9 de agosto de 2019

Boneco de Neve - Jo Nesbø

Tempo de leitura:
Literatura Norueguesa
Título Original: Snømannen
Tradutor (a): Grete Skevik
Editora: Record
Edição de: 2018
Páginas: 420
Onde comprar: Amazon

Sinopse: A PRIMEIRA NEVE DO ANO cai sobre Oslo num dia frio de novembro. Birte Becker chega do trabalho e elogia o marido e o filho pelo boneco de neve que fizeram no jardim. Isso os surpreende - não foi feito por nenhum deles. Ao olhar pela janela, o menino nota que a figura branca está virada para a casa, com os olhos negros voltados para a janela. Para eles. Quando o inspetor Harry Hole recebe uma carta do autointitulado "Boneco de Neve", não desconfia do tenebroso significado dessa alcunha. Somente após descobrir alarmantes traços em comum entre vários desaparecimentos na Noruega, o policial percebe que está envolvido numa trama muito maior, capaz de testar os limites de sua sanidade. 



É difícil fazer resenha sobre um livro do qual eu sempre esperei muito, mas que me decepcionou de muitas maneiras. 

A primeira vez que tive contato com este livro foi na Saraiva que ficava perto do meu curso de enfermagem, vários anos atrás. Eu queria dar um livro de presente para o meu pai e Boneco de Neve chamou muito a minha atenção, tanto que desejei um exemplar para mim.rsrs Só que na ocasião o livro custava caro e eu não podia comprar dois exemplares, então trouxe só o dele e deixei o meu para outro momento. E ano passado, quando vi uma promoção maravilhosa nas Lojas Americanas, decidi que era hora de adquiri-lo e não demorar mais para apostar nessa história, que tanto prometia ser sensacional. Eu imaginava que seria um dos melhores suspenses que já li, que se tornaria um queridinho da vida e coisa e tal. Ledo engano!rs

A história começa cerca de vinte e quatro anos antes dos acontecimentos principais. É o ano de 1980, a primeira neve do ano. Novembro. Um garotinho está dentro de um carro, aguardando sua mãe. Mas quando ela retorna o menino está estranho, dizendo ter visto um boneco de neve e então sai de sua boca uma frase aterrorizante: "Nós vamos morrer". E há um salto para o ano de 2004. Novamente em novembro, com a primeira neve. E um boneco de neve...

Uma jovem mãe desaparece. No quintal de sua casa está um boneco de neve que não foi feito por ninguém de sua família. Seu filho, Jonas, percebe que envolta do pescoço do boneco está o cachecol preferido dela, que ele lhe deu de presente de Natal. Ele sabe que algo horrível aconteceu... que talvez nunca mais fosse ver o rosto dela, ouvir a sua voz. 

O detetive Harry Hole é o responsável pelo caso, que é mais tratado como homicídio do que desaparecimento. Isso porque antes do crime ele recebe uma misteriosa carta, possivelmente do assassino, indicando que um ataque ocorreria. Todavia, quando um segundo crime é cometido, dessa vez deixando claro que se tratava de assassinato, pois parte do corpo foi encontrado, a investigação toma um novo rumo e conexões com antigos desaparecimentos em toda Noruega são feitas. Quem era aquele psicopata? Por que estava fazendo aquilo? Quais eram os seus motivos para sequestrar e assassinar, com requintes de crueldade, mulheres casadas e com filhos? E, acima de tudo, por que escolhera iniciar aquele jogo com Harry? O que queria dele? Fosse o que fosse, seria preciso correr contra o tempo para impedir que novas mortes ocorressem... e para desvendar a identidade do assassino ele precisaria primeiro descobrir os seus motivos...

Sabe quando você lê as primeiras páginas de um livro e já percebe do que se trata, já descobre quem é o assassino e ainda por cima os seus motivos? Isso já aconteceu com você? Então sabe que a sensação não é boa.kkkkkkk... Não é mesmo. Assim que li aquelas páginas eu "saquei" quem era o serial killer do livro e por que ele decidira matar mulheres, seguindo um determinado perfil. Ainda assim, eu tive esperanças, pois não era possível que o autor fosse simplesmente deixar a situação toda tão óbvia e não construir uma grande história para prender o leitor. Logo pensei: "Tá, pode ser fácil de adivinhar quem é o assassino, mas quando ele aparecer entre os personagens deve ser difícil para o leitor perceber que é ele, descobrir seu nome, apostar nele." Outra vez eu me enganei. Porque assim que o assassino apareceu, a primeiríssima vez que ele esteve entre os outros tantos personagens do livro, eu soube que era ele. E aí o livro seguiu ladeira a baixo. 

É possível que o problema seja eu. Que por ter lido muitos suspenses na vida e acompanhar há mais de uma década a série de TV Lei e Ordem - SVU, eu já esteja acostumada demais com o gênero para já prever como a história vai se desenrolar. Porque a verdade é que o livro é muito bem cotado em vários lugares e querido de muitos leitores, que o consideram um dos melhores thrillers que já leram na vida. A chance de que eu esteja precisando dar um tempo nos suspenses para voltar a me surpreender com as tramas é grande. Talvez tudo tenha se tornado óbvio para mim pelo costume, por estar muito habituada a ler suspenses. Tanto que, pouco tempo atrás eu li A Viúva, da Fiona Barton, e contei para vocês que descobri até mesmo a grande "bomba" do final logo nas primeiras páginas também. A diferença é que a trama da Fiona Barton nos prende apesar disso. O fato de descobrirmos quem fez o quê, não atrapalha em nada a leitura, que continua fluindo bem e nos envolvendo. Já com Boneco de Neve não é assim. 

Primeiro porque o livro não "engata" logo de cara. Sabe quando você faz de tudo para o carro pegar e ele não pega? É bem assim. A história não tinha ritmo, não fluía e o leitor tinha duas opções: ter muita força de vontade e lutar para prosseguir na esperança de que melhore ou simplesmente abandonar. Eu escolhi a primeira alternativa.rs

O livro só pega ritmo na página 72, quando a segunda vítima recente se depara com o assassino. Até então foram 71 páginas de muito esforço para não abandonar o livro, para me encher de pensamentos positivos de que a história iria melhorar, que tudo daria certo no final.rs Que o livro se tornaria maravilhoso e eu NÃO terminaria a leitura com a sensação de tempo perdido. Como eu disse, o livro, no entanto, só me decepcionou. 

Apesar da história ter começado a fluir com o segundo desaparecimento ocorrido numa questão de poucos dias, mostrando que o serial killer estava quebrando o próprio padrão, uma vez que ele só matava uma mulher por ano, conforme descobriram durante as investigações. Apesar disso, o autor cometeu muitos erros. Um deles foi se estender demais em descrições desnecessárias e personagens que sabíamos que só estavam ali para "encher linguiça". Na intenção de preencher as páginas e tornar a história mais longa, o autor simplesmente enrolou o quanto pôde e se perdeu em acontecimentos que não tinham nenhum nexo com a trama central. O que só contribuiu para aumentar a minha irritação. Eram muitas e muitas páginas de pura enrolação, algo que não dá para suportar em livro algum. 

Mas a cereja do bolo foi a estupidez do protagonista, Harry Hole. Sempre pensei que o pior detetive que eu encontraria no mundo literário seria o Alex Cross, criação do autor James Patterson. Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que não tenho tolerância nenhuma com o Alex Cross e sua incapacidade de perceber o que está na sua cara. Mas o Harry Hole consegue ser tão cego quanto ele.

Como eu já sabia quem era o Boneco de Neve, foi cansativo e estressante acompanhar o inspetor Harry Hole e toda sua equipe por caminhos que iam para bem longe do assassino. Eram tantos erros que eles cometiam, apostando nos suspeitos mais impossíveis, que eu chegava a sentir vergonha alheia. Tudo bem que ele chegou a ter umas ideias boas, chegou a juntar peças, mas foi com uma lerdeza tal que minha paciência já tinha ido para o espaço. 

Uma coisa que qualquer leitor que preste atenção no livro que está lendo perceberia: o Boneco de Neve era brilhante. Um assassino calculista, que premeditava tudo. Que não deixava nenhuma pista por acaso e que tinha um controle emocional admirável. Ele não cometia erros. Tudo era planejado. Sempre. Assim, era fácil para o leitor perceber que a equipe do Harry Hole estava indo pelo caminho errado, que não existia maneira dos suspeitos deles serem o assassino, entendem? E isso acaba por cansar ainda mais. Ter que ler as centenas de páginas de erros cometidos pelos investigadores. 

Claro que tudo foi intencional. O autor fazia seu protagonista e a equipe errar, pois a intenção dele era desviar o leitor do verdadeiro culpado. Assim, ele precisava enrolar e enrolar cada vez mais até que a história atingisse o número de páginas que desejava para que finalmente uma luz iluminasse a cabeça do Harry e ele descobrisse quem era o serial killer. 

Mas não posso ser injusta. Apesar de ter ficado muito irritada por descobrir de cara quem era o assassino e seus motivos... Apesar das mais de setenta páginas de história sem ritmo e toda a enrolação do autor, o livro possui pontos positivos. Um deles sendo o grande vilão: o Boneco de Neve. 

A mente perturbada deste personagem é fascinante e toda vez que ele aparecia eu realmente sentia frio. Sentia um pavor muito grande, ao ponto de verificar a casa toda duas vezes.kkkkkkk... Sim, eu comecei a sentir medo, como se o personagem pudesse sair do livro.rs As mortes eram macabras. Ele era sádico, do tipo que quanto mais cruel agisse mais cruel queria agir, sabe? Nunca estava satisfeito. Sempre queria ir além em sua maldade. Ele era muito perverso. E fazia tudo com uma calma, um controle tal sobre si mesmo, que fiquei admirada. Ele era o único personagem desta história que tinha inteligência. Sério. Todos os outros eram imbecis. É incrível, mas só o vilão conseguiu fazer o livro valer a pena. 

É óbvio que eu não torci pelo vilão. Não tinha como torcer por um personagem tão doentio, tão mau. Eu torcia era para que o imbecil do Harry Hole desvendasse logo as coisas e o pegasse antes que fosse tarde demais. Todavia, não posso negar que o Boneco de Neve era o único com inteligência naquele lugar e que ele carregou a história nas costas. Se ele não fosse tão brilhante o livro não teria absolutamente nenhuma graça, pois todos os outros personagens pareciam competir para ver quem conseguia ser mais idiota. 

É um livro que eu recomendaria? A verdade é que não sei. Como eu disse, possa ser que tudo tenha sido óbvio para mim porque já estou muito acostumada com o gênero e não me surpreendo fácil. Muita gente ama o livro e talvez fosse recomendável ler para formar sua própria opinião, que pode ser totalmente diferente da minha. A história não chega a ser ruim nem nada. Ela recebeu 3 estrelas porque tinha potencial para ser maravilhosa e por equívocos do autor se transformou apenas numa história tolerável, na minha opinião. 

O livro foi adaptado para o cinema, parece que em 2017, mas eu não encontrei no Netflix nem no Claro Video. :( Eu queria muito assistir para ver se o filme conseguiria me agradar bem mais que o livro, mas só achei no Youtube disponível para compra por um preço muito alto. Vou esperar surgir no Netflix.rs

Série Harry Hole

1- O morcego
2- Baratas
3- Garganta vermelha
4- Casa da dor
5- A estrela do diabo
6- O redentor
7- Boneco de Neve
8- O leopardo
9- O fantasma 
10- Polícia
11- A sede
12- Kniv (ainda não lançado no Brasil)


*Desafio 12 Meses Literários (Um livro adaptado para TV ou Cinema)
*Desafio do canal Aventuras na Leitura (Romance policial)


Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

8 comentários:

  1. Olá
    No mês passado uma loja de departamentos daqui da minha cidade fez uma promoção e colocou os livro pela metade de preço
    E eu sou assim não deixo passar a oportunidade de adquirir aquilo que gosto claro se eu tiver dinheiro e se for um gênero que eu goste
    E esse livro estava na promoção e resolvi comprar
    Ainda não tinha visto resenha dele a sua e a primeira
    Fiquei um pouco decepcionada porque esperava mais do livro
    Ainda não o li e espero gostar
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Eliane!

      Eu amo promoções assim!!! E sempre que tenho a oportunidade de comprar livros quando estão pela metade do preço eu compro! :D

      Acho que o problema do livro foi eu, por já estar muito habituada a este gênero e não me surpreender mais tanto quanto antes. Muita gente ama este livro e é possível que você aprecie bastante a leitura! :)

      Bjs!

      Excluir
  2. Te entendo perfeitamente que descobrir o assassino assim na cara não é bom, por isso geralmente alguns autores deixam até para colocar o assassino para muito depois na trama. Eu também sou viciada em seriados e livros e aí a gente se acostuma a pegar muita coisa dos personagens mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem? Ah, realmente esse é um livro muito querido pelos leitores inclusive eu. Desde que assisti o filme fui atrás para descobrir quem era o autor e quando descobri que era norueguês fiquei ainda mais curiosa para ler o livro. Quando lemos muito suspense tendemos a notar um certo padrão mas em Boneco de neve só percebi quase no final. Talvez porque estivesse mais envolvida com a história do que em desvendá-la haha Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Ahhh, que pena que você não aproveitou 100% da leitura por já ter sacado tudo logo no inicio.
    Já li muitos comentários positivos sobre o autor, mas ainda assim não consegui me sentir atraída por seus livros, acho que é por eu não ser grande fã do gênero, sem falar que não é essa série que publicaram toda fora de ordem? Lembro de ter lido críticas sobre isso.

    Enfim, quem sabe numa próxima oportunidade. Espero que o filme tenha conseguido ser fiel.

    Abraços,
    Andy StarBooks

    ResponderExcluir
  5. Nossa, me vi surpresa aqui porque NUNCA havia visto posts ou comentários negativos sobre esse livro.
    Ele foi o primeiro livro que li do Nesbo. E hoje eu leio em grupo a série em ordem cronológica. Vamos para o livro 8. Eu adoro demais o Harry, e como ele não é perfeito. Porque essa vida de lidar com homicídios não é para amadores.
    Mas, entendo sua frustração. Que pena que pra vc não rolou... Só recomendo para todos que querem ler, começar do "começo", pra pegar a evolução (ou não) dos personagens e saber os motivos de cada coisa no trajeto de suas vidas e escolhas.

    Beijão

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Eu não li a obra mas assisti ao filme e não achei tudo isso não, já li algumas criticas a obra e confesso que não me interessei muito por ele, mas vou colocar na minha lista, pois preciso ler antes de tirar qualquer conclusão.

    ResponderExcluir
  7. Oi Luna, sou bem curiosa para ler algo do autor. Que pena que a leitura não foi como você esperava, é tão chato quando as revelações parecem tão óbvias e só o detetive não percebe, pelo menos o vilão compensou um pouquinho.

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo