3 de março de 2018

Mais Lindo Que a Lua - Julia Quinn

Tempo de leitura:
(Título Original: Everything and the Moon
Tradutora: Viviane Diniz
Editora: Arqueiro
Edição de: 2018)


Irmãs Lyndon - Livro 1


Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.

Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?

Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?



Palavras de uma leitora...



- Uma das coisas mais difíceis de ser leitora e blogueira é ter outras obrigações.rsrs Porque você não pode apenas se dedicar à leitura. Tem que trabalhar, estudar, cuidar de si mesma, da casa, das roupas... Se tem filhos necessita se dedicar a eles também. Se tem marido ou namorado (ou algo similar) também precisa ter tempo para ele. Se está no último ano do curso na faculdade (como é o meu caso) ainda tem que se desdobrar para lidar com o inferno que é preparar um TCC. E quando você não está em aula ou trabalhando ou cuidando da casa, etc etc etc... Precisa colocar as matérias em dia nos finais de semana, reforçar todo o conteúdo que teve ao longo de toda a semana. E se você gosta de séries e quer se manter em dia (para completar sua loucura) têm episódios atrasados para ver (como também é o meu caso). Gosta de novelas? Ainda tem que encontrar tempo para ver algum capítulo. E se é uma escritora, amadora ou não (no meu caso sou amadora), ainda tenta, no meio de todas as obrigações, parar um momento para deixar a inspiração vir e colocar a história no papel. E onde se encaixa a leitura e os compromissos com o blog nisso tudo? Tem que encaixar, verdade? Porque não imagino minha vida sem ler e sem escrever minhas resenhas. É o que me impede de surtar.kkkkkkk... 

Aí o que me deixa possessa é alguém chegar para mim e dizer que gostaria de ter o meu tempo para ler. Como se eu não fizesse nada o dia inteiro e por isso lesse tanto. Dá ou não dá vontade de esganar um?! Só não tenho marido e filhos, mas de resto tenho todas as obrigações que mencionei acima e várias outras! Não leio porque tenho tempo livre! Leio porque amo e tenho que fazer um dia de 24 horas render o suficiente para que consiga tirar, pelo menos, uma hora para a leitura. 

Nós que amamos ler ouvimos tantos absurdos diariamente que às vezes necessitamos desabafar. Ou dar um grito. Ou bater uma porta, atacar alguma coisa longe... para não partir para a agressão.kkkkkkkk... Sério, gente!rs É estressante. Quando não é alguém achando que você não faz nada e por isso consegue ler... vem um filho da pontualidade achar que você lê demais e que isso é doença. É cansativo ouvir gente tão ignorante e ainda por cima ser educada com essas pessoas. 

- Tive uma semana muito tensa. Uma das piores do ano (e 2018 mal começou!) e a quinta-feira então... Um dia para esquecer, sem dúvidas! Se não tive um ataque com ninguém, se não fui parar num hospício (risos) foi graças ao livro Mais Lindo que a Lua. Era o que me fazia sorrir, dar gargalhadas, suspirar... suportar a semana. Foi uma excelente escolha de leitura. Estava certa quando imaginei que amaria este livro. :D

- Não estava nos meus planos ler esta história agora. Não mesmo! Porque têm outros lançamentos da Julia Quinn que ainda não li e pretendia seguir uma ordem. Como estou lendo a série das musicistas (Quarteto Smythe-Smith) tinha a intenção de terminá-la, depois ler a série Agentes da Coroa para só então ler a das Irmãs Lyndon. Só que Mais Lindo que a Lua foi lançado e as pessoas começaram a falar... Vieram resenhas negativas. O que já foi um choque e tanto. Porque fãs da autora estavam desprezando este livro. E aí entendi que o problema principal era o mocinho da história. Um patife, canalha, desgraçado, possessivo, que não tem controle dos ciúmes... vi muitos adjetivos serem usados contra o Robert.kkkkkk.. Isso foi o suficiente!kkkkkk... Não era possível! Eu precisava, com desespero, conhecer tal canalha. Tinha que ver com meus próprios olhos o quão desprezível era esse mocinho da Julia Quinn, tão aquém dos mocinhos Bridgertons. 

E então comecei a leitura... O resultado? Bem... É triste dizer isso, mas... O livro está disputando com um Bridgerton o lugar de preferido no meu coração!kkkkkk... Que sacrilégio, não é mesmo? Como o Robert pode chegar aos pés do Benedict?! (que é o meu Bridgerton preferido: protagonista de Um Perfeito Cavalheiro) A verdade é que não consigo compreender por que tanto desprezo pelo mocinho. Ele está bem longe de ser tudo o que as pessoas disseram dele. Pelo menos, na minha opinião. Ele não só pode competir com o Benedict: um não perde para o outro. Ambos são mocinhos maravilhosos. 

"Em minha mente, entendo que a vi pela primeira vez há dez minutos, mas meu coração a conhece desde sempre. E minha alma também."

- Não havia chance de não amar esta história. Sou alguém que ama intensidade. Sentimentos fortes nos livros, protagonistas que demonstram seu amor, sua paixão, a confusão de sentimentos que toma conta deles e os arrebata. Isso é extremamente necessário num romance. E o Robert sabe bem como sentir. Sendo um conde inglês, mocinho que perdeu a mãe bem cedo e foi criado por um pai distante, tendo que se comportar conforme a época e o que era esperado de uma pessoa de sua posição, era de se imaginar que ele fosse um tanto frio, que não se deixasse levar por romantismo e tivesse bem em mente quais eram os seus deveres. Nada disso! O Robert desde o princípio nos mostrou que estava pouco se importando com regras da sociedade ou opinião alheia. Quando olhou pela primeira vez para a Victoria... soube que ela era a mulher de sua vida. Naquele instante, não fazia ideia de que moça ela era, se possuía posição social ou não. Só sabia que ela seria sua esposa. Que a faria se apaixonar por ele. Como não amá-lo, gente?! Me expliquem como alguém conseguiu odiá-lo, por favor! 

"Então ele a beijou mais uma vez, beijou-a como se ela fosse a última mulher na Terra, a única mulher no mundo."

Bastou uma troca de olhares para que os dois se envolvessem... Victoria tinha apenas dezessete anos e nunca antes tinha se apaixonado. Mas o sorriso dele, seu bom humor, a maneira como a olhava e cuidava dela, ouvindo seus sonhos, seus medos, seus segredos... não demorou para roubar seu coração. Sabia que era loucura, que ele era um conde enquanto ela não passava da filha do vigário. Era uma união impossível. O pai dele jamais aprovaria algo assim. Mas ainda assim ela quis viver aquele momento, acreditar nas palavras do Robert... que ele daria um jeito, que ela seria sua mulher. E assim dois meses se passaram... Se existia um paraíso era nele que estavam vivendo. Só que nada que é bom dura para sempre...

"Ele é como qualquer outro homem. Vai usá-la e depois descartá-la."

O pai de Victoria jamais aprovou o relacionamento dos dois, embora não pudesse expulsar o Robert abertamente de sua casa quando ele ia visitá-la. Mas chegou um momento em que ele percebeu que o interesse da filha pelo rapaz era tão grande que era melhor cortar o mal pela raiz. Furioso, diz para ela o que considerava ser verdade e ordena que ela termine com Robert se não quisesse se arrepender. Se ousasse desobedecê-lo teria que lidar com as consequências. 

Mesmo amedrontada com a ameaça velada do pai de agressão física, Victoria não estava disposta a permitir que ele ditasse seu destino. Não se separaria do Robert por nada na vida, não importava o que seu pai pudesse lhe fazer. 

Robert, por sua vez, também foi ameaçado pelo pai quando confessou que estava apaixonado e iria se casar com Victoria. Porém, os gritos e ataques de seu pai não afetaram em nada sua determinação. Iria deserdá-lo? Pois que o fizesse! Não estava nem aí. Victoria seria sua mulher doesse a quem doesse. Assim os dois não viram outra opção senão fugir. 

Só que os planos dão errado. Robert vai embora sem saber a verdade do que impediu Victoria de encontrá-lo naquela noite. Ela também parte... com o coração destroçado e a certeza de que ele só brincou com ela. Só se aproveitou, como seu pai disse que faria. 

E sete longos anos se passam...

Victoria nunca mais retornou. Em todos aqueles anos não voltou a ver o pai ou a irmã... não suportava recordar o quanto tinha sido tola, como foi cega ao se apaixonar por alguém que mentiu o tempo todo para depois ir embora. Levava uma vida horrível como preceptora, mas pelo menos tinha sua independência e estava distante de um passado que ainda a machucava. 

