2 de setembro de 2019

Tardes de Maio - Carmen O.

Tempo de leitura:
Literatura Brasileira
Editora: Novo Século
Edição de: 2017
Páginas: 240
Selo: Talentos da Literatura Brasileira

Sinopse: Tardes de Maio é um livro que conta de maneira suave, seja "cronificando" ou poetizando, a vida/morte das pessoas nos seus momentos mais caros. O que poderia ser mais significativo do que os instantes finais daqueles que amamos? Como você se imaginaria vivenciando um processo de entrega e desprendimento da vida? O que mudaria para você? Sua vida faria mais sentido? São essas questões que nos permeiam e nunca temos tempo (ou temos medo) para refletir. A vida nos é dada para momentos de pura beleza e significado. A morte, também. Carmen O. nos apresenta uma miscelânea de crônicas e poemas de uma forma leve e solta. Palavras jogadas ao vento para que cheguem ao coração de cada um que estiver disposto a sentir.



Já experimentou ler um livro simplesmente por ler? Não porque é do seu gênero ou autor preferido. Não porque foi publicado por aquela editora que ama. Ou porque foi fortemente recomendado por um amigo ou alguém com gostos literários parecidos. Não porque todo mundo estava lendo e falando do livro. Mas sim ler simplesmente por ler. Uma história da qual nunca ouviu falar. Recomendada por ninguém. De um autor que você nunca leu. Apenas deixar o livro te escolher. Foi o que eu fiz. 

Tardes de Maio me escolheu numa feira de livros. Existiam vários livros conhecidos, histórias que já me foram indicadas, que eram famosas e tudo o mais. Porém, naquele dia em particular, meu estado emocional pedia por algo diferente. Não queria livro famoso. Não queria história que estivesse na minha lista de desejados. Eu queria apenas deixar que algum livro "falasse comigo". Foi quando a capa dele chamou a minha atenção. Não sabia quem era Carmen O. e ninguém nunca tinha me recomendado o livro. Ele estava embalado, então, não tinha como folheá-lo, mas li a sinopse e foi o suficiente para confirmar as minhas suspeitas de que Tardes de Maio estava me chamando, querendo que o trouxesse para casa, que lhe desse uma chance. Eu não podia decepcioná-lo. Afinal de contas, não é todo dia que um livro escolhe você.rs 

"Se eu soubesse como viver é custoso
não perderia tanto tempo assassinando meus dias."

Assim que tirei o livro do plástico e o folheei, fui tomada pela emoção. Cada texto me tocava, cada frase mexia com minhas estruturas. Eu ainda estava em local público quando as lágrimas começaram a querer escapar. Fiz um esforço enorme para não chorar na frente dos outros, mas quando cheguei em casa e reli alguns dos textos para minha mãe, minha voz estava trêmula e as lágrimas já caíam sem controle. 

"Mas mesmo assim
eu penso em você
Na sua falta de fé
Na sua ausência tão sentida
Na sua fome de morrer e de viver ao mesmo tempo"

A autora desta coletânea de crônicas e poemas é uma cardiologista que trabalha com pacientes críticos, alguém que já esteve em contato muitas vezes com a dor e a morte. Através de sua própria experiência de vida e relembrando pacientes que teve a oportunidade de conhecer, nos traz esses textos tão simples, mas tão profundos ao mesmo tempo. Muitas das crônicas tratam de pacientes, de momentos vividos no hospital, vidas que se foram, outras que possivelmente se recuperaram... Cada texto tem algo que nos cativa, que nos provoca uma confusão de emoções. Você não sabe sequer explicar o que sente... é algo que toma conta do seu coração e te faz pensar e pensar em muitas coisas. 

"É uma transgressão de vida. Mas, infelizmente, pessoas cheias de vida e sonhos também partem, são arrancadas de nós. E deixam um precipício na nossa alma. 
Ele não queria, ninguém queria, mas ele se foi."

Um dos textos que mais me fizeram chorar (e foram muitos os que me emocionaram profundamente) foi André. Nele a autora fala de um rapaz de 26 anos que tinha toda uma vida pela frente, mas que um acidente o arrancou de sua família. Fala da tentativa de salvá-lo, do momento em que nada mais era possível... que a morte cerebral aconteceu. E, então, a família... explicar para os pais e o namorado que, embora o coração dele ainda batesse, ele não estava mais ali. Chorei tanto, mas tanto com este texto... Nem pensei que sobrariam lágrimas para os próximos. 

"Deixamos de ser civilizados
Deixamos de nos comover
Deixamos de ouvir
Deixamos de ver
Banalizou-se a brutalidade
Sangue
Dor 
Lágrima.
Por quê? Por quem?
Perdemos nossa identidade
Fomos abandonados
Por nós mesmos."

Embora muitos dos textos sejam sobre pacientes e situações vividas no hospital, o livro é recheado de crônicas e poemas que falam de outros assuntos, como os atentados em Paris, o desastre de Mariana (por mais de uma vez a autora toca nesse assunto e na responsabilidade da Vale), nossos desejos, sonhos e planos... a confusão que muitas vezes toma conta de nós, o desafio de viver... as cobranças que nos fazem... Uns falam de fé, outros da ausência de esperança. Uns falam de vida e recomeço, outros de perdas e morte. A autora passeia por diversos assuntos e emoções. Você sente de tudo enquanto lê este livro. Não fica imune a nada. Mergulha de cabeça sem saber se vai conseguir nadar ou se afogar... Simplesmente deixa o livro te levar para onde ele quiser... Não consegue não sentir, entende?

"Aquele bolo na garganta já era velho conhecido. Aquele gosto amargo na boca. Terminei de ver outros pacientes. Não fui para casa. Fui para uma livraria. Meu coração tão vazio, se alguém gritasse dentro de mim ouviria seu próprio eco. Eu era um galpão escuro. Breu."

Se teve um texto que também acabou comigo foi O leitor. Nele a autora fala de um rapaz de 22 anos que era um atleta, bem como também um apaixonado pela literatura. Mas quis a vida que ele não lesse todos os livros que desejava... Um câncer o levou embora. Todavia, os breves momentos de leitura compartilhada, de indicações, de conversas sobre literatura no hospital, quando ele sempre preferia não pensar na doença... tudo isso a marcou. Ver um dia o leito vazio e saber que ele havia morrido... Isso a deixou mal. Então, em vez de ir para casa, após o plantão, ela foi para uma livraria. Era a melhor forma de se despedir de um leitor. 

"Chegará um tempo em que nos arrependeremos
                     [de tamanha
displicência conosco
O dia do olhar derradeiro
O tempo perdido
A irrelevante mesquinhez de afeto
A falta de amor
As rugas de riso que foram estupidamente
                     [substituídas
por vigas de dor
Um tempo de desperdício de vida
Vida desgovernada e fora dos trilhos"

A autora também fala muito em livros e eu sorria como uma boba ao ler um texto e reconhecer alguns títulos e autores. Há uma crônica intitulada "Gabo", em referência ao escritor Gabriel García Márquez e nela temos uma conversa aparentemente bem simples entre um avô e sua neta numa livraria. Terminamos de lê-la sorrindo, sentindo verdadeiro prazer por mais uma pessoa fisgada pelos livros, pelo amor pela literatura. Sorrimos por aquela neta a quem foi apresentado um determinado livro e sentimos com ela que a partir daquele instante nunca mais saberá o que é viver sem a literatura. 

"Teremos em algum tempo
Que acreditar por nós mesmos
Deixar de lado, encostado em um canto
               [empoeirado
O que de ruim, disfarçado de bem, fizeram
               [conosco"

A vontade que sinto é de falar de todos os textos presentes neste livro.rs Do quanto cada um deles me tocou de forma diferente. De como foi maravilhoso apostar em Tardes de Maio sem expectativas, sem saber nada sobre ele, sem motivos... Foi uma experiência única. Dolorosa em alguns momentos, pois muitos dos textos nos sensibilizam, nos fazem olhar para o outro, conhecer dores diferentes das nossas... Mas também foi uma leitura deliciosa, enriquecedora, daquelas especiais. Se tornou um dos meus livros preferidos, cujos os trechos mais marcantes eu sempre irei revisitar. 

É uma pena que este livro seja tão pouco conhecido. :( Merecia ser lido por milhares de leitores, ser apreciado, favoritado e tornar-se inesquecível...

Eu vi que o outro livro da autora, Lírios de Sangue, está atualmente disponível no Kindle Unlimited. Em breve devo trazer resenha dele também. :) Esta autora já tem uma nova fã, que vai querer ler absolutamente tudo o que ela escrever!




Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

9 comentários:

  1. Faz muito tempo que não leio um livro assim, no escuro, sem recomendações ou referencias e confesso que tenho um pouco de medo de começar e a leitura não funcionar. Mas fiquei encantada com a sua experiencia com este livro e acho que ele tem tudo para me emocionar também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Que bele capa e que belo título
    Que experimencia maravilhosa não e mesmo
    Ler um livro simplesmente por ler !
    E ainda mais quando esse livro se torna um dos favoritos
    Pela sua resenha e um livro que traz muitas reflexões sobre a vida que nos sacode e que faz a gente pensar sobre o que somos o que fazemos com nos mesmos
    Eu senti tocada lendo alguns trechos que você postou
    Se tiver oportunidade quero ler sim
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Não posso ler esse tipo de livro, já fiquei com dor de ver um rapaz de anos indo embora por uma doença..
    E por mais poético que seja, isso é doloroso para mim, não consigo ler esse tipo de livro. Não sou muito preparada para morte eu confesso.
    Lógico que não posso deixar de falar da coragem e desafio dela, são histórias que ela viu, conviveu e falar sobre elas deve ter sido emocionada para a própria autora!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Isso já aconteceu comigo, foi com um livro da Karen Kingsbury. Melhor coisa que fiz. Infelizmente tem muitos livros, como esse que você leu, que são desconhecidos. Confesso que esse tipo de livro não é o meu favorito, ainda mais quando se trata de realidade e morte. Fiquei mexida lendo sua resenha, mas darei um voto de confiança e tentarei ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi lanneeh gosto sempre de anotar nomes de bons livros para uma futura leitura
      Gostaria de possível que você dissesse o nome desse livro que te supreendeu
      Desde já obrigada

      Excluir
  5. Oie amore,

    Que blog mais mimo, parabéns!!!
    Quanto ao livro ainda não conhecia pra ser bem sincera, mas gostei do que vi por aqui!
    Muito bom ler um livro assim do nada, ás vezes nos surpreendemos.
    São bem intensas os quotes que você colocou, deu vontade de ler.
    Dica anotada por aqui!


    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ooi,
    Eu adorei a dica!! Adoro encontrar livros dessa forma e me apaixonar por eles. Só pelos trechos que você colocou na resenha eu já fiquei interessada em conhecer. Parece mesmo muito emocionante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Achei tão lindo você comentar que o livro te escolheu. Não conhecia, mais por ser contos e crônicas já gostei, a intensidade como você descreve ele me emocionou, parabéns pela resenha, obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Eu acho uma das experiências mais legais para um leitor é descobrir livros assim, "do nada". Quando a gente não tem influência de comentários de outras pessoas ou expectativas por gostar do autor(a) e ainda assim é cativado pela leitura, é muito mais especial. Confesso que não parece ser o estilo de leitura que eu faria e não me senti instigada a ler. No entanto, deu para ver o quanto a leitura mexeu com você e fico feliz que tenha gostado tanto.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo