13 de maio de 2018

Sol em Júpiter - Lola Salgado

Tempo de leitura:
(Editora: Harlequin
Edição de: abril/2018)


Sol Leão tem uma vida invejável.

Bonita e autoconfiante, ela mora em um apartamento de frente para a praia e seu canal no Youtube, Delírios de Juba, acabou de atingir a marca de 6 milhões de inscritos. Para completar, acaba de ser pedida em casamento pelo homem dos seus sonhos. Mas será que seus dias são tão perfeitos quanto parecem ser nos vídeos e nas fotos do Instagram?

Em um momento catastrófico, Sol conhece Júpiter, um rapaz de sorriso fácil e olhos incrivelmente azuis. Com o coração balançado, ela começa a questionar a vida que tem levado até agora e a imagem que se sente obrigada a manter para seus fãs. Quando, durante uma transmissão ao vivo para milhares de pessoas, Sol faz uma terrível descoberta, ela vê a muralha que tinha construído ao seu redor desmoronar e é obrigada a encarar medos e inseguranças do passado. Ainda bem que Júpiter está ali, com suas covinhas irresistíveis, para ajudá-la a encontrar forças dentro de si e dar a volta por cima, mostrando que a vida pode, sim, ser leve, mesmo quando o universo parece querer provar o contrário. 



Palavras de uma leitora...


Sol, mais conhecida como Juba por conta do seu canal, é uma youtuber de 23 anos que está no auge de sua carreira. Nada na sua vida poderia ser mais perfeito, até porque ficou noiva e atingiu a marca de 6 milhões de seguidores quase simultaneamente. Era para estar se sentindo no paraíso e realmente se sentia feliz, mas... faltava alguma coisa. Talvez a verdade. 

Ela criou seu canal num dos momentos mais traumáticos de sua vida, quando sentia que precisava desabafar e ser ouvida por alguém. Não tinha a intenção de ser famosa... só precisava falar. Havia passado muito tempo guardando apenas para si mesma o que sentia, enquanto era vítima de bullying na escola por ser gordinha, por ter os cabelos cheios e por todos os outros motivos que seus colegas inventassem. A perseguição era tanta ao ponto de utilizarem um dos seus maiores medos contra ela. Foram muitos anos aceitando uma vida assim. Estava mais do que na hora de reverter as coisas ao seu favor. Foi então que, pela primeira vez, ela gravou um vídeo... e depois outro... e não parou mais. Os seguidores não vieram aos montes logo no início, mas num momento aconteceu e então ela explodiu na internet. E o que era para ser libertador tornou-se uma prisão, pois mais uma vez deixou de ser ela mesma para ser o que as pessoas queriam; dessa vez essas pessoas eram seus seguidores. 

Embora fosse um exemplo para milhões de mulheres, que passaram a se aceitar como eram por conta do seu canal, Sol passou a viver uma grande farsa. Porque usava o que não gostava para manter a imagem que construiu, postava fotos de momentos que jamais viveu e ainda por cima pintava um relacionamento perfeito ao lado do noivo que na verdade estava bem longe de ser maravilhoso. O que era verdadeiro em sua vida? 

Foi num dia particularmente estressante, em que tudo parecia dar errado, que ela o conheceu. Por mais constrangedor que tenha sido o primeiro encontro, Sol não conseguiu tirá-lo de sua cabeça. Por uma ironia do destino, seus caminhos se cruzam outras vezes... dando a ela a chance de viver algo real. 

Júpiter não fazia parte do seu mundo. Eram de muitas formas diferentes, mas quando estava com ele... podia ser ela mesma. Vestir o que quisesse, dizer o que realmente pensava, desabafar sobre seu passado, seus sonhos... até mesmo sofrer uma crise de pânico sem temer que a considerassem uma maluca. Ele estaria ao seu lado. A apoiaria em qualquer momento. Com ele tudo era tão simples... Mas ela estava noiva de outro homem. E milhões de pessoas esperavam que se casassem. Será que ela conseguiria fazer o que desejava pelo menos uma vez? Ou cederia ao que os outros queriam para sua vida? 

"Todas as fotos que vinha postando ultimamente eram apenas simulações de dias que nunca vivi."

