27 de julho de 2019

A Viúva - Fiona Barton

Tempo de leitura:
Título Original: The Widow
Tradutor: Alexandre Martins
Editora: Intrínseca
Edição de: 2017
Páginas: 304
Onde comprar: Amazon

Sinopse: A ESPOSA. Ela levava uma vida maravilhosamente comum. Boa casa, bom marido. Ele era mais do que ela sempre quis: um príncipe encantado. Mas então tudo mudou. O MARIDO. Os jornais inventaram um novo nome para ele: MONSTRO. Os anos vão passando sem que nenhuma prova seja encontrada, e a vida do casal segue constantemente estampada nas primeiras páginas. A VIÚVA. Agora ele está morto e ela se vê sozinha pela primeira vez, livre para contar sua versão dos fatos. E ela vai falar tudo o que sabe. 




Estou aqui pensando em como falar deste livro sem soltar spoilers.rs Porque algumas informações fornecidas ainda no início da história são mais interessantes de serem descobertas quando nós mesmos fazemos a leitura, sem que outra pessoa revele. E vocês sabem que amo spoiler desde que NÃO seja de LIVRO DE SUSPENSE/THRILLER. Por isso, vou me conter ao longo da resenha para não revelar nada que estrague a leitura de vocês. 

Na capa do livro há a seguinte frase: "Um marido amoroso ou um assassino cruel? Depois de vinte anos, só ela poderia dizer." E pela sinopse, que graças a Deus não revela nada, tudo o que sabemos é que um crime foi cometido e o marido da "esposa", que depois se torna "a viúva" foi acusado por este crime. Não sabemos se ele é culpado. Não sabemos qual foi o crime. Estamos no escuro. E queremos permanecer assim até que lendo o livro pessoalmente descubramos os segredos da história. 

Utilizando um recurso comum em alguns livros de suspense/romance policial, a autora vai intercalando presente e passado para construir a história, soltando pequenas pistas e nos confundindo, ao ponto de duvidarmos não só do marido, mas da própria esposa e outros personagens que vão surgindo ao longo da história. Descobrimos qual é o crime terrível que foi cometido (a capa do livro diz "assassino cruel", mas a verdade é que não foi esse o crime pelo qual ele estava sendo acusado) e por que as investigações o apontaram como principal suspeito. Mas nada é certo. Não conseguimos ter certeza se o Glen é mesmo o culpado ou se não o incriminaram numa armadilha. E a esposa? Será que podemos confiar nela?

A história começa em 09 de junho de 2010, após a morte de Glen Taylor. O capítulo 1 é narrado em primeira pessoa pela viúva, Jean Taylor que, ao contrário do que era de se esperar, não estava triste pela morte do marido num terrível acidente. Ainda que se sinta um pouco culpada por não lamentar perdê-lo, Jean se sente feliz, pois agora está livre dos "absurdos" dele. 

Com a morte de Glen a imprensa enlouquece e todos voltam a bater na porta da casa de Jean, uma vez que agora que seu marido morreu talvez ela tenha coragem de contar tudo o que não contou antes. Não havia mais ninguém para calá-la. Assim, a repórter Kate Waters não perde tempo e utiliza toda sua falsa simpatia para conquistar a confiança de Jean e desvendar todos os segredos do relacionamento de duas décadas que ela manteve com o marido. O que será que ela tem a dizer? O que escondia? Kate queria respostas. Todos esperavam pela verdade há quatro anos...

Embora os quatro primeiros capítulos se passem no presente, intercalando a narrativa em primeira pessoa pela Jean e a narrativa em terceira pessoa quando os capítulos tratam da Kate, depois há um salto para trás e vamos para o ano de 2006 quando o crime ocorreu. E aí a história, apesar de voltar para o ano de 2010 em alguns momentos, se constrói mais em 2006, nos mostrando o passo a passo da investigação, o assédio da mídia, a revolta popular e o quanto tudo aquilo afetou a vida de todos os envolvidos.

Temos capítulos intitulados: A VIÚVA. A REPÓRTER. O DETETIVE e alguns outros que não irei mencionar para não revelar demais. Mas esses são os personagens principais da história: Jean Taylor, Kate Waters e Bob Sparkes. Três personagens marcados, de uma forma ou de outra, pelos acontecimentos de 2006. Mesmo em 2010 eles ainda não tinham colocado um ponto final naquilo tudo para poderem seguir em frente.

Uma das primeiras perguntas que nos fazemos quando descobrimos qual foi o crime cometido é: por que Glen Taylor não estava preso, em 2010, quando ocorreu o acidente que o matou? Se tinha sido acusado de um crime tão grave e a mídia em massa caíra em cima dele e toda a população gritava "culpado!", o que tinha acontecido para que o tribunal não conseguisse mantê-lo atrás das grades? Não existiam provas, era isso?  Ele era ou não culpado?! Todavia, conforme a história prossegue e acompanhamos os anos de 2006, 2007, 2008, 2009 e finalmente 2010, nos perguntamos até que ponto os demais personagens são "inocentes".

Pelo ponto de vista da Jean, que nos é contado diretamente por ela, percebemos que seu relacionamento com Glen era abusivo desde o princípio. Embora fossem situações sutis, aparentemente "normais" numa relação, é possível ter uma ideia de que nada ali era normal, que através de um jogo psicológico muito bem elaborado, ele conseguia ter o total controle sobre sua esposa. Ela não era sua mulher. Era sua propriedade. Prisioneira, mas sem ter real ideia disso. Mas como eu disse, tudo isso "notamos" pelas palavras da Jean. Nada garante que o que ela nos conta é verdade.

Não demora muito para que desconfiemos da Jean. De que o que ela nos diz pode ser mentira. Que talvez ela seja a vilã da história. E começamos a nos questionar se ela era ou não uma vítima naquele casamento. Ou se o crime não teria sido cometido por ela. Se tudo não passou de um jogo criado por ela

E entre nossos principais suspeitos aparecem outros personagens que podem perfeitamente ter cometido aquele crime e toda a investigação ter apontado na direção errada, fazendo com que anos tenham sido perdidos... No que acreditar? O que realmente aconteceu naquele terrível dia? Glen é culpado? Jean é culpada? Outra pessoa cometeu o crime? Façam suas apostas!rs

Este é um livro que é mais romance policial do que só suspense. Nos livros de suspense geralmente não acompanhamos investigações dos crimes, isso é mostrado mais no gênero policial, quando a investigação é o centro de tudo. E em A Viúva é assim. Acompanhamos toda a investigação, o passo a passo para tentarmos descobrir o que aconteceu.

A história gira em torno de um crime muito forte. Embora nossa mente nos diga uma coisa, nosso coração fica torcendo para que exista uma luz no fim do túnel, para que haja uma esperança por mais tênue que fosse. Às vezes eu torcia para que a culpada fosse a Jean, que no final descobríssemos que ela quem fez, pois isso me dava uma esperança de que no final tudo pudesse terminar bem. Que ela não seria louca ou má o suficiente para transformar aquele crime horrível num assassinato.

Já quando eu apostava no Glen, tudo mudava de figura. Enquanto eu via a Jean apenas como uma pessoa desequilibrada, que precisava urgentemente de um psiquiatra antes que fosse tarde demais, no que se referia ao Glen eu sentia arrepios de pavor. Sua frieza, seus jogos de palavras, seu controle sobre a Jean... eu o considerava capaz de qualquer coisa. Ele não seria apenas capaz de cometer um crime terrível. Também seria capaz de matar. Por isso, eu não queria que ele fosse o culpado, entende? Não queria que houvesse um assassinato.

A autora é habilidosa em nos conduzir por diversos caminhos. Ela faz de tudo para nos confundir, para nos fazer duvidar dos personagens, para que consideremos uma pessoa culpada e depois a deixemos de lado para apostar na culpa de outro personagem totalmente diferente. Ainda assim, se você já tem uma certa experiência com suspenses e romances policiais e conhece os "truques" dos autores desses gêneros consegue desvendar toda a história ainda nas primeiras páginas.rs

Eu sempre soube quem tinha feito o quê. Inclusive algo que foi revelado só no final como uma "bomba" eu já sabia desde o princípio. Nada me surpreendeu. E eu nunca sequer tinha ouvido falar desse livro, o comprei numa promoção nas Lojas Americanas apenas por amar suspenses. Todavia, tudo era bem óbvio. Só que diferente de alguns livros que desistimos de ler e nos irritamos por serem óbvios demais, a autora conseguiu o grande feito de nos prender ao livro mesmo que toda a história fosse fácil de desvendar. Ainda que consigamos descobrir de cara tudo o que aconteceu, sentimos uma vontade enorme de continuar lendo. Queremos os detalhes. Queremos entrar no jogo da autora para sermos conduzidos por todos os caminhos que ela quer nos levar. Assim, deixei que me fizesse duvidar dos personagens que ela queria. Deixei que ela me fizesse sentir esperanças. Não custava nada me envolver pela história. A escrita da autora é excelente.

Recomendo muito que vocês leiam sem pegar spoiler. Mas, Luna, você não disse que a história é óbvia?! Sim, é. Mas evitem todo e qualquer spoiler por conta dos detalhes. São eles que fazem diferença no livro. É bom "descobrirmos" as coisas por conta própria. E o que foi óbvio para mim pode não ser para outros leitores.

O livro só não recebeu 5 estrelas porque não conseguiu me surpreender. A escrita da autora é incrível, a trama é muito boa e aborda um tema real e extremamente doloroso. A construção dos personagens é maravilhosa, mas eu não vou dar 5 estrelas para uma história que não me surpreendeu em nada. Todavia, RECOMENDO! É totalmente digna de 4 estrelas.

Infelizmente, como o meu dia foi agitado, não consegui terminar a resenha a tempo de publicar ontem, sexta-feira. Por isso é que estou postando agora, 01h40min da madrugada de sábado.rs

*Desafio Mulheres em Foco

Bom final de semana!

Bjs!

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

15 comentários:

  1. Gente, que livro é esse? A sinopse já me prendeu, mas a forma como você descreveu a sua experiencia com o enredo me deixou mais que curiosa. Por algum motivo eu ainda não tinha visto esse livro por aí, mas agora quero ler imediatamente!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Já tinha visto esse livro por aí, mas não sabia do que se tratava. Pelo o que tu disse na resenha, parece ser uma leitura muito bacana, é uma pena que não tenha conseguido te surpreender. Adorei a dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi, Luna!
    Eu amo romance policial, posso dizer que é culpa da Agatha Christie, ele me viciou nesse mundo maravilhoso. Ainda não tinha conhecimento desse livro, mas pela tua resenha, mesmo ele não sendo um livro que tenha te surpreendido, deu pra perceber que é daqueles que vale a pena a leitura. Vou anotar a dica e assim que der irei lê-lo.

    Beijos,

    Books and Movies
    www.booksandmovies.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Luna.

    As vezes o livro é tão bom que mesmo já sabendo quem é o culpado, queremos ler para saber como a história irá terminar. Li um livro assim recentemente, a autora soltou nas primeiras páginas quem era o assassino, mas ainda não sabíamos quem havia sido assassinado. Esses pequenos mistérios fazem a gente querer continuar a leitura.
    Eu não conhecia o livro, mas como boa fã desse gênero, fiquei tentada a ler, o que desanima um pouco é esse final que não foi surpreendente para você. Ótima resenha!

    www.pactoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei interessada nesse livro que você leu
      Poderia se possível passar o nome?
      Confesso que nunca li nada assim
      Deve ser bem interessante

      Excluir
    2. Olá, Eliane.

      O livro se chama A Caça do autor M.A Bennett! 😘

      Excluir
  5. Não sou muito chegada em suspense, mas esse fique curiosa para saber quem era o culpado e como foi feito toda investigação, achei legal também o seu cuidado para não dar spoiler e a própria sinopse que não conta nada.

    Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  6. Oi Luna, amo romances policiais e suspenses, mas ainda não li esse. Que bom que, apesar de você já ter descoberto o que aconteceria na história antes de ler, sendo uma trama previsível, ainda assim a autora conseguiu manter seu interesse na leitura.

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem? Falou em suspense ou romance policial já despertou minha atenção. Gosto de conhecer escrita de autores diferentes e perceber como eles criam todo o enredo. Essa questão de mesclar passado e presente prende muito a atenção do leitor. Ainda mais quando a história é bem detalhada e precisamos nos manter atentos. Com relação a história ou desfecho ser meio óbvio as vezes acontece principalmente quando lemos muito um mesmo gênero. Gostei da indicação. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem Luna?

    Eu tive a oportunidade de comprar esse livro por apenas R$ 10,00 em uma feira de livros do shopping e não comprei, só não fico arrependido pq tinha muitos livros para ler naquele momento, contudo parece ser uma boa leitura. Gostei da resenha, ficou bem escrita e aumentou a minha vontade de ler "A viúva".
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Luna.
    Li esse livro assim que ele foi lançado. Eu amo thrillers e gostei demais desse livro. Mesmo que muita coisa seja óbvia, a narrativa da autora é tão envolvente que foi impossível largar!! Adorei a construção da história, a alternância dos capítulos e nem mesmo a falta de surpresa me desanimou! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  10. Oi Luna, sua linda! Eu adoro esse tipo de história e que a narrativa se passa em dois tempos porque sempre acabo me surpreendendo, acho que muito por não ler desse genero, sou facilmente surpreendida entao provavelmente daria cinco estrelas hahaha. Adorei a dica!

    ResponderExcluir
  11. Caramba, esse livro deve ter um enredo de tirar o fôlego, confesso que fiquei muito curioso para saber dessa trama na íntegra. Anotada a dica.

    ResponderExcluir
  12. Oi Lu! Eu tenho esse livro no Kindle e mesmo sabendo que é um suspense e tal, um estilo que eu amo demais ler, eu ainda não tive vontade de lê-lo. Lendo sua resenha confesso que fiquei assim um pouquinho confusa sobre quem fez o que, e quem não fez.. Mas acho que por ser bem rápido, dá pra encaixar nas minhas leituras mais próximas. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    não sabia desse livro, fiquei mega curiosa com essa história instigante. Geralmente é muito difícil fazer resenha de livros assim, sem poder dar detalhes né, eu sofro com isso rsrs" gostei de conhecer e saber sobre a história, dica anotada!

    beijos!

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo