3 de novembro de 2017

Em outubro...

Tempo de leitura:

Na hora de fazer o "balanço" do mês de outubro foi que percebi que não assisti filme algum! Fiquei chocada, confesso. Porque eu tinha certeza que tinha visto pelo menos um.kkkkk... O mês passado realmente não foi o melhor do ano. Muitos problemas, falta de tempo, pouca leitura... Já posso esquecê-lo.rs

Outlander vai bem, eu acho. Me emocionei muito com o episódio 6 da série, mas estou um tanto perdida atualmente. Não sei nem em qual episódio está. Estou necessitando urgentemente colocar a série em dia. A verdade é que sinto mais falta dos livros do que da série de TV, apesar de amar com todo o meu coração os atores que interpretam Jamie e Claire. Só que ainda nem iniciei o segundo volume do livro 3 e isso contribui um pouco para a minha negligência com a série de TV. É que quero ler os acontecimentos antes de vê-los, entendem? 

O reencontro entre a Claire e o Jamie no sexto episódio foi belíssimo! Me vieram lágrimas aos olhos. Seria impossível isso não acontecer, pois foi intenso. Claro que ri quando o Jamie desmaiou, mas depois... ficou apenas o nó na garganta. Vinte anos é toda uma vida, gente. Conseguem imaginar tudo o que passaram longe um do outro? O quanto desejaram estar juntos, se consolarem mutuamente? Eles sabem o que é amar e sofrer por isso. :(



Faça chuva ou faça sol, eu esteja com tempo ou sem tempo, deprimida ou feliz, Lei e Ordem SVU sempre irá fazer parte da minha vida. Isto é fato, gente! E é por este motivo que eu não poderia estar em falta com minha série preferida, não acham?! Estou totalmente em dia! :D E estressada com os últimos acontecimentos. Como assim o Noah tem uma avó?! E a "coisa" ainda se atreveu a tentar desmoralizar a Liv, dizer que ela não servia para ser mãe do Noah. A ordinária tentou tirar o pequeno da nossa Olívia e eu fiquei furiosa! Depois de tudo pelo que a Olívia passou e o quanto lutou para adotar este menino, ninguém pode se atrever, ter a cara de pau de surgir do nada e achar que vai separá-los. A Liv ficou muito mal e eu senti todo o estresse com ela. 

E mesmo diante de toda a bagunça que de repente invadiu sua vida, ela seguiu sendo a pessoa humana e maravilhosa que sempre foi com as vítimas. Como não ser fã desta guerreira?! No momento, a "avó" do Noah está bancando a boazinha, mas, sinceramente, não estou convencida. Quero aquela mulher longe da Liv e do filho dela! 

A série já está em sua 19ª temporada e isto definitivamente não é para qualquer um.rsrs Recentemente, conversando com um rapaz sobre séries e filmes, ele me perguntou como aguento assistir tanta tragédia. Ele é homem e não consegue acompanhar esta série. Não conseguiu entender que não sou fascinada pelos casos terríveis que são mostrados. Apesar de ter uma queda por séries investigativas, não são os casos que me prendem à série. São os personagens. Os detetives, a humanidade deles, a maneira como ele sentem, como se envolvem, como se importam e lutam por Justiça, mesmo quando isso parece uma utopia. E sobretudo a Olívia Benson. Acompanho a série desde a primeira temporada. Vi a Olívia e o Elliot crescerem com ela, acompanhei seus dilemas, suas lutas interiores, os riscos que correram e tudo o que sofreram sem jamais deixarem de ser as pessoas maravilhosas que me encantaram logo no começo. Vi o Elliot deixar a série, a unidade de vítimas especiais, e até hoje não me recuperei. Permaneci fiel à série porque a Olívia ficou. Se um dia ela deixar a série, eu também deixo. Lei e Ordem SVU não é nada sem a Liv. 



Mas se tem uma série que consegue seguir sem seus personagens principais é Once Upon a Time. Quantas vezes eu disse aqui que já estava cansada de Branca de Neve e Príncipe Encantado?!?!kkkkkkkk... Muitas, verdade? Nunca foi meu conto preferido. Na verdade é um dos que menos gosto. E eu cheguei a dizer que já estava na hora da série acabar, uma vez que insistia em concentrar-se apenas neste casal. Tudo orbitava os dois. Era enjoativo. A série é fantástica, mas Branca e Encantado já tinham dado o que falar. Era hora de mudar o foco ou terminar. E eu realmente não poderia ter ficado mais feliz do que quando soube que os atores que interpretam os dois resolveram abandonar a série. :D Infelizmente, a atriz que fazia a Emma (filha deles) também saiu e assim outros atores acabaram sendo demitidos, pois os produtores tiveram que "repaginar" a história. Sinceramente, gente! Estava mais do que na hora! E quando eu percebi que o foco agora é Cinderela.... Gritei, dancei, pulei e voltei a gritar!kkkkkkkkk... É o MEU conto. Meu amor por toda a vida.kkkkkk 

Sinto uma dorzinha no coração, pois não teremos mais Emma e o Capitão Gancho. E eu era apaixonada por este casal. Emma cresceu bastante ao longo da série ao ponto de me fazer gostar dela. E o Capitão Gancho... Nossa! Dele nem é necessário falar! Um pedaço de mau caminho que fazia um lindo casal com a Emma. Todavia, estou transbordando de felicidade por ter um novo casal para amar. E não ficamos totalmente órfãos, pois o Henry (filho da Emma) é o par romântico da nova protagonista da série: Jacinda, a nossa nova Cinderela. 

Digo "nova" porque tudo mudou em Once Upon a Time. Há um novo livro, novos personagens... uma espécie de personagens alternativos, que viviam num mundo alternativo, distinto das histórias "originais" e dos personagens "verdadeiros", por assim dizer. Quem lembra-se do último episódio da 6ª temporada notou um certo déjà vu.rsrs A temporada termina exatamente como a primeira temporada começou: uma criança bate à porta de um dos personagens dizendo ser seu filho. Na primeira temporada, foi o Henry quem apareceu na porta da Emma, dizendo ser filho dela, o menino que ela entregou à adoção e assim a leva para Storybrooke onde os personagens dos contos de fadas estavam presos por uma maldição lançada pela Rainha Má (Regina). Somente a Emma poderia destruir a maldição e libertar a família deles. É deste jeito mesmo que começa a sétima temporada. Lucy, filha do Henry já adulto, aparece no apartamento dele dizendo ser sua filha. Ela conta que uma nova maldição foi lançada e que Henry e Cinderela (os pais de Lucy) foram separados pela madrasta dela. Henry, assim como Emma ao passar pelo mesmo, não acredita na menina. Pensa que é tudo ilusão de sua cabeