28 de outubro de 2018

Alice - Lewis Carroll

Tempo de leitura:
(Tradutora: Maria Luiza X. de A. Borges
Editora: Zahar
Edição de: 2010)


Obras-primas de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho há mais de um século encantam crianças e adultos. Instigante, divertida, inusitada, profunda, a saga de Alice é inesgotavelmente interpretada, parodiada, filmada, citada... e, claro, lida. 

Esta charmosa edição de bolso contendo os dois clássicos, inédita no mercado brasileiro, traz os textos na íntegra e mais de 40 ilustrações originais de John Tenniel. Imperdível! 

Tradução vencedora do Prêmio Jabuti. 



Palavras de uma leitora...



- Uma das minhas metas deste ano que já está chegando ao fim (por incrível que pareça!) foi adquirir e ler mais livros clássicos. Uma meta que deu super certo mesmo nos meses mais difíceis. Na verdade, eu comecei a investir mais em clássicos ainda no ano passado e quando tive a oportunidade de trazer Alice para casa nem hesitei. Queria muito descobrir o que a história tinha de tão especial para encantar tantas pessoas de todas as idades. E confesso que não consigo compreender.rsrs Terminei a leitura sem saber por que este livro é considerado um clássico da literatura. 

Claro que quando eu era bem novinha tinha um interesse grande pela história. Lembro de uma ocasião em que, com uns oito anos de idade mais ou menos, eu fiquei muito ansiosa porque ia passar o filme no Sbt (acho que era nesse canal). Passei o dia inteiro naquela agonia, desejando que as horas passassem logo, pois eu nunca tinha tido a oportunidade de assistir e já acreditava que AMAVA.kkkkkk... Fiquei tão, mas tão obcecada que o resultado foi bem óbvio: passei mal. Vomitei, queimei de febre e tive que ir pro hospital. No final das contas não vi o filme e chorei muito por causa disso.rs 

No início da adolescência, quando já era uma leitora, fiz minha primeira tentativa de ler Alice no País das Maravilhas. Peguei o livro emprestado na biblioteca do meu colégio e lá mesmo comecei a leitura, o que acabou não funcionando. Logo na primeira página eu já fiquei entediada. Não sei o que se passou. Realmente tentei seguir em frente, mas não me envolvia e larguei. Pelo que lembro, eu nem trouxe o livro para casa. Devolvi no mesmo dia. 

- Agora, tantos anos mais tarde, tentei pela segunda vez. E embora não tenha ficado nem um pouco entediada e até tenha me divertido em alguns momentos, sou incapaz de entender o motivo de tanto alvoroço por esta história. Existem livros infantis muito mais interessantes e envolventes que a história de Alice no País das Maravilhas ou sua segunda aventura ao viajar Através do Espelho. O livro é muito bom, não nego. Tem ritmo, as coisas acontecem rapidamente e é impossível interromper a leitura, mas no final das contas cheguei à conclusão que a personagem era apenas maluca e ninguém tinha coragem de lhe contar.rsrs Exceto o gato, claro. Como gatos costumam ser criaturas muito sinceras, ele não mede as palavras ao dizer que ela é doida. 

"Como sabe que sou louca?" perguntou Alice. 
"Só pode ser", respondeu o Gato, "ou não teria vindo parar aqui."

- Claro que eu concordo completamente com o Gato, embora seu eterno sorriso me provocasse calafrios, bem como sua mania de não aparecer com o corpo inteiro, às vezes só a cabeça.rsrs Sim, o mundo no qual a Alice entra é bem perturbado, mas com o tempo a gente até se acostuma. 

A história Aventuras de Alice no País das Maravilhas começa quando a protagonista, muito entediada por não ter nada para fazer a não ser ler um livro desinteressante (por não ter figuras nem diálogos) fica fascinada quando, de repente, passa por ela um coelho muito "esquisito". Afinal de contas, desde quando coelhos usam roupas e relógio? Além disso até onde conseguia se lembrar eles também não falavam. Como a curiosidade era mais forte que tudo, ela achou perfeitamente normal entrar na toca atrás do coelho e assim mergulhou no tal país das maravilhas, onde as coisas mais impossíveis aconteciam. É neste mundo paralelo que conhece a Rainha de Copas, com sua famosa frase "Cortem-lhe a cabeça!" (que sempre me fazia pensar no Rei Henrique VIII da Inglaterra, bem como em Revolução Francesa), o Gato, tem uma conversa breve com o Coelho que a motivou a segui-lo, encontra a Duquesa (uma personagem tão estranha quanto os outros), recebe ordens de um rato e vive diversas aventuras extraordinárias.

Sobre esta primeira parte do livro eu posso dizer que foi a mais doida de todas, não que a segunda parte não seja perturbada, mas achei aquele negócio da Alice crescer ou diminuir, conforme comia o que não devia, muito sem noção.rsrs Me deixava tonta!kkkkk... Num instante a personagem crescia até ficar maior que tudo ao seu redor e depois diminuía até quase desaparecer... me dava nos nervos. E suas conversas com os personagens... eu estava quase me internando num hospício. Tudo bem que quando criança eu conversava com a minha Minnie (minha amiga de pelúcia que era quase do meu tamanho) como se ela de fato falasse e pudesse me entender, bem como tinha amigos imaginários, mas o caso da Alice é mais grave.kkkk

Esta fase do livro termina de forma um tanto abrupta, no momento mais interessante.rsrs E aí percebemos que tudo não passou de um sonho (será?). Que ela simplesmente adormeceu enquanto estava na ribanceira com a irmã. 

A segunda parte, intitulada Através do Espelho e o que Alice encontrou por lá, não é muito conhecida pelos fãs da história. As pessoas, em sua maioria, leram apenas Alice no País das Maravilhas, enquanto sua continuação ficou esquecida. Já que eu mergulhei na fantasia do primeiro livro e que os dois fazem parte da edição que eu tenho da editora Zahar resolvi ler o outro em seguida e posso dizer que é o que prefiro. A continuação é mil vezes mais envolvente que sua primeira parte, ainda que os personagens sigam doidos demais para minha saúde mental.rsrs 

Através do Espelho começa após a Alice ter uma discussão com a filha de sua gatinha Dinah. A pequena tinha sido malcriada e a protagonista a estava repreendendo, como se ela tudo pudesse entender (eu também faço isso com a minha gata, então a Alice e eu podemos ir juntas para o hospício.rs). No meio disso tudo ela começa a falar de um mundo existente do lado de lá do espelho, um mundo que era o contrário do dela. No meio de sua imaginação sobre o lugar ela acaba por atravessar o espelho e mergulhar numa aventura toda nova, onde muitos dos personagens eram peças de um jogo de xadrez (eu disse que esta parte era mais interessante). O que achei muito curioso era o certo conhecimento que Alice tinha deste jogo, algo que eu própria não tenho. E, claro, que eu não poderia deixar de lembrar de Harry Potter e o jogo "vivo" que o Rony enfrentou na reta final do primeiro livro da série. Inesquecível!

A personagem mais interessante desta segunda parte foi a Rainha Branca e suas memórias do futuro.kkkkkkkk... Foram os momentos protagonizados por ela que me fizeram rir com vontade.rsrs 

"Viver às avessas!" Alice repetiu em grande assombro. "Nunca ouvi falar de tal coisa!"
"... mas há uma grande vantagem nisso: a nossa memória funciona nos dois sentidos."
"Tenho certeza de que a minha só funciona em um", Alice observou. "Não posso lembrar coisas antes que elas aconteçam". 
"É uma mísera memória, essa sua, que só funciona para trás", a Rainha observou."

- E o que a Rainha Branca mais lembra são das coisas futuras.rsrs Vocês não têm noção do quanto ri quando a rainha começou a gritar porque espetaria o dedo. Ela gritou e sentiu a dor antecipadamente, prevendo que dali a minutos espetaria o dedo quando tentasse prender o xale. Aí, quando finalmente o previsto aconteceu (algo que poderia ser evitado já que ela sabia que aconteceria.rs) ela nem sentiu nada. Porque já tinha sentido tudo antes e no momento em que a dor realmente deveria ter vindo não tinha mais graça. Que coisa maluca!rsrs 

Em resumo posso dizer que mesmo sendo histórias totalmente doidas vale sim muito a pena ler. Sobretudo para as crianças, nossos filhos, sobrinhos, afilhados etc. Embora eu não veja o livro como um clássico reconheço seu valor e importância para os pequenos. São histórias recheadas de fantasia, do tipo que realmente é capaz de fascinar as crianças, de fazê-las mergulhar no mundo da imaginação e viver aventuras incríveis. 

Ter infância é algo valioso. Viver essa fase tão bonita e inocente, tão cheia de sonhos e ilusões não tem preço. É um direito e, infelizmente, muitas crianças neste mundo são privadas de sua infância e são obrigadas a crescer cedo demais. O livro Alice nos faz pensar nisso. Embora eu tenha dito que a personagem era "maluca" deu para vocês perceberem que eu não falava a sério. Alice era simplesmente uma menininha de menos de oito anos, gente. Sendo criança! Vivendo um mundo de imaginação, criando e recriando, curtindo sua melhor fase. 

Num país onde incentivar a leitura, onde dizer "mais livros e menos armas" é visto como algo absurdo, como uma manifestação contra um determinado candidato, a desesperança aumenta. Temos uma real noção de quanta falta fazem os livros na vida das pessoas. Não apenas falta de leitura dos mesmos, mas de compreensão. Porque de nada adianta lermos se não somos capazes de entender nada. 

No que depender de mim sempre levarei livros às crianças e às outras pessoas. Porque a leitura nos faz seres humanos livres, abre nossa mente contra a manipulação. E eu quero saber que fiz todo o possível para que as crianças da minha família e as outras que conheço tivessem conhecimento. Pudessem mergulhar em histórias que não só as encantariam, mas que abririam portas para a absorvição de conhecimento. 

No início do ano eu escolhi Alice como minha leitura de outubro de propósito. Por ser o mês das crianças. :) Infelizmente, não consegui lê-lo até o dia 12, mas pelo menos foi dentro do mês.kkkkk... 

Enfim... Recomendo muito o livro!

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

15 comentários:

  1. Um clássico maravilhoso que eu tenho em casa que já li e reli muitas vezes. Pretendo ler mais uma vez com minha filha..
    Eu já vi adaptações diversas e é uma das histórias que mais amo, tanto que tenho uma tatuagem nas costas que faz referência a ela. Tenho o Gato e plaquinha indicando o País das Maravilhas, um dia eu mostro..

    Sua resenha está bem descrita.
    Sabe que nem vejo Alice como um livro tão infantil assim, pois tem tantas referências a situações adultas e reflexões..

    Beijos.
    Além das Páginas.

    ResponderExcluir
  2. acredita que nunca li? haha. mas sei da história em si (como não saber, né?) e seu post me lembrou que PRECISO ler o quanto antes! que pena que não conseguiu ler no dia das crianças, mas tá em tempo sim, haha

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  3. Oi, Luna!
    Nunca li "Alice no País das Maravilhas" e nem "Alice Através do Espelho", mas os dois estão na minha lista dos próximos livros que quero comprar. Eu tinha um professor que me falava muito sobre esse livro. Ele me dizia que era um livro mais adulto do que infantil, pois era uma metáfora sobre o uso de drogas. Não sei se isso é real, pois nunca pesquisei sobre isso e nem li o livro, mas achei a ideia interessante de se pensar. hahaha
    Gostei de ler sua interpretação sobre a Alice ser apenas louca. Eu sou aquele tipo de pessoa que ama personagens loucos, então acho que iria gostar dela e da história mesmo com um monte de coisas absurdas acontecendo. hahaha
    Espero ler esse livro logo. Adorei seu post! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Acredita que nunca li Alice no país das maravilhas?! Uma vergonha né. Hahaha
    Sempre vejo várias analogias e pessoas fazendo referências a esse clássico que ainda pretendo dar uma oportunidade.
    Apesar de personagens que possam passar apenas por infantis, é sem dúvidas um dos muitos livros indicados para os adultos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Adorei sua resenha!! Ela me trouxe um sentimento de nostalgia, pois minha história com os livros de Lewis Carroll foi igual a sua durante a adolescência... Até hoje ainda não reli esses livros, mas quero muito, pois da primeira vez não aproveitei as histórias.

    ResponderExcluir
  6. Que edição mais linda!
    Eu amo a história de Alice, mas ainda não li Alice Através do Espelho e estou muito curiosa. Adorei ler a sua resenha e gostei muito de poder conhecer um pouco mais sobre essa parte da história que eu ainda não conhecia, com certeza vou me apaixonar.

    ResponderExcluir
  7. Eu tentei ler clássicos, mas foquei nos nacionais e foi uma grata surpresa. Nunca li esse livro, apesar de conhecer a história através de suas inumeras releituras.
    Fiquei bem curiosa para conhecer as doideras da prmeira parte do livro e a segunda parte com certeza seria bem vinda, pois eu sou uma dessa pessoas que se limitou ao PAÍS Das Maravilhas.
    Quero ler.

    Beijos
    https://acabinedeleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Eu também nao vejo essa obra como um clássico, mas acho que é porque acho algo viajado demais hahaha no entanto, essa edição da Zahar é lindinha demais, vivo presenteando as pessoas com ela.

    ResponderExcluir
  9. Ah eu era tão apaixonada na Alice quando criança... Li o livro no ano passado e amei a forma como tudo foi escrito, é impossível não se apegar aos personagens e de certa forma viver todas as aventuras ao lado da pequena Alice. Sou louca por essa edição e mal posso esperar poder compra-la para reviver toda essa gostosa aventura.

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Confesso que preciso organizar as minhas leituras, para poder ler mais clássicos ou até mesmo títulos que acabo deixando de lado. Acredita que eu não sabia que existia uma segunda história de Alice? para mim só tinha o primeiro livro. Gostei de saber disso, e vou conferir essa trama.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Eu me lembro de ter visto e amado o filme, aí quando meu irmão mais novo pegou o livro Alice no País das Maravilhas emprestado na biblioteca da escola, corri pra ler e... não foi tudo o que eu esperava, não encontrei todo o encanto que vi no filme. Bom saber que essa segunda parte é mais interessante, vou procurar pra ler.

    ResponderExcluir
  12. Esse clássico é maravilhoso, mas se analisarmos bem, o país das maravilhas é o outro lado do eu de Alice. É o lado conturbado dela, segundo estudiosos. Mas fora isso, é uma história que deve ser contada sempre para as crianças, eu gosto muito!

    ResponderExcluir
  13. Olá amore,

    Ai que amor!!!
    Que capa mais linda!
    Gostei dessa coisa de meta anual - nos faz sair da zona de conforto né!
    Gostei de sua sinceridade rs!
    Mas confesso que mesmo tendo 30 anos nas costas eu ainda me encanto com a história de Alice!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  14. Oi oi querida,
    Eu ainda não li nenhuma das obras do Lewis, mas pretendo começar a ler Alice ano que vem. Gostei da sua iniciativa e espero gostar da obra, pois, mesmo com elogios e pontoa positivos eu posso não me agradar muito do segundo livro. A sua resenha foi bem simplória, já que o livro é bem famoso e todos já tem uma noção da história.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  15. Oii.
    Essa edição de Alice é muito linda. Já tem um tempo que namoro os clássicos da Zahar, mas nunca sobra grana, triste.
    Quero muito ler esse clássico que inspirou tantas outras histórias.
    Amei o post.
    Bjs Mary

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo