verba testamentária, Conto alexandrino, Noite de almirante, Ex cathedra, O caso da vara, Uma noite, Maria Cora, Um homem célebre, Miss Dollar, Marcha fúnebre, Pai contra mãe, Capítulo dos chapéus, Uma senhora, Dona Paula, A igreja do diabo. 



Olá, queridos!

Quem estiver acompanhando meus posts mensais sobre os contos que estou lendo desde o início do ano, vai perceber que esta resenha na verdade é apenas uma junção de todos os comentários que já fiz sobre cada conto presente na coletânea Contos Escolhidos, do Machado de Assis. Ao todo são 30 contos presentes neste livro. Dez deles eu li em 2017 e fiz resenhas individuais, portanto deixarei o link de cada uma delas neste post. Os outros vinte contos eu li agora em 2019 e reunirei aqui todos os comentários que fiz mensalmente. :)

Link das resenhas dos 10 primeiros contos, lidos em 2017:


Todos os meus comentários sobre os demais contos:

Em A Chinela Turca temos um jovem numa noite normal da vida de um moço abastado, cuja maior preocupação é encontrar sua amada num baile. Só que no momento em que ele estava se preparando para sair um amigo de seu pai o visitou, meio que o intimando a ler seu manuscrito, vez que o indivíduo resolvera se tornar escritor de drama. Claro que ele poderia ter dito não, que estava de saída, mas o outro com sua lábia o convenceu a se atrasar para o compromisso. Você pensa que nada de mais vai acontecer. Que é apenas um conto do cotidiano. Só que as coisas dão tal reviravolta que no final ficamos de queixo caído. Pelo menos, eu fiquei.kkkkkkk.. Simplesmente chocada e encantada pela forma como o autor desenvolveu o conto para segurar a surpresa que seria o final. Foi um dos melhores contos que já li do meu amado Machado. 

2 de setembro de 2019

Tardes de Maio - Carmen O.

Literatura Brasileira
Editora: Novo Século
Edição de: 2017
Páginas: 240
Selo: Talentos da Literatura Brasileira

Sinopse: Tardes de Maio é um livro que conta de maneira suave, seja "cronificando" ou poetizando, a vida/morte das pessoas nos seus momentos mais caros. O que poderia ser mais significativo do que os instantes finais daqueles que amamos? Como você se imaginaria vivenciando um processo de entrega e desprendimento da vida? O que mudaria para você? Sua vida faria mais sentido? São essas questões que nos permeiam e nunca temos tempo (ou temos medo) para refletir. A vida nos é dada para momentos de pura beleza e significado. A morte, também. Carmen O. nos apresenta uma miscelânea de crônicas e poemas de uma forma leve e solta. Palavras jogadas ao vento para que cheguem ao coração de cada um que estiver disposto a sentir.



Já experimentou ler um livro simplesmente por ler? Não porque é do seu gênero ou autor preferido. Não porque foi publicado por aquela editora que ama. Ou porque foi fortemente recomendado por um amigo ou alguém com gostos literários parecidos. Não porque todo mundo estava lendo e falando do livro. Mas sim ler simplesmente por ler. Uma história da qual nunca ouviu falar. Recomendada por ninguém. De um autor que você nunca leu. Apenas deixar o livro te escolher. Foi o que eu fiz. 

Tardes de Maio me escolheu numa feira de livros. Existiam vários livros conhecidos, histórias que já me foram indicadas, que eram famosas e tudo o mais. Porém, naquele dia em particular, meu estado emocional pedia por algo diferente. Não queria livro famoso. Não queria história que estivesse na minha lista de desejados. Eu queria apenas deixar que algum livro "falasse comigo". Foi quando a capa dele chamou a minha atenção. Não sabia quem era Carmen O. e ninguém nunca tinha me recomendado o livro. Ele estava embalado, então, não tinha como folheá-lo, mas li a sinopse e foi o suficiente para confirmar as minhas suspeitas de que Tardes de Maio estava me chamando, querendo que o trouxesse para casa, que lhe desse uma chance. Eu não podia decepcioná-lo. Afinal de contas, não é todo dia que um livro escolhe você.rs 

30 de agosto de 2019

Contos e Crônicas lidos - Agosto/2019



Finalmente concluí a leitura do livro Contos Escolhidos, do Machado de Assis, onde estão reunidos trinta contos, em sua maioria, incríveis. Em 2017 li dez desses contos, passei 2018 sem ler nenhum e retomei com força este ano, lendo os vinte restantes ao longo dos últimos meses. :)

"Há meio século, os escravos fugiam com frequência. Eram muitos, e nem todos gostavam da escravidão."

Pai contra mãe é um conto que li pela primeira vez na faculdade, alguns anos atrás. Tínhamos que lê-lo e debater sobre os assuntos abordados na história e o importante título, que por si só já chamava a atenção. 

Lembro que tive certa dificuldade com o texto, pois acredito que era minha primeira experiência de leitura completa de um texto do autor.rs Mas agora, ao relê-lo, a leitura fluiu de forma tranquila, embora siga sendo um dos contos mais marcantes que já li do Machado de Assis. 

Temos como protagonista/antagonista deste conto, Cândido Neves, um vagabundo, por assim dizer, que nunca parava em emprego algum porque inventava várias desculpas para não ficar. 

Acontece que o sujeito resolve se casar com uma jovenzinha chamada Clara, mesmo não tendo condições de sustentá-la. Pior que isso, contra todos os conselhos, resolvem ter um bebê, sem ter dinheiro para alimentá-lo.

26 de agosto de 2019

O Conquistador - Shannon Drake

Literatura norte-americana
Editora: Nova Cultural
Edição de: 2005
Páginas: 314
Série Os Graham ou Graham Family - 2/7

Sinopse: Escócia, 1297. Uma mulher indomável. Arryn Graham buscava vingança pelos atos sanguinários que Kinsey Darrow cometera contra os rebeldes das Terras Altas. Um dos meios de alcançar seu intento era tomar para si a bela noiva de Darrow. Entretanto, Arryn não sabia que Kyra era uma mulher que jamais se submeteria à vontade alheia.
Cativada pelo corajoso cavaleiro que a raptara, Kyra entregou-se a uma paixão selvagem, mesmo sabendo que isso a colocaria à mercê da fúria do desprezível lorde Darrow, a quem fora prometida em casamento, e que seu destino seria a condenação à forca. Com a vida por um fio, sua última esperança era Arryn, o único homem que, com sua audácia e poder, seria capaz de salvá-la... e de redimir a própria alma através de um intenso e verdadeiro amor!



Shannon Drake, pseudônimo de Heather Graham Pozzessere, que também escreve simplesmente como Heather Graham, é uma daquelas autoras que eu costumo buscar quando vou em algum sebo ou feira de livros. Como seus livros eram publicados no Brasil em formato de banca pela falecida Nova Cultural, é muitíssimo difícil encontrar suas obras. :( E como o sebo que eu frequentava fechou as portas alguns anos atrás (para minha enorme tristeza) faz um tempo que não esbarro num romance dela, o que me deixa um tanto deprimida, confesso. 

Apesar de eu gostar muito da Hannah Howell, considero os romances medievais da Shannon Drake (que também escreve romances de outros períodos históricos, bem como possui alguns livros sobrenaturais) melhor escritos e contextualizados. Daí minha esperança de que a Arqueiro em algum momento perceba como seria uma aposta maravilhosa republicar os livros dela, naquele formato todo lindo e caprichado da editora. Se apostaram na Hannah Howell com a série enorme dos Murrays (são mais de 20 livros e esperemos que a Arqueiro publique todos) nada impede que venham a publicar a Shannon Drake, não é mesmo?rsrs Vou ficar desejando isso com todo o meu coração! Queridos, vocês não fazem ideia de quantas séries essa autora já publicou! São MUITAS! E eu precisaria de mais duas vidas para ler todas.rs

23 de agosto de 2019

Volte para Mim - Paola Aleksandra

Literatura Nacional
Editora: Essência
Edição de: 2018
Páginas: 304
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Descubra seu lugar no mundo. Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações como herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a jovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após a fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido. 
Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos antes ela escolheu deixar para trás. 
Volte para mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira e, acima de tudo, confiar no amor.



Sabe quando você cria várias expectativas em relação a uma história, mas tudo acaba sendo bem diferente do que imaginava e bate aquela frustração? Pois bem. É isso que aconteceu durante a leitura de Volte para Mim, um livro que estava ansiosa para ler.

"Precisei de uma fatalidade para despir-me dos erros do passado e dar ouvidos aos clamores do meu coração. E ao encontrar desculpas tolas e sem sentido, perdi um tempo valioso ao lado daqueles que amo."

É difícil seguir em frente com uma leitura quando logo no início as atitudes da protagonista te provocam antipatia. Sabe o que é você ter paciência ZERO com uma personagem? Foi assim minha relação com a Brianna. E quanto mais eu descobria sobre o seu comportamento infantil e egoísta menos tolerância eu era capaz de ter por essa mocinha. E isso estragou e muito a leitura para mim, pois se eu não conseguia gostar da protagonista e tudo girava em torno dela, além de vários capítulos serem narrados em primeira pessoa por ela, não tinha como apreciar a história.

16 de agosto de 2019

O Quinze - Rachel de Queiroz


Literatura Nacional
Editora: José Olympio
Edição de: 2016
Páginas: 160
Onde comprar: Amazon

*Lido emprestado da biblioteca pública


Sinopse: O quinze foi o primeiro e mais popular romance de Rachel de Queiroz. A história se dá em dois planos: um enfocando o vaqueiro Chico Bento e sua família; o outro, a relação afetiva entre Vicente, rude proprietário e criador de gado, e Conceição, sua prima culta e professora.



"Dignai-vos ouvir nossas súplicas, ó castíssimo esposo da Virgem Maria, e alcançai o que rogamos. Amém."

Naquele dia, como em tantos outros, Dona Inácia suplicava pelas chuvas, única esperança para seu povo que estava enfrentando a grande seca de 1915, vendo o gado morrer, a terra desolada e a fome se espalhando pelo sertão cearense. Conceição, sua neta de 22 anos que estava passando as férias ao seu lado, não acreditava que suas orações adiantariam de alguma coisa. Não choveria. Aquele era o início de um longo período de fome e miséria, marcado por desespero e mortes. 

"- Ô sorte, meu Deus! Comer cinza até cair morto de fome!"

Determinada a tirar a avó daquele lugar, Conceição a convence a ir embora com ela para a capital, onde trabalhava como professora, e a situação de vida era bem diferente. Sabia que aquele apego pela antiga fazenda da família, no Logradouro, apenas acabaria por matar sua avó, sozinha, sem filhos, durante uma seca tão brutal. 

Mas ao fim daquelas férias, Conceição não deixaria para trás apenas as lembranças da infância e os livros que já conhecia de cor... Deixaria também o seu primo Vicente, quem quase não encontrava ao longo dos anos, mas que todos que os conheciam desde meninos sabiam que ela amava. Tentara fazê-lo entender que o melhor era ir embora também, mas Vicente, teimoso e amante da terra, não se deixava persuadir. Aquele era o seu lugar. Ali morreria. Jamais faria parte do mundo dela. 

11 de agosto de 2019

LEITURA COLETIVA: O Corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo



Olá, meus queridos!

Mais uma vez venho convidá-los a participarem de uma #LeituraColetiva! E o livro da vez é O Corcunda de Notre Dame, também conhecido como Notre-Dame de Paris. Publicado originalmente em 1831, é um clássico da literatura francesa. 

Assim como ocorreu com a #Leitura Coletiva de O Fantasma da Ópera, as discussões sobre a leitura ocorrerão no grupo do Clube de Leitura - Amor por Clássicos.


PARA PARTICIPAR É BEM SIMPLES:

> Possuir (ou pegar emprestado na biblioteca, com um amigo, etc) um exemplar de O Corcunda de Notre-Dame;
> Entrar no grupo do CLUBE DE LEITURA - AMOR POR CLÁSSICOS no Facebook (onde ocorrerão discussões semanais);
> Participar das discussões semanais sobre a leitura (para poder participar do sorteio do livro escolhido para a próxima leitura).

9 de agosto de 2019

Boneco de Neve - Jo Nesbø

Literatura Norueguesa
Título Original: Snømannen
Tradutor (a): Grete Skevik
Editora: Record
Edição de: 2018
Páginas: 420
Onde comprar: Amazon

Sinopse: A PRIMEIRA NEVE DO ANO cai sobre Oslo num dia frio de novembro. Birte Becker chega do trabalho e elogia o marido e o filho pelo boneco de neve que fizeram no jardim. Isso os surpreende - não foi feito por nenhum deles. Ao olhar pela janela, o menino nota que a figura branca está virada para a casa, com os olhos negros voltados para a janela. Para eles. Quando o inspetor Harry Hole recebe uma carta do autointitulado "Boneco de Neve", não desconfia do tenebroso significado dessa alcunha. Somente após descobrir alarmantes traços em comum entre vários desaparecimentos na Noruega, o policial percebe que está envolvido numa trama muito maior, capaz de testar os limites de sua sanidade. 



É difícil fazer resenha sobre um livro do qual eu sempre esperei muito, mas que me decepcionou de muitas maneiras. 

A primeira vez que tive contato com este livro foi na Saraiva que ficava perto do meu curso de enfermagem, vários anos atrás. Eu queria dar um livro de presente para o meu pai e Boneco de Neve chamou muito a minha atenção, tanto que desejei um exemplar para mim.rsrs Só que na ocasião o livro custava caro e eu não podia comprar dois exemplares, então trouxe só o dele e deixei o meu para outro momento. E ano passado, quando vi uma promoção maravilhosa nas Lojas Americanas, decidi que era hora de adquiri-lo e não demorar mais para apostar nessa história, que tanto prometia ser sensacional. Eu imaginava que seria um dos melhores suspenses que já li, que se tornaria um queridinho da vida e coisa e tal. Ledo engano!rs

A história começa cerca de vinte e quatro anos antes dos acontecimentos principais. É o ano de 1980, a primeira neve do ano. Novembro. Um garotinho está dentro de um carro, aguardando sua mãe. Mas quando ela retorna o menino está estranho, dizendo ter visto um boneco de neve e então sai de sua boca uma frase aterrorizante: "Nós vamos morrer". E há um salto para o ano de 2004. Novamente em novembro, com a primeira neve. E um boneco de neve...

5 de agosto de 2019

Medeia - Eurípides

Literatura Grega
Livro: O Melhor do Teatro Grego
Editora: Zahar
Edição de: 2013
Páginas: 392
Onde comprar: Amazon

*Lido no Kindle Unlimited

Sinopse: Ideal para quem deseja se familiarizar com o teatro clássico, esse livro reúne os seus autores mais importantes - Ésquilo, Sófocles, Eurípides e Aristófanes -, representados por quatro peças que estão na base da cultura ocidental: as tragédias Prometeu acorrentado, Édipo rei e Medeia e a comédia As nuvens. A tradução, diretamente do grego, foi feita pelo renomado Mário da Gama Kury. 
Esse volume da coleção Clássicos Zahar oferece ainda um vasto material de apoio, que facilitará a leitura mesmo daqueles que nunca tiveram contato com as grandes peças teatrais, como textos introdutórios, glossário, resumo da ação em cada peça, perfis dos personagens e mais de 190 notas. A versão impressa apresenta ainda capa dura e acabamento de luxo.




Presente no livro O Melhor do Teatro Grego, da editora Zahar, Medeia é uma famosa tragédia grega que eu sempre tive medo de ler.rs Por não ser fã de histórias trágicas só li até agora as duas super conhecidas peças de Sófocles (Édipo Rei e Antígona) e Hamlet, de Shakespeare, que é uma tragédia inglesa. 

Era para eu ter lido Medeia para o tema de maio de um dos desafios dos quais estou participando. Todavia, o medo acabou falando mais alto e enrolei o quanto pude até finalmente parar para ler o livro. E estava certa em fugir da história. Afinal de contas, queridos, é uma tragédia. Assim sendo, no final sabemos que só tem desgraça. 

"Ela é terrível, na verdade, e não espere a palma da vitória quem atrai seu ódio." 

Esta é uma história de ódio e vingança. Temos como protagonista e ao mesmo tempo antagonista, Medeia, a mulher que traiu o próprio pai e sua pátria, bem como aqueles que a tinham como amiga, só para satisfazer as vontades de Jáson, o homem a quem ela amava. Por este amor destrutivo, ela foi capaz das mais terríveis traições, causando ruína e morte por onde passou...

"Para onde irão meus passos hoje? Para o lar paterno, que já traí, como traí a minha pátria, para seguir-te? Ou para as filhas do rei Pélias? (Que bela recepção me proporcionariam as infelizes em seu lar, a mim, que um dia causei a morte de seu pai!) Eis a verdade: hoje sou inimiga de minha família e só para agradar-te hostilizei amigos que deveria ser a última a ferir."

Claro que uma relação construída em cima da desgraça dos outros não poderia dar certo. E não demora muito para que Jáson perceba que quer muito mais do que uma vida ao lado de Medeia e dos filhos nascidos desta união. Ambicioso, ele volta seus olhos para a filha do rei Creonte, que resolve entregar sua preciosa filha a ele, mesmo que Jáson já fosse casado com Medeia. Sem pensar duas vezes, ele abandona seu lar e seus filhos e começa os preparativos para seu grande casamento com a princesa de Corinto. Acreditando estar no controle da situação e que Medeia não teria outra alternativa senão aceitar as decisões daqueles que eram mais fortes que ela (segundo as próprias palavras dele), ele nem se dispõe a lembrar o que aquela mulher já tinha sido capaz de fazer por ele. Era tão tonto a ponto de imaginar que ela simplesmente seria submissa quando no passado já tinha matado por ele? Acreditava mesmo que o amor não se transformaria em ódio? 

29 de julho de 2019

Contos lidos - Julho/2019



Este mês não li muitos contos. Foram apenas cinco: dois do Machado de Assis, um do Monteiro Lobato e dois da Clarice Lispector. Foi um mês longo, mas apesar disso muito corrido, o que dificultou manter em dia algumas leituras. 

Em Miss Dollar, do Machado de Assis, conhecemos a cadelinha cujo nome dá título ao conto. Apesar de sua participação ser importante, ela não é a real protagonista, mas sim o Dr. Mendonça, um homem apaixonado por cachorros e que dá abrigo para a pequena Miss Dollar, até que descobre quem são seus verdadeiros donos. Então, se colocando no lugar daquelas pessoas que estavam infelizes sem a cadelinha amada, ele vai até a residência delas e lhes entrega a pequena. Acontece que isso o faz conhecer Margarida, uma jovem viúva pela qual ele se apaixona perdidamente. Aqui temos Machado de Assis no seu melhor (e raro) estilo romântico.rs

Marcha Fúnebre traz a história de um homem que recebe a notícia da morte de seu inimigo. Embora não gostasse do falecido, ele não deixa de sentir certa compaixão e fica pensando no fato do outro ter sofrido muito antes de morrer, vez que vinha definhando há tempos. Ele então fica com isso na cabeça, pensando que desejaria para si mesmo uma morte súbita, algo que mal sentisse. E o conto vai se desenvolver em torno das reflexões dele. 

Já do Monteiro Lobato li o conto A facada imortal que demorei bastante para entender e necessitei de uma segunda leitura para finalmente "decifrar" o texto. Isso porque não sabia o que era "fazer sangrar", "facada" e coisas assim, no contexto da história. Só depois de ler pela segunda vez é que compreendi que o personagem principal do conto, Indalício, era um jovem que tinha como "dom" utilizar sua lábia para arrancar dinheiro dos outros. Mas ele não o fazia como alguém que pede esmola. Não. Ele o fazia de modo astuto e elegante, fazia a pessoa lhe "emprestar" o dinheiro (sem que ele tivesse a intenção de devolver) atingindo de alguma forma o ponto fraco daquela pessoa, fosse bajulando, apelando para a vaidade do outro... Só que existia um amigo, Raul, que era um pão-duro, alguém que não emprestava nada para ninguém e a quem todos sabiam que Indalício nunca conseguiria enganar. Então, Indalício resolve que esse será seu desafio, fazer Raul ceder. 



Come, meu filho é um conto curtinho, de menos de duas páginas, que eu achei divertido. Nele temos um menino que para ludibriar a mãe que quer que ele coma (mas ele não quer comer), começa a falar sem parar sobre diversos assuntos. Como o fato de ensinarem que a Terra é redonda, sobre pepino parecer irreal e algumas coisas não terem gosto daquilo que são chamadas, e para ele definitivamente carne não tem gosto de carne.rs

Perdoando Deus é um conto mais complexo, que nos faz refletir bastante sobre o que conhecemos de nós mesmos. A protagonista está caminhando num dia bonito, em que se sente em paz consigo mesma, se sente livre, percebendo o mundo, o mar, os edifícios, tudo ao seu redor. E ela se sente tão em paz e conectada com a natureza e com o próprio Deus, que sente que pode amar tudo, de forma natural, um carinho tão puro quanto o de uma mãe. E ela vai pensando nisso até quase pisar num rato morto. E é quando se revolta. Porque de tudo que poderia cruzar seu caminho foi justamente um rato, um animal que lhe provocava pânico desde que se entendia por gente. E ali estava a prova de que não era possível amar "tudo e todas as coisas". 

"E a revolta de súbito me tomou: então não podia eu me entregar desprevenida ao amor? De que estava Deus querendo me lembrar?"

Depois que a raiva passa o episódio lhe provoca novas reflexões e é aí que o conto se torna mais profundo. Eu amo a forma como a Clarice Lispector nos faz olhar para dentro de nós, pensar em coisas sobre as quais não refletiríamos normalmente. Por que amamos Deus? Por que amamos alguém? O que algo ou alguém precisa ter para despertar nosso amor?

"É porque no fundo eu quero amar o que eu amaria - e não o que é." 

Apesar de ter lido poucos contos este mês, os que li valeram a pena. :) 


27 de julho de 2019

A Viúva - Fiona Barton

Título Original: The Widow
Tradutor: Alexandre Martins
Editora: Intrínseca
Edição de: 2017
Páginas: 304
Onde comprar: Amazon

Sinopse: A ESPOSA. Ela levava uma vida maravilhosamente comum. Boa casa, bom marido. Ele era mais do que ela sempre quis: um príncipe encantado. Mas então tudo mudou. O MARIDO. Os jornais inventaram um novo nome para ele: MONSTRO. Os anos vão passando sem que nenhuma prova seja encontrada, e a vida do casal segue constantemente estampada nas primeiras páginas. A VIÚVA. Agora ele está morto e ela se vê sozinha pela primeira vez, livre para contar sua versão dos fatos. E ela vai falar tudo o que sabe. 




Estou aqui pensando em como falar deste livro sem soltar spoilers.rs Porque algumas informações fornecidas ainda no início da história são mais interessantes de serem descobertas quando nós mesmos fazemos a leitura, sem que outra pessoa revele. E vocês sabem que amo spoiler desde que NÃO seja de LIVRO DE SUSPENSE/THRILLER. Por isso, vou me conter ao longo da resenha para não revelar nada que estrague a leitura de vocês. 

Na capa do livro há a seguinte frase: "Um marido amoroso ou um assassino cruel? Depois de vinte anos, só ela poderia dizer." E pela sinopse, que graças a Deus não revela nada, tudo o que sabemos é que um crime foi cometido e o marido da "esposa", que depois se torna "a viúva" foi acusado por este crime. Não sabemos se ele é culpado. Não sabemos qual foi o crime. Estamos no escuro. E queremos permanecer assim até que lendo o livro pessoalmente descubramos os segredos da história. 

Utilizando um recurso comum em alguns livros de suspense/romance policial, a autora vai intercalando presente e passado para construir a história, soltando pequenas pistas e nos confundindo, ao ponto de duvidarmos não só do marido, mas da própria esposa e outros personagens que vão surgindo ao longo da história. Descobrimos qual é o crime terrível que foi cometido (a capa do livro diz "assassino cruel", mas a verdade é que não foi esse o crime pelo qual ele estava sendo acusado) e por que as investigações o apontaram como principal suspeito. Mas nada é certo. Não conseguimos ter certeza se o Glen é mesmo o culpado ou se não o incriminaram numa armadilha. E a esposa? Será que podemos confiar nela?

25 de julho de 2019

Como EU avalio minhas leituras???

Olá, meus queridos!

Não sei quando publicarei este post. Provavelmente hoje, dia 25/07, como um extra, vez que na sexta-feira (26/07) pretendo postar a resenha de A Viúva, de Fiona Barton

Acredito que nunca antes fiz um post assim, explicando para vocês como ocorrem minhas classificações e o que me leva a dizer que um livro é MARAVILHOSO, SENSACIONAL, APAIXONANTE ou RUIM, HORRÍVEL, UM TÉDIO, entre outras coisas. 

Estes dias eu dei minha opinião sincera num determinado blog e a pessoa respondeu dizendo que achava feio alguém falar mal de um livro, dizer que uma história é "ruim".rs Eu até achei divertida a resposta dela e respeito sua opinião, que é o mínimo que sempre temos que fazer: respeitar a opinião e o gosto das outras pessoas. Ninguém é obrigado a pensar como você ou eu e gostar das mesmas coisas. 

Todavia, a resposta dela me deu a ideia deste post.rs Acabei sentindo vontade de conversar com vocês sobre os meus gostos literários, a maneira como classifico minhas leituras e quando um livro é ruim, regular, bom, muito bom ou ótimo. Perceberam que estou usando a classificação do Skoob? Antigamente era possível ver no Skoob o que cada estrela significava quando você avaliava um livro. Não sei se ainda é possível ver isso lá, mas minha classificação segue desta forma:


Assim sendo, estes são os significados das estrelas nas minhas resenhas. Agora, o que me leva a achar um livro ruim, regular, bom, muito bom, ótimo ou favoritá-lo

22 de julho de 2019

Mar da Tranquilidade - Katja Millay

Título Original: The Sea of Tranquility
Tradutora: Carolina Alfaro
Editora: Arqueiro
Edição de: 2014
Páginas: 368

Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer. Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.



Às vezes um livro nos machuca muito, nos provoca feridas que quase parecem reais, como se as sentíssemos no corpo, de tão marcados que ficamos pela história. Mas existem livros que não só nos ferem, mas também nos curam... curam as feridas que eles mesmos causaram... Mar da Tranquilidade é um destes livros. 

Quado comecei a lê-lo deixei de lado todos os outros livros, todas as outras leituras em andamento. Porque senti que a historia contida nessas páginas precisava de atenção exclusiva. Era para ser apenas o livro e eu. E foi assim. Se eu queria encarar esta leitura agora precisava aceitar tudo, até mesmo que ela partisse meu coração. 

"O peso da realidade nos meus ombros é tão grande que às vezes me pergunto como ainda consigo erguer os pés para caminhar."

Eu não sabia nada sobre este livro. Nada mesmo. Anos atrás vi muitos leitores falando sobre ele e tinha em mente que era um livro forte, do tipo que mexe com as emoções, mas não lembro se cheguei a ler alguma resenha. Só sei que alguma leitora amiga o recomendou e eu comprei em 2016, criando coragem de ler apenas este ano. 

Senti um golpe no coração logo nas primeiras páginas. Não sabia ao certo o que tinha acontecido com a Nastya, mas dava para ter uma ideia de que foi grave, muito grave. Que, cerca de dois anos e meio antes, alguém a matou. Quando ela estava indo para a escola. Quando tinha apenas 15 anos e toda uma vida pela frente. Alguém simplesmente cruzou seu caminho e destruiu tudo. Matou a garota que ela era. 

19 de julho de 2019

Livros que quero ler até o final de 2019

Olá, queridos! :D

Eu pretendia publicar hoje a resenha de Mar da Tranquilidade, da autora Katja Millay, mas como acredito que não dará tempo de concluir a resenha, resolvi vir falar com vocês sobre os livros que pretendo ler até o final de 2019.kkkkkkkkkk... Estou rindo porque é praticamente impossível eu conseguir ler todos esses livros até este ano acabar. E olha que só mencionarei neste post alguns desses livros!!!rs Na verdade existem pelo menos mais uns vinte na minha lista de leituras que pretendo fazer nos próximos meses. Todavia, para o post não ficar grande demais escolhi apenas os principais, aqueles que estou DESESPERADA para ler. :)



Estes são os últimos livros da Maratona Romances de Banca, mas acabei por atrasar bastante a leitura.rs São livros que quero muito ler, todavia meu ritmo de leitura está alterado e ainda estou lutando para colocar tudo em dia. Torçam por mim!rs



Do livro O Melhor do Teatro Grego, que estou lendo pelo Kindle Unlimited (e prestem atenção ao fato de que existem MUITOS livros da Zahar disponíveis para leitura), está nos meus planos ler a tragédia Medeia, tão famosa e que nunca antes tive a oportunidade de conhecer. Vocês sabem que, apesar de não gostar de histórias tristes, amo o Sófocles e suas tragédias tão viscerais, e quero ver se o Eurípedes, autor de Medeia, conseguirá me fascinar tanto quanto ele. 

Os Sofrimentos do Jovem Werther é um livro que está em algum dos meus projetos de leitura. Admito que, considerando o meu estado emocional dos últimos meses, não seria recomendado mergulhar nessa leitura agora. E, é claro que, só arriscarei conhecer o livro quando me sentir melhor. 



As Regras da Sedução, o primeiro volume de uma série, eu lerei apenas em dezembro, pois é o último livro de um projeto de leitura. Já Volte para Mim eu quero muito começar a ler ainda em julho. Estou ansiosa para conhecer a história dos protagonistas. Tenho muitas expectativas e torço para não me decepcionar.rs




Mary Barton é da mesma autora de Norte e Sul (um dos melhores livros que já li NA VIDA!!!), então vocês já podem imaginar o quanto estou desesperada para me perder nas páginas dessa história... Quero esquecer do mundo lendo este livro! 

Memórias de Uma Moça Bem-Comportada eu ouvi dizer que é uma autobiografia dessa grande representante do feminismo no século XX. Quem acompanha o blog provavelmente sabe que sou feminista (antes de torcer o nariz estude sobre este movimento, obrigada!) e quero muito conhecer livros que tratem deste assunto. Começar por um livro de memórias da Simone De Beauvoir (que foi uma pessoa muito polêmica) não foi intencional já que eu adquiri mais por estar em promoção na época.rs Eu pretendia ler a autora Chimamanda Ngozi Adichie primeiro. 




Caim, de José Saramago, entrou na lista por conta de algum desafio de leitura.kkkkkkkkk... Eu quero muito conhecer o autor, mas pretendia começar por Ensaio sobre a Cegueira

O Processo, de Franz Kafka, veio num box que adquiri do autor por um preço maravilhoso. Pretendo ler ainda este mês. Vocês sabem que não sou a maior fã de A Metamorfose, mas resolvi dar uma segunda chance ao autor. 


Estes dois livros também entraram na lista por conta de projetos de leitura (estou participando de vários como podem ver aqui) e confesso que estou LOUCA para lê-los. Sério, gente! Quero demais! A Viúva eu tenciono ler este final de semana. Espero conseguir! :D

Sempre ouvi falar maravilhas de As Crônicas de Nárnia, mas por ser um calhamaço e tanto (risos) ainda não tive tempo de ler. 




A História de Nós Dois é um livro do qual não sei praticamente nada. Tudo que ouvi falar é que a autora tem o hábito de deixar seus leitores em prantos. Claro que isso me dá medo.rsrs

Da Carina Rissi só li um livro até agora (No Mundo da Luna) e como me diverti muito estou querendo conhecer outras obras da autora. 




Destes livros eu falei recentemente aqui. Eles são de autoras especiais para mim: Indias Blancas, da Florencia Bonelli, e os dois volumes do livro 4 de Outlander, da Diana Gabaldon. Só ainda não li estes livros porque me recuso a lê-los na correria do dia a dia. Preciso reservar um tempo para me dedicar por completo a eles. 


Espero que tenham gostado de conhecer alguns dos livros que quero ler até o final do ano! E me desejem sorte, por favor!rsrs


15 de julho de 2019

Um Corpo na Biblioteca - Agatha Christie

Título Original: The Body in the Library
Tradutor: Edilson Alkimin Cunha
Editora: Nova Fronteira
Edição de: 2003
Páginas: 207
Onde comprar: Amazon


Sinopse: Sete da manhã. Ao acordarem, os Bantry encontram o corpo de uma jovem estendido sobre o tapete da biblioteca. Ela está com um vestido de noite e muita maquiagem, que agora mancha seu rosto. Mas quem é ela? Como foi parar ali? E qual é a sua ligação com outra adolescente assassinada, cujos restos mortais serão mais tarde encontrados numa pedreira abandonada? Preocupados, os Bantry chamam Jane Marple para desvendar o mistério, antes que as más línguas entrem em ação...



Fazia tanto tempo que eu não lia nada da Agatha Christie que realmente sentia saudades... Eu não mergulhava numa história dela desde agosto de 2017 quando li Os Elefantes não Esquecem, que foi uma leitura agradável, mas nada além disso. A verdade é que as primeiras histórias que li da autora foram tão maravilhosas, viciantes e inesquecíveis que quando conheci outros livros dela e percebi que eram inferiores aos primeiros que li, isso meio que me desanimou, sabe?rsrs 

E realmente apostei no livro errado. Um Corpo na Biblioteca, história protagonizada por Miss Marple, é um livro com o qual estive por mais de duas semanas, embora ele seja curtinho. Isso porque a história não fluía bem. Muitos dos diálogos eram tolos e cansativos e não fiquei nem um pouco impressionada com essa tal Miss Marple. Prefiro mil vezes meu querido Hercule Poirot e suas células cinzentas.rs 

12 de julho de 2019

O Estrangeiro - Albert Camus


Título Original: L'Étranger
Páginas: 125
eBook Kindle
Onde comprar: Amazon

*Lido no Kindle Unlimited


Sinopse: O Estrangeiro é um romance de 1942 de Albert Camus, frequentemente citado como um excelente exemplo da filosofia do absurdo e existencialismo de Camus. É uma obra exemplar de arte literária que apresenta um amálgama de apatia e humanidade, de uma maneira que é paradoxal, mas profundamente satisfatória. Esta escritura louvável explora as inúmeras possibilidades da vida humana, reconhecendo seus absurdos.




Pense num livro perturbador... Comecei a ler esta história no dia 27/05, mas logo em seguida deixei de lado para me dedicar a outras leituras. Todavia, ontem eu decidi que retornaria ao livro e o melhor seria voltar do início. E foi o que fiz. Como resultado fui dormir bem tarde e quase concluí a leitura toda ontem. Sobraram apenas poucos capítulos que li hoje, dia 07/07 (mas a resenha só será publicada no dia 12/07). É uma história que mexeu muito comigo por conta das reflexões que ela provoca. Também ficou um sentimento meio doloroso, que nem sei explicar... 

"Mamãe morreu hoje. Ou, talvez, ontem. Eu não tenho certeza."

Meursault, o personagem principal, que é também o narrador desta história, recebe de repente a notícia de que sua mãe faleceu. Eles não moravam juntos fazia um tempo, pois o protagonista não tinha condições financeiras de mantê-la ao seu lado. Assim, a colocou num lar para idosos, onde ele aparecia pouquíssimas vezes, por ser uma viagem muito longa até o local e não ter tempo para ficar indo e vindo. Além disso, segundo o personagem, não tinha nada em comum com sua mãe e quase não se falavam ainda quando viviam juntos. Sendo assim, o melhor mesmo era aquela distância. 

8 de julho de 2019

TAG DOS 50% - 2019


Olá, queridos! 

Hoje eu resolvi responder esta TAG sobre o meu primeiro semestre de leitura. Ao todo li 32 livros nos seis primeiros meses do ano e, felizmente, muitos deles foram excelentes leituras. :)

Não faço ideia de quem criou esta TAG. Eu a vejo nos blogs e canais literários por aí.rs

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2019


Este livro mexeu profundamente com as minhas emoções. Embora eu tenha assistido o filme e chorado muito, o livro conseguiu me causar um impacto ainda maior. É a história de uma amizade proibida entre dois meninos que possuem a mesma idade. De um lado da cerca fica um pequeno judeu faminto e apavorado, que não entende por que perdeu tudo e os soldados o agridem; de outro lado está Bruno, filho de um nazista que executa sem hesitação as ordens de Hitler. Bruno mal compreende a nova realidade e se torna amigo do menino judeu, nos arrebatando e destroçando o coração. :( Chorei demais com este livro e também aprendi muito com essas duas crianças. 


2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2019


Sei que para alguns este é o livro menos querido da série, mas para mim é o melhor. Apreciei demais esta leitura, o crescimento dos personagens, os desafios mais fortes e dolorosos pelos quais o Harry passou. Claro que eu sofri muito com ele e me revoltei com certos personagens desgraçados, mas o livro nos trouxe novas revelações e o Harry aprendeu tanto, além da amizade entre ele, Rony e Hermione ter ficado cada vez mais forte, que não pude deixar de considerá-lo o melhor livro da série até agora. E estou ansiosa e ao mesmo tempo com muito medo do próximo volume. 


3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito


Se não me engano, este livro foi lançado este ano.kkkkkkkk... É que ando tão perdida e o ano está passando tão rápido que nem sei mais o que foi ou não lançado em 2019.rs Eu já li Uma Dama Fora dos Padrões e estou ansiosa para ler esta continuação, mas ainda não encontrei tempo. :( 


4. O livro mais aguardado do segundo semestre


Este é o terceiro livro da série Os Rokesbys, da minha diva Julia Quinn e até onde sei ele será lançado agora em julho. :D Estou muito ansiosa! Tudo bem que ainda não li Um Marido de Faz de Conta, mesmo assim já quero o terceiro!kkkkk... 


5. O livro que mais te decepcionou esse ano


Sem sombra de dúvidas foi este. Me decepcionei demais com este livro e detesto quando odeio um thriller.kkkkkk... Nem sequer quis mantê-lo na minha estante. Quero distância deste livro. 


6. O livro que mais te surpreendeu esse ano


Este livro realmente me surpreendeu bastante, por me apresentar um outro lado da história de Lampião e Maria Bonita, o lado verdadeiro, baseado na pesquisa realizada pela jornalista Adriana Negreiros, que buscou reconstruir os passos da Maria Bonita e dos cangaceiros daquela época. O livro é cru, doloroso, de nos fazer ter pesadelos, por conta de todos os crimes cometidos tanto pelos cangaceiros quanto pela polícia sertaneja. As pessoas viviam em constante pavor. Me sinto mal só de lembrar de tudo o que li, mas valeu a pena para que eu soubesse o que se passou e jamais caísse no conto de que Lampião foi herói. Foi herói coisa nenhuma! Era um monstro. 


7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente)


Uma autora que lançou suas obras séculos atrás (no século XIX) foi a Charlotte Brontë, irmã da minha querida Emily. Eu só vim a ler Jane Eyre este ano e já me tornei fã da autora. É óbvio que desejo ler seus outros livros, mas acredito que nenhum superará este grande clássico. 


8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente


Não importa o que vai acontecer nos próximos livros da série, eu amo o Tamlin deste primeiro livro. Sim, amo perdidamente! Me apaixonei por ele, por suas cicatrizes emocionais, suas batalhas, o quanto se importava com seu povo e amava a Feyre. Sei que a autora vai desconstruir o personagem nos próximos volumes, mas aqui eu o amo. Tenho toda uma queda por ele!rsrs


9. Seu personagem favorito mais recente


Pense numa personagem que passa por um inferno. A Claire com certeza merece toda a minha admiração pelo tanto que cresceu como pessoa neste thriller tão perturbador. Ela cometeu muitos erros, mas quando a vida realmente cobrou dela uma atitude ela não hesitou. Foi muito além do que eu imaginava e me deixou orgulhosa e ao mesmo tempo chocada com a sua coragem. 


10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre


Vários livros me fizeram chorar este ano, mas Helena me tocou especialmente o coração. Eu senti muito por todas as coisas ruins que se passam na vida da Helena, como a vida foi cruel com ela, que era uma personagem que eu admirava muito e sigo admirando. Sua força, sua sabedoria mesmo sendo tão novinha, a forma como ela conhecia a natureza humana e refletia sobre certos assuntos... Eu amo esta protagonista e chorei muito por ela. 


11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre


Este livrinho me deixou com o coração leve, por trazer uma historinha simples, mas educativa e que nos provoca um quentinho dentro de nós. Fala também bastante sobre amizade, sobre se importar com o outro. Recomendo muito! Para todas as idades!


12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2019

Este ano acredito que ainda não assisti nenhum filme.rs Sim, inacreditável! Assisti só novela e algumas séries, mas filmes eu até tentei e não consegui ver nenhum até o final. Por isso, seria impossível responder essa categoria.


13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo)


Uma das resenhas que mais apreciei fazer foi de O Destino Quis Assim, uma das minhas histórias preferidas e que reli este ano. É da fase em que romances de época não estavam em alta e só eram publicados pela Nova Cultural e pela Harlequin. Sim, muitos dos livros que hoje muita gente ama e vive postando fotos na internet foram primeiro publicados no formato de banca. Link da minha resenha aqui

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano


Eu ganhei este box maravilhoso de presente antecipado de aniversário! :D E mesmo sendo suspeita para falar (pois amo Machado de Assis), para mim estes são uns dos melhores livros da minha estante. São lindíssimos tanto por fora quanto por dentro e fico namorando cada um deles quase todos os dias. Pego o box, retiro os livros, cheiro os livros, acaricio.... sou doida.kkkk... 


15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?


São muitos os livros que quero ler até o final do ano, mas estes são os mais urgentes, pois eu precisava ler no ano passado e não consegui. O problema é que são de autoras especiais para mim e por isso preciso ler no momento certo quando possa me dedicar por completo a eles.


Espero que tenham gostado! :D


Bjs!


Topo