- Quando iniciei esta leitura pretendia ler algo leve, sobretudo depois de um livro pesado como O Caçador de Pipas. Queria relaxar, me divertir ao lado de um romance bem levinho mesmo. E o livro cumpre bem esse papel. Passei momentos agradáveis ao lado dele e como não tinha criado fortes expectativas não me decepcionei de modo algum. E de brinde ainda pude me apaixonar pelo Júpiter. :)

O que eu não esperava era considerar a protagonista tão superficial. Tinha uma ideia diferente dela e ela foi o completo oposto do que imaginei. Não porque vivesse uma mentira na internet, mas porque não consegui enxergar profundidade nela. E eu não sou a maior fã de personagens "assim", cujo interior é inacessível para quem lê. Ela falava de seus sentimentos, mas é tão difícil acreditar em alguém que não te mostra nada além. E para falar a verdade terminei a leitura sem sequer acreditar que ela realmente amava o Júpiter. Foi impossível e lamento bastante, pois se tinha um personagem que merecia ser amado de uma forma intensa e apaixonante era o Júpiter. Porque ele é o que me faz lembrar do livro com um sorriso, ele sim me permitia enxergar tudo o que ia em seu interior... tantos sentimentos, tantos sonhos e o amor que foi surgindo e crescendo pela Sol. Embora a história tenha se focado na Sol, embora ela fosse o centro de tudo, era quando o Júpiter aparecia que eu devorava as páginas, querendo mais e mais dele, de seu passado, presente e planos para o futuro. Cada conquista dele me fazia querer gritar e abraçá-lo. Ele merecia tanto ser feliz. Merecia mesmo. Por isso não sei se a Sol era realmente a mulher certa para ele. Pronto, falei.kkkkkkk... Me matem, mas infelizmente é o que penso. 

"Não precisei fingir gostar de saltos, nem estar impecável. Não precisei usar a máscara que sempre colocava quando gravava vídeos para o Youtube. Era apenas eu e nada mais."

Eu tentei muito compreender a Sol. Mas ela nem mesmo conseguia fazer uma só escolha por si mesma, era tão dependente do que os outros iam pensar ou deixar de pensar que tudo o que chegou a me provocar foi uma leve compaixão. Porque ela tinha consciência da farsa que era sua vida e não tinha a menor intenção de mudar isso, uma vez que mais seguidores eram sempre bem-vindos e além disso precisava manter os conquistados. Tinha sempre que alimentá-los com fotos de momentos que não existiram, dizer o que queriam escutar, viver o que queriam que ela vivesse e até mesmo se casar com quem eles aprovavam. Ninguém a obrigava a nada. Ela vivia daquela maneira por escolha, pois quando as pessoas começaram a segui-la foi por sua verdade. Foi por causa de seus desabafos, por pretender aceitar a si mesma como era e incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Muita gente tinha aprendido a se amar por causa dela e o mínimo que poderia fazer era manter isso, mas aí ela construiu uma imagem e tornou-se prisioneira disso. No final das contas, trocou uma prisão por outra. E por mais que não estivesse satisfeita com a maneira como estava vivendo queria que o número de seguidores aumentasse. Então, para ela valia a pena. 

- Outro ponto que preciso comentar antes de falar do meu Júpiter (sim, já o considero MEU e não divido!rsrs) é a amizade entre a Sol e a Clarice. Ou melhor, o quanto ela tenta nos mostrar que são melhores amigas. Tenta mesmo. E acredito que eram sim, mas não duas amigas adultas.rsrs Deus do céu! Seria impossível eu não mencionar isso, pois chegava a parar a leitura não acreditando no que estava lendo. Eram diálogos de adolescentes de quatorze anos. Sério, quando elas estavam juntas pareciam meninas bem jovens conversando e trocando brincadeiras. Eu até me senti de volta a minha adolescência, quando tinha meus doze, treze anos. Sol tem 23 anos. Eu rezava para que elas aparecessem juntas o menor número de vezes possível. Porque de tanto querer mostrar que eram tão amigas o relacionamento das duas acabou parecendo, na minha opinião, infantil. Não pude ignorar isso. 

Só mais uma coisinha e juro que falarei só do Júpiter depois: desnecessária a quantidade de vezes que a Sol se referiu ao membro sexual do mocinho. Na primeira vez, ela usa duas palavras "sinônimas" na mesma página. Até aí, ok. Só que na reta final do livro, numa mesma página ela utiliza uma palavra para se referir a "ele" umas quatro ou cinco vezes. Não estou brincando. É numa mesma página! Desnecessário, na minha opinião. A gente já tinha entendido o que ela quis dizer na primeira vez, não precisava repetir outras quatro.rsrs

Vamos ao Júpiter agora?! :D

"A cada recordação boa eu era tomado por um desespero terrível. Um sentimento de urgência trazido pela ideia de que tudo era efêmero. Até mesmo nós.
Principalmente nós."

Após perder o pai de maneira trágica aos 16 anos de idade, o mundo dele se transformou por completo. De repente, deixou de ser um adolescente comum, como outro qualquer, e passou a assumir o lugar deixado por aquele que durante quase toda sua vida havia sido seu herói. Como se não bastasse a decepção intensa causada pela traição do homem que era o seu exemplo, teve que lidar com a bagunça que ele deixou. Toda sua família estava destroçada e se ele não fizesse alguma coisa logo desmoronaria de vez. Assim, não teve outra alternativa senão abandonar os estudos e ir atrás de alguém que estivesse disposto a contratar um garoto que precisava sustentar sua família. 

Anos depois, ao olhar para trás, poderia sentir-se orgulhoso de tudo o que havia feito por aqueles que amava. E embora tenha precisado fazer supletivo para concluir os estudos e trabalhar loucamente todos os dias, tudo tinha valido a pena. Porque não abandonara sua família. Enquanto eles estivessem juntos tudo ficaria bem. E na vida não se deve lamentar pelo que deixamos de fazer ou os sonhos dos quaisabrimos mão. É preciso seguir em frente e fazer cada momento ser único. 

Não que não sentisse falta do garoto despreocupado que tinha sido... do sonho de cursar a universidade... Mas entre lamentar e correr atrás preferia a segunda opção. 

- Foram pouquíssimas as vezes que a autora deu ao Júpiter a oportunidade de falar em primeira pessoa. A narrativa do livro quase toda é feita pela Sol, já que a história gira em torno dela. Mas cada vez que ele tinha a chance de nos mostrar mais de si, de sua vida, era incrível. Eu queria que o livro fosse inteirinho narrado pelo Júpiter porque aí sim eu amaria. Ele era a parte que me encantava. Seu relacionamento com os irmãos (embora não tenhamos a oportunidade de acompanhar mais momentos deles juntos), sua garra, a maneira simples como ele dizia o que pensava ou sentia e impressionava a Sol, pois era bem diferente dela. E o seu amor por ela. É engraçado isso. Temos bastante da mocinha o livro todo. E o Júpiter que não aparecia tanto quanto ela e nem tinha tanto protagonismo era o personagem que mais me passava verdade. Não é irônico isso? No amor dele eu acreditei. Antes mesmo que ele percebesse que o que estava começando a sentir era amor a gente já era capaz de enxergar isso, pela maneira linda como a tratava. 

"Todos tínhamos nossas cruzes. Eram diferentes, é claro, mas machucavam da mesma maneira."

Não tinha como eu não me apaixonar por ele. E só desejei que a autora tivesse lhe dado um maior destaque. Ela poderia te equilibrado as coisas, em vez de deixar a Sol tão em evidência. Tinha como os dois personagens terem o mesmo espaço. 

No fim, fiquei na dúvida se a Sol era ou não o ideal para alguém como o Júpiter. Ela era superfície e ele era profundidade, entende? Sei que os opostos se atraem e tudo o mais. Só que... sinto que há um desequilíbrio. Como se ele sempre fosse amá-la mais do que ela será capaz de amá-lo algum dia. Ele vai sempre dar mais de si. Vai ser sempre a força que ela precisa. Com certeza, ela é sortuda.kkkkkkk... Mas... e ele? O justo é que receba na mesma medida que dá. Que também possa estar vulnerável e saber que ela estará lá para ele. Que será seu apoio. Eu não sinto isso na Sol. Por esse motivo, creio que ele merecia alguém diferente. 