Naquele dia teve que aturar mais uma vez as palavras ferinas de sua patroa, bem como a rebeldia do menino de quem cuidava e tinha como meta de vida infernizá-la. Ele tinha conseguido atraí-la para o labirinto e embora com cinco anos de idade ele conhecesse a saída, ela não. Depois de tentar por horas sair daquele local finalmente se deu por vencida e sentou para chorar, imaginando que um dia encontrariam seu corpo. Foi quando o pior aconteceu... Teria sido preferível realmente morrer ali... Tudo menos encontrá-lo

"E ele a queria. 
Que o Senhor lhe ajudasse, porque ele ainda a queria. 
Mas também queria vingança.
Só não sabia o que queria mais."

Desde que partira tantos anos antes, Robert havia aprendido a ser um cínico. Sua vida era pateticamente vazia, mas pelo menos ele não se deixava mais iludir pelo falso amor de uma mulher. Pegava o que elas ofereciam e depois seguia em frente. Tal atitude já tinha levado seu pai ao desespero, pois o sonho dele era ver o filho casado e lhe dando netos para manter o nome e as terras da família. Infelizmente, Robert acreditava que o pai morreria sem ver tal dia chegar, pois não tinha a menor intenção de contrair matrimônio com alguém. Não quando buscava em cada maldita mulher uma semelhança com Victoria! E não poderia ter levado choque maior ao vê-la ali... onde ele menos esperava. 

Não demorou para ele perceber que aquela era sua segunda chance. Só que dessa vez ele conseguiria o que não tivera no passado (e não estava falando de casamento) e, de quebra, também teria sua vingança. 

"- Sua necessidade de me ferir. É inconcebível.
- Ora, Srta. Lyndon, ofende-me que pense que eu desceria a esse nível. 
- Não haveria por que descer - disse ela, fria. - O senhor sempre esteve em algum lugar entre a sarjeta e o inferno."

Com tantos ressentimentos guardados vindo à tona... existirá algum espaço para o amor? Um dia, a interferência de seus pais os separou e provocou anos de sofrimento... Agora... está nas mãos deles permitir que continuem destruindo suas vidas ou provar que tempo algum é capaz de apagar um amor tão forte. 

- Fico aqui me perguntando o que tanto desagradou alguns leitores. Foram as palavras do Robert? É possível. Ele diz algumas coisas cruéis sim. Embora nem chegue perto do que vários mocinhos que já conheci disseram em momentos de raiva. E o Robert ainda tem a vantagem de se arrepender. Não no último capítulo, mas bem antes disso. E ele disse mais coisas em pensamento do que diretamente para a Victoria. Se tem alguém que não tem a menor noção de como se vingar é ele.kkkkkk... Sabe aquele tipo de cão que ladra, ladra, mas é incapaz de morder? Assim é este mocinho, gente! As pessoas gritam sua revolta por ele, mas é um dos mais inofensivos que conheci. Seu amor pela mocinha era tão grande que ele nunca teria sido capaz de fazer algo para machucá-la. 

Entendo perfeitamente o que os dois sentiram ao se reencontrarem. Não sabiam a verdade da separação, o que realmente motivou tantos anos de sofrimento. Deixaram que a interferência de suas famílias provocasse mágoas, sem que o outro tivesse feito qualquer coisa que merecesse a opinião que criaram. Assim... quando o destino coloca um no caminho do outro novamente.... existe muito amor, mas ódio também. Uma raiva que já não podem guardar. Porque se acreditavam traídos. 

"Seria mesmo possível amar e odiar ao mesmo tempo?"

Só que numa disputa entre o amor e o ódio a gente sabe bem quem vence... Por isso, o Robert não conseguia. Prometeu para si mesmo que destruiria a reputação da Victoria, que a seduziria, arrastaria para sua cama e depois destroçaria sua vida. Cumpriu? Que nada! Nem tentou de verdade! 

Ah, mas ele a colocou em situações comprometedoras! Infernizou a vida dela, se aproveitou do fato dela odiar o trabalho que tinha para fazer uma proposta ultrajante! Primeiro: todas as vezes em que ficaram em situação comprometedora foi porque ambos foram levados pela paixão que sentiam. Segundo: quando sugeriu que ela fosse sua amante o Robert estava pensando mais na necessidade que tinha de tê-la em seus braços do que em qualquer vingança. 

"Ele sentiu o coração disparar e teve de procurar se lembrar que não gostava dela, que só queria seduzi-la e arruinar sua vida."

- Eu poderia responder a várias questões que os leitores levantaram sobre o livro, mas aí precisaria dar spoilers. Só o que posso lhes dizer é que o Robert está bem longe de ser o ogro que algumas resenhas que li pintaram. E olha que não li a história numa semana em que estava tolerante.rsrs Mas ele é um mocinho tão apaixonado, tão protetor, querendo dar o mundo à Victoria e consertar os erros do passado... que não dá para não amá-lo. É totalmente impossível. E eu sequer tentei odiá-lo. Não havia motivos pata tal coisa. 

Não digo que aprovo tudo o que ele fez, mas entendo seus motivos. Eu o teria desprezado se ele simplesmente desse ouvidos ao ressentimento da Victoria e a deixasse por sua própria conta. Que a apagasse de sua vida e seguisse em frente, ouvindo as palavras dela e não o seu coração. Porque tudo que a mocinha dizia contra ele era da boca para fora e até o observador mais negligente percebia isso. Ela estava com raiva, magoada e não queria que ele fosse embora. Dizia isso, mas sempre esperava que ele retornasse, que continuasse tentando reconquistá-la. O que o coração dela desejava era tê-lo de volta, ser sua esposa, como ele voltou a querer, arrependido da proposta ultrajante que tinha feito. Ele gritou aos quatro ventos que a queria como mulher, com um anel no dedo. E ela o recusou. Mas com palavras. Não com o coração. Ele ouviu o coração dela e não desistiu. Não vou condená-lo por isso. 

"Ele sonhara todos aqueles anos com ela, fantasiara com a vingança que colocaria em prática se a visse de novo. 
Mas agora que a vingança estava a seu alcance, não conseguia levá-la adiante. Algo dentro dela ainda falava ao seu coração e ele sabia que não viveria em paz consigo mesmo se propositalmente lhe causasse alguma dor."

- O que ainda posso dizer? Que recomendo que você largue tudo o que estiver lendo e corra atrás desta história, pois ela vai te emocionar, te fazer rir e sonhar acordada? Foi algo assim que eu fiz. Tinha lido resenhas negativas sobre o livro e aí li uma resenha super positiva de uma blogueira do signo de escorpião, que sabe fazer resenhas bem furiosas quando odeia um livro e que não tem a menor paciência com mocinhos canalhas. Ela compreendeu o mocinho, gostou muito do livro. Eu já estava decidida a passar a história na frente de outras desde que li as resenhas negativas, mas depois de ler a opinião da Beta, do Literatura de Mulherzinha, eu tive mais do que certeza de que a história iria me arrebatar. Porque se ela tinha gostado tanto do livro eu iria amar! Não tinha dúvidas!kkkkkkkk... 

"- Você me faz forte - disse ele. - Tudo o que é bom em mim... Você me faz assim. Com você, torno-me mais do que eu sou."

- Foram muitos os trechos que me emocionaram. Este casal conseguiu invadir meu coração de tal forma... Falei do meu amor pelo Robert, do quanto ele é irresistível e apaixonante. Mas a Victoria também é uma mocinha incrível. Por mais que ela faça o mocinho sofrer com sua aparente rejeição e não queira confiar nele novamente, desde o princípio ela nos encanta com sua personalidade. Ela é determinada, tem coragem, não deixa que ninguém fique controlando sua vida nem mesmo sua família. Eu me diverti muito com os diálogos entre ela e o Robert... O bom humor deles é contagiante. Mesmo quando estavam irritados eram capazes de dizer as coisas de maneira divertida e inteligente. Os amo muito! 

Poderia ficar horas e horas falando sobre a história. Se tenho dois livros preferidos da autora são: Mais Lindo que a Lua e Um Perfeito Cavalheiro. Ambos tratam de amor à primeira vista, de separação e reencontro... Mas no livro do Benedict e da Sophie eles não tiveram a chance de conviver como o Robert e a Victoria antes da separação. As duas histórias me apaixonaram. Tenho um carinho enorme pelas duas e não tenho a menor dúvida de que no final do ano, no post de melhores, vocês irão ver Mais Lindo que a Lua.kkkkk... É claro que já está na lista de inesquecíveis! Lugar reservado! :D

"- A vida não se trata de arrastar-se para baixo de uma pedra e ver o mundo passar, esperando que nada nos afete [...] - A vida é sobre se arriscar, sobre tentar alcançar a lua."

- Já desejo loucamente ler a história da irmã da Victoria. Quero mais de Julia Quinn, quero mais de seus romances que me levam ao céu. Suspiros... Estava com muita saudade de livros assim... que me tiram do mundo, que me fazem viajar por épocas diferentes, por amores tão fortes... 

"- Nós somos um só agora - sussurrou ele, tirando um fio suado de cabelo da testa dela. - Você e eu. Somos uma só pessoa."

- Sei que já deveria ter terminado a resenha, mas é tão bom, sabe? Ler um livro como este. Até mesmo nos livros é raro encontrar um amor tão lindo. Já li tantas histórias em que os mocinhos fazem as mocinhas comerem o pão que o diabo amassou para só no final se arrependerem e se redimirem (isso quando se redimem!) que é simplesmente delicioso ler um livro em que tudo é diferente. Mesmo querendo se vingar o Robert é maravilhoso com a Victoria. Conhecia seus sonhos, seus maiores desejos, até as mais insignificantes vontades. E se preocupava. Queria protegê-la, vê-la sorrir... Não permitia nunca que alguém a ofendesse. A defendia com unhas e dentes e se ela estava triste era como se a dor fosse nele. O Robert é um sonho. 

"Com certeza, nunca existiu uma mulher mais profunda e verdadeiramente amada do que você por mim."

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

17 comentários:

  1. Que livro maravilhosooo!!!
    Só a diva dos romances de Época para me tirar do meu bloqueio literário que eu me encontrava.
    Um romance fofo, meigo e super engraçado.

    ResponderExcluir
  2. Caraca, que resenha, Primeiro te entendo por as pessoas perguntarem como temos tempo para ler e eu ainda ouvir coisas ridículas por que leio muito e vejo seriados. Cada um sabe de suas prioridades, mas não li este livro pois tenho uma saga da autora ainda para ler e preferi outros titulos.

    ResponderExcluir
  3. A gente arruma tempo para ler e se reclamarem a gente lê o dobro!!!
    Quanto ao livro, tenho ouvido muitas pessoas falarem sobre o embuste que é este mocinho e estou curiosa pra ler e conhecer o casal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada de Julia Quinn, embora adore o estilo de enredo que ela escreve, falta de vergonha na cara, só pode! E quanto ao livro, muito comum ter essas divergências de gosto, coisa que raramente coincide é gosto. Já quanto a tempo, entendo o que você diz, mas não ligue para os falastrões, intrigas da oposição rs

    ResponderExcluir
  5. UaU!! que resenha hein???
    Amo Julia e obviamente lerei esse livro!
    Espero amar assim como a todos os outros e como você amou!!

    Beijinhos

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa, o livro realmente te envolveu, hein ? Sua resenha ficou maravilhosa. Eu amo os livros da Julia, mas ainda não li essa obra.
    Gostei de saber um pouco mais da história. E realmente, já vi vários mocinhos sendo meio cruéis, rsrs.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  7. Oiii,

    Esse livro já está na minha lista desde que foi lançado, primeiro porque é da Rainha né? Não acho que tenha como odiar algo escrito por Julia Quinn, mas realmente li algumas pessoas falando que não tinha curtido certos pontos mesmo. Espero conseguir conferir em breve e descobrir por mim mesma se agrada muito ou pouco rs.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Infelizmente, não tive a mesma experiência que você lendo este livro. Para mim, ele é o mais fraco que li da Julia Quinn. O problema para mim, por incrível que pareça, não foi o Robert. Apesar de achar que ele não chega aos pés do Anthony (meu mocinho preferido) e de nenhum dos outros Bridgertons, ele tem um bom senso de humor e também consegui entender as ações dele (mesmo não concordando). Porém, a Victoria me irritou muito. No começo, a mágoa dela fez sentido. Porém, da metade para o fim ela se comportou como uma menina imatura, inconsequente e indecisa. Esse comportamento dela acabou me parecendo que a Julia Quinn já não tinha mais o que escrever para esse livro e ficou enrolando para ele não ficar muito curto.
    Enfim, foi uma leitura rápida e divertida, mas achei muito abaixo do padrão da Julia Quinn. Mas, fico feliz que sua experiência de leitura tenha sido melhor que a minha e que você não se decepcionou com o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Sem querer arrumar treta, mas você sabe que o Benedict é um dos mocinhos menos amados da série, né?! rsrs Brincadeira, eu gosto dele também.

    Legal esse seu desabafo, quando gostamos de algo, arrumamos tempo para isso; sei bem como é ser julgada pelo amor à leitura.

    Amei essa sua análise do livro, confesso que as resenhas negativas tinham até me desanimado um pouco de ler ele, mas depois do seu post, com certeza vou tentar ler com um olhar mais aberto no protagonista.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, Maria Luíza e Marijleite!

    Maria Luíza, lamento que você não tenha gostado da história. :( Ele está empatado com o livro Um Perfeito Cavalheiro no número 1 de meus preferidos da Julia Quinn. No meu coração, superou todos os demais livros dos Bridgertons.

    Marijleite, eu sei!kkkkkkkkkk... O Benedict é o menos querido para muitos fãs, mas é o meu favorito! :D E fico muito feliz por saber que você também gosta dele!

    Espero que você ame o livro!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Esse não é o meu favorito da autora, mas em alguns momentos tanto a mocinha quanto o mocinho me tiraram MUITO do sério e eu fiquei com raiva. No fim, eu achei o Robert um babaca, adorável, mas babaca e a Victória uma maluquinha. Acabei gostando bastante e não parei a leitura até terminar. Adorei sua resenha e cara, concordo de todo meu coração EU DEVERIA VIVER PARA LER sem ter que fazer nada! Beijos

    ResponderExcluir
  12. Eu amei esse livro!
    Adorei a forma como a trama foi conduzida, como os personagens foram amadurecendo e a forma como a Julia tratou o amor á primeira vista pela primeira vez em suas histórias. Ri, chorei e me envolvi demais com os personagens. Foi uma ótima forma de começar o ano de leituras de época.

    Adorei sua análise.

    Um beijo,
    Barb.
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oii tudo bem??

    Sei como é não ter tempo para dedicar só a leitura, como queria.
    Esse livro ta na lista gigantesca que irei ler, mas ele parece um pouco diferente da escrita da autora, mais romance, menos cenas engraçadas, tenho que ler para saber.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  14. Oi querida!
    eu já li esse livro, e amei os personagens. Achei o enredo um pouco bobinha, mas nada que tenha me atrapalhado logo depois quando me envolvi um pouco mais na história do casal.
    Eu amo romance e época e tenho certeza que muitos vão gostar da obra da autora.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Uau, adorei o post. Realmente é tenso quando vc só quer ficar sentadinha lendo seu livro sossegada, mas precisa fazer trabalhos, seminários, arrumar a casa... triste ne? Mas a gente dá um jeito! Sobre o livro, eu quero muuito ler pois é um dos poucos atuais dr época que me chamou a atenção!

    ResponderExcluir
  16. Olá Luna, tudo bem?

    Confesso que a falta de tempo é crucial para sair as resenhas do jeito que queremos, e para da aquela atenção maravilhosa aos livros que realmente temos que ler.
    Juro também que já tentei ler inúmeras vezes os livros da Julia Quinn, mas acho que romances de época não são meu forte, porque acabo sempre achando o maior porre, rs. Sei que "Mais lindo que a lua" foi um divisor de águas, pois muitas críticas foram bem negativas, mas fico contente que você tenha gostado dele.

    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bom?
    Primeiro, te entendo com essa correria toda! Uns dois anos atrás eu fazia estágio (as vezes ficava o dia inteiro pra dar conta do serviço), fazia faculdade, estava na época do tcc, fazia espanhol, estudava para segunda fase da OAB e ainda tinha que arrumar tempo para as resenhas, leituras, ig e blog! E ouvia os mesmos comentários que você "queria ter seu tempo para ler". Não sabe o ranço que me dava! kkkkk
    Também não entendo todos os 'adjetivos' que deram para o Robert! rs Eu acho que ele tem problemas com não algumas vezes sim, mas não acho que seja canalha, escroto, babaca nem nada do que falaram. Só acho que é um cara que tenta fazer a coisa certa e mete o pé pelas mãos algumas vezes. Também amei o livro, apesar de não ser um dos meus favoritos, e não entendo todo esse ranço do povo rs
    Adorei sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo