23 de fevereiro de 2020

A Iniciação (Círculo Secreto) - L. J. Smith

Literatura norte-americana
Título Original: The Initiation - The Secret Circle
Tradutora: Ryta Vinagre
Editora: Galera Record
Edição de: 2011
Páginas: 256
Trilogia Círculo Secreto - Livro 1

*Lido no Kindle Unlimited

Sinopse: A Iniciação é o livro que deu origem à série de TV Secret Circle! A história começa quando Cassie se muda da Califórnia para New Salem, depois de passar as férias em Cape Cod, e começa a se sentir estranhamente atraída pelo grupo de jovens que domina sua nova escola. Cassie logo é iniciada no Círculo Secreto, uma irmandade de bruxas que controla a cidade há séculos, numa aventura ao mesmo tempo fascinante e mortal. Ao se apaixonar pelo sombrio Adam, será preciso escolher entre resistir à tentação ou lutar contra forças obscuras para conseguir o que deseja - mesmo que um simples passo em falso possa significar a sua destruição.
Primeiro volume da trilogia Círculo Secreto, de L.J. Smith, a criadora do fenômeno mundial e best seller do New York Times, Diários do vampiro que deu origem à série de TV da Warner Vampire Diaries.




Esta leitura é a prova de que não aprendi nada com Diários do Vampiro. Que sou uma baita de uma estúpida!rs

Vamos recapitular?! Em 2010, ano de criação do blog, eu li a trilogia Diários do Vampiro (Sim! TRILOGIA!) que foi originalmente publicada em 1991 e não seria mais que isso: uma história composta por três livros: O Despertar, O Confronto e A Fúria. Como o terceiro livro terminou de uma maneira que deixou muitos fãs em prantos e revoltados, a autora resolveu "fechar" a história escrevendo um quarto livro, "Reunião Sombria", publicado em 1992. Terminava ali. Ponto final. Certo?! Errado! Em 2009, quase vinte anos depois de encerrar a história, a autora veio com a novidade de "Diários do Vampiro: O Retorno" que contaria com mais três livros. E depois só desandou (na minha opinião, pois existe muita gente que gosta do fato de existirem "dois mil" livros da série): uma outra autora que, pelo que entendi, foi contratada pela própria L. J. Smith (ou pela editora, provavelmente), deu continuação à série, escrevendo diversos outros livros.

Eu não sou como muitos fãs que quanto mais livros surgirem melhor (mesmo que escritos 50 anos depois). Eu não gosto disso. Quando um autor diz que encerrou uma série eu quero que isso seja verdade. Não gosto que uma história seja reaberta séculos depois, pois geralmente os autores modificam muita coisa que os leitores já davam como certo, eles desconstroem toda a ideia deixada pelo encerramento original da história. Por isso, sempre que vejo que um autor decidiu continuar uma história concluída milênios antes, fico com um pé atrás e muito desanimada. Mas esta sou eu. É minha esquisitice de leitora. Ninguém precisa pensar igual.rs

Mas foi justamente esta minha "esquisitice" que me fez encerrar Diários do Vampiro do jeito que a história terminava lá em 1992, quando eu nem sequer existia (sou de 1994): com o quarto livro, Reunião Sombria. Li a trilogia em 2010. E em 2016 li Reunião Sombria, deixando claro que parava ali para mim. Não li as centenas de continuações. E nem vou ler. Assim, também perdi a vontade de ler outras histórias da autora. Até perder o juízo esta semana.rs

16 de fevereiro de 2020

Os Sofrimentos do Jovem Werther - Johann Wolfgang von Goethe

Literatura Alemã
Título Original: Die leiden des jüngen Werthers
Tradutor: Marcelo Backes
Editora: Folha de São Paulo
Edição de: 2016
Páginas: 144
Coleção Folha Grandes Nomes da Literatura #15

Sinopse: Os sofrimentos do jovem Werther foi um dos primeiros best-sellers europeus. Lançou modas de comportamento e mesmo de roupas; é também uma história de amor impossível. Mas este primeiro romance de Goethe (1749-1832), mestre maior da literatura alemã, foi ainda uma obra que marcou uma virada importante nas ideais artísticas, morais e sociais da Europa do fnal do século XVIII, e se tornou precursora do romantismo. Publicado pela primeira vez em 1774, trata-se de um romance composto de cartas escritas por um jovem burguês hpersensível, Werther. Inclinações artísticas, modos e pensamentos levam o jovem Werther a entrar em conflito com convenções e preconceitos da sociedade aristocrática, na qual acaba esnobado e humilhado. Além do mais, apaixona-se por Lotte, jovem também sensível, mas já noiva e depois esposa de um homem de senso prático da vida. As frustrações de Werther acabam por levá-lo ao suicídio, atitude que foi imitada por vários de seus leitores e causou grande escândalo na época. 



Eu não sei como falar deste livro. Do impacto que ele provoca em quem o lê, da confusão de sentimentos... do "peso" que deixa em nossos corações.

"Tudo aquilo que me foi dado encontrar na história do pobre Werther, eu ajuntei com diligência e agora deposito à vossa frente, sabendo que havereis de me agradecer por isso. Não podereis negar vossa admiração e vosso amor ao seu espírito e ao seu caráter, nem esconder vossas lágrimas ao seu destino."

Esta é uma leitura que eu deveria ter feito no ano passado, mas tive medo de ler o livro e acabar ficando muito mal, pois tinha conhecimento que esta história havia provocado uma onda de suicídios quando de sua publicação. Muitos jovens infelizmente desistiram de viver e fico imaginando como o autor deve ter se sentido, pois com certeza não imaginava tamanha reação à sua obra. Só de imaginar aquelas pessoas colocando fim à própria vida, eu me sinto muito mal. Então o autor deve ter ficado arrasado.

"Tu sabes que não existe no mundo nada tão instável, tão inquieto quanto o meu coração."

O livro pesa, a sensação que nos deixa é de um imenso "peso nos ombros", porque lidar com todos os sentimentos do jovem Werther não é fácil, é desgastante emocionalmente. E acabamos sim nos identificando com muitos dos pensamentos e sentimentos do protagonista, que sente a vida de maneira intensa, apaixonada. Com ele não existe meio-termo. Nada é moderado. Ama e odeia com a mesma força. Está sempre sentindo o mundo e o enxergando de uma maneira que poucos sentem e veem. É isso que acaba tornando tudo forte demais. Insuportável para ele. :( E isso não é spoiler: sabemos desde o início da leitura que Werther se suicidou. A história é contada após a morte dele.

10 de fevereiro de 2020

O Amor de Um Duque - Lorraine Heath

Literatura Inglesa
Título Original: When a Duke Loves a Woman
Tradutora: Daniela Rigon
Editora: Harlequin
Edição de: 2019
Páginas: 320
Série Sins of all Seasons - Livro 2

Sinopse: Gillie Trewlove sabe o valor da bondade de desconhecidos, já que foi abandonada ainda bebê na porta da mulher que a criou. Quando se depara com um homem sendo agredido em sua própria porta — ou melhor, no beco próximo da sua taverna —, ela não hesita em ajudá-lo. Porém, o homem é tão bonito que não pode pertencer a um lugar como Whitechapel, muito menos à cama de Gillie, na qual ele precisa ficar para se recuperar.
O duque de Thornley está tendo um péssimo dia. Ser abandonado no altar é humilhante, ser salvo de bandidos por uma mulher — ainda que uma mulher linda e corajosa — é mais ainda. Após ajudá-lo a se recuperar, Gillie concorda em acompanhá-lo pelas ruas sombrias de Londres em busca da noiva.
No entanto, cada momento juntos os leva ao limite do desejo, e faz o duque repensar sua escolha a respeito do casamento. Gillie sabe que a aristocracia nunca iria aceitar uma duquesa como ela, mas Thorne está disposto a provar que nenhum obstáculo é insuperável diante do amor de um duque.



Vocês também sentem que fevereiro está passando rápido demais?! Hoje já é dia 10 e este é o primeiro livro que consigo terminar de ler no mês. Neste ritmo não vou conseguir ler nem metade do que desejo!rs

"Inclinando-se perto do ouvido dele, ordenou:
- Não se atreva a morrer em meus braços."

Neste segundo volume da série Sins of all Seasons, temos como protagonistas Gillie e Thorne, duas pessoas que não poderiam ser mais diferentes. Abandonada na porta de sua mãe adotiva, conhecida na região por "cuidar" das crianças "rejeitadas" por pais nobres (em outras palavras: crianças bastardas), ela foi criada ao lado de quatro irmãos que possuíam origens tão obscuras quanto as dela e que tiveram que aprender a se defender sozinhos da intolerância e desdém de pessoas que os julgavam por seu nascimento, como se o erro de seus pais na verdade fosse deles, das crianças nascidas de relacionamentos proibidos.

Para agravar a situação, Gillie era mulher, o que representaria um risco para ela naquela região tão pobre e violenta. Por este motivo, sua mãe adotiva sempre a vestiu como menino, escondendo de todos sua condição de menina e ensinando à filha, conforme ela crescia, maneiras de esconder suas curvas e seus seios. Assim, ela se acostumou a sempre estar com os meninos, participando das mesmas brincadeiras e travessuras, bem como fazendo os mesmos trabalhos para ganhar uns trocados. Já adulta, com a ajuda de um de seus irmãos, que tinha conseguido vencer na vida, ela abriu uma taverna e a transformou em muito mais do que isso... Embora seu coração ansiasse por ter filhos um dia, ela sabia que nunca conseguiria confiar o suficiente num homem para isso. Sabia quais eram as consequências de acreditar em promessas. Todos os seus irmãos eram resultados de promessas quebradas. Não podia confiar. Não podia ser mais uma vítima da sedução de um homem. Não se casaria. Não teria filhos. Estava satisfeita com sua decisão. Afinal de contas, nunca se apaixonara. Deste mal ela não sofreria... Ou será que sim?!
Topo