- Não odiei esta história. Como podem ver só por ter conhecido o Júpiter já valeu muito a pena. Eu não abriria mão de conhecer esse personagem que me conquistou. Mas com a Sol tive muitos problemas. Não a detestei nem nada. Só que... ela nunca me permitiu ver mais do que uma menina infantil em vários momentos, que vivia como os outros queriam e era, de muitas maneiras, superficial. 

"Esqueci de viver porque fiquei muito ocupada atuando. Fingindo ser alguém de quem nem ao menos consigo gostar."

- O trecho acima me faria simpatizar com a protagonista se ela não tivesse recebido de bandeja a oportunidade que precisava para fazer o que queria. Como explicar sem soltar spoiler? Bem... Basta eu dizer que não foi uma atitude que ela tomou. Simplesmente alguém facilitou as coisas para ela e não foi necessário arriscar para ter o que queria. Assim sendo, ela seguiu sem decidir nada por conta própria. Não precisou escolher. Mesmo que fosse algo tão importante. 

Só vou repetir para que não haja dúvidas: meu problema com a Sol não foi o fato de ela viver uma farsa, atuar, ser o que os outros queriam. Porque, na verdade, todos nós num momento, em outro, ou em todos, fazemos isso. Quantas vezes não mostramos para alguém exatamente o que a outra pessoa espera da gente? Quantas vezes construímos uma imagem e fingimos ser como não somos só para não decepcionarmos nossa família, amigos, companheiro? Até mesmo somos capazes de optar por uma profissão que não amamos só para agradar nossos pais. Todos nós já fizemos algo semelhante em algum momento de nossa vida. Eu não teria problemas com a personagem só por causa disso. A questão é que ela queria alimentar uma imagem e sofrer na prisão estúpida na qual se colocou porque necessitava de números. Precisava disso pra viver e nada era mais importante que isso. E além disso temos o principal: a personagem não me permitiu ver nada além do que era mostrado na superfície. Então, não deu. Lamento muito, mas foi impossível compreendê-la.

- Recomendo a história?! Bem... o Júpiter FAZ PARTE DESTE LIVRO!!!!!!! E nunca me esquecerei do livro por causa dele. Os demais personagens são esquecíveis. A Vênus nem tanto, na verdade. É outra personagem que merecia mais destaque. Se a Lola resolver escrever um livro sobre ela lerei com certeza! Para quem não sabe, a Vênus é irmã do Júpiter. :)

Dei ao livro 3 estrelas no Skoob. 

Bem.. É isso, meus queridos. 

*Este livro foi recebido em parceria com a editora Harlequin. E além da leitura ter valido a pena por causa do Júpiter existe também a questão de ajudar na minha meta de ler mais nacionais em 2018. 

O próximo nacional que lerei será Pertinácia, de uma autora muito fofa. Nunca tive a oportunidade de ler nada dela, será a primeira vez e estou cheia de expectativas, confesso. A Sue Hecker é um amor de pessoa e espero com todo o meu coração amar o livro dela. Estou torcendo imenso por isso. 

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

16 comentários:

  1. Bom dia, sua resenha está incrivelmente pontuada nos trechos certos para atrair o leitor. Tenho certeza que quem curte o gênero irá no mínimo ficar curioso.

    Eu não me atrai tanto, pois estou em uma fase de leituras de thriller psicológico e terror. Suas palavras quanto à apenas o
    Júpiter ser o único personagem memorável, também foi desestimulante. As vezes tenho a mesma impressão de que alguns personagens deveriam ter mais destaque e então assim o enredo se tornaria mais interessante, quem sabe?

    Passo a dica, mas agradeço que a tenha compartilhado conosco.

    Abraços.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente não curto muito a premissa de livros assim, mas para fãs de youtubers deve ser um ótimo livro, ainda mais por retratar a farsa que muitos vivem pelas redes sociais. Mas no geral não me agrada, então passo a dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Uau que resenha mais detalhada.
    A premissa é interessante, mas esse universo com youtubers não me deixa muito confortável para leitura. Já tentei ler alguns e me decepcionei com o desenrolar do enredo.
    Sua resenha tem pontos que me agradam então por enquanto vou deixar em aberto pois posso vir a ler mais pra frente.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Eu até fiquei um pouco curiosa em ler este livro pois a pessoa que o editou acabou me dando aula em um curso, mas não sei, ao chegar ao final de sua resenha extremamente completa, se no momento ele seria uma boa leitura. Mesmo assim deixarei o título anotado como dica. Vai que né, rs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oii.
    Já separei esse livro para ler, stou bem animada para essa leitura, principalmente porque é uma autora nacional e essa edição da Harlequin está muito maravilhosa.
    Bjs Mary

    ResponderExcluir
  6. Oiiii,

    Tenho ouvido muitas coisas sobre esta obra e cada dia mais fico curiosa. Quero saber como Júpiter entra na vida da Sol e como as coisas se desenrolam. Espero poder conferir esta leitura em breve.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  7. Eu li este livro faz poucos dias e te entendo quanto a superficialidade da protagonista. Ela me irritava e as vezes me divertia, mas no geral, eu adorei o romance e dei muitas risadas.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Que pena que a protagonista é superficial! Queria muito conferir a leitura mas não sei se tenho saco pra aguentar a Sol, haha

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu já tinha visto a capa desse livro por aí, mas foi lendo sua resenha que fiquei sabendo sobre o que se trata. Eu achei o enredo interessante, porém, suas ressalvas em relação a Sol me deixaram com o pé atrás.
    Por outro lado, já fiquei um pouco apaixonada pelo Júpiter só de ler a sua resenha. Então, acho que vale a pena arriscar e ler.
    Adorei a sinceridade da sua resenha e vou anotar a dica para tirar minhas conclusões e ver se também me encanto pelo Júpiter.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Luna!
    Nossa, desanimei um pouco com essa leitura... Se por um lado o Júpiter é um fofo, por outro a protagonista não convence, mesmo o livro tratando de um assunto interessante que é a imagem que a pessoa faz de si mesma em rede social em troca de popularidade, quando ela passa ser o oposto da realidade.
    Ainda não sei, a temática é interessante demais para deixar passar, mas vai que eu acabe simpatizando um pouco com a Sol.
    Gostei da sua resenha, ela mostrou realmente o que vc sentiu com a leitura, tantos os pontos positivos quanto os negativos.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  11. Oie Luna!
    Após ler a resenha fiquei na dúvida se realmente quero ler esse livro. De cara já bateu aquela birra da personagem Sol, sei lá posso até estar sendo precipitada no julgamento.

    Beijos
    Lu Zuanon Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  12. Olá, Lu!

    Eu compreendo. Não sou fã da Sol, não gostei muito dela, não. No entanto, vale a leitura pelo Júpiter e para ver se você acaba até mesmo gostando, tendo uma opinião diferente da minha.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Quando vi que esse livro seria lançado, fiquei bem interessada em fazer a leitura, mas algumas resenha me desmotivaram um pouco, não gosto muito dessa coisa de um personagem ser superficial, por mais que legal que ele seja. Outra coisa que não curti tanto foi a questão de os personagens serem tão opostos e de Júpiter não ter tanta vez na narrativa. Entretanto, acho que preciso ler para saber o que vou achar.
    Adorei sua resenha, está perfeita!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá , tudo bem?
    Sei que você procurava uma leitura leve, porém acho que você errou na escolha do livro. Simplesmente ele não conseguiu me encantar, Júpiter me pareceu ser um personagem bem caricato e cheio de falhas, o que deixa a história meio sem sentido. Acho que não conseguiria me aventurar na leitura.

    ResponderExcluir
  15. Olá Luna!!!
    Pelo que notei meu comentário não ficou por aqui, mas vamos falar novamente sobre esse livro que você leu e bem me fez pensar um pouco.
    Realmente, às vezes a gente acaba abrindo mão de algumas coisas que nos faria feliz pelas pessoas e isso é normal pois é uma característica humana pensar antes nos outros do que em nós mesmos.
    Mas em relação a personagem, enquanto lia sua resenha eu percebi que a personagem passou a mesma sensação que um personagem que eu li de um livro a algum tempo chamado "Fera", eu também preferia que a história tivesse sido narrado por outro personagem.
    Porém, fico muito feliz que o livro tenha ao menos lhe trazido um amor literário e que você não quer dividir kkkkkkk
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi.

    Adorei a resenha, mas não senti muita vontade de ler esse livro. A capa não me atraiu muito e Eu acho que a narrativa, o enredo não me agradaria muito. Vou passar a dica dessa vez.

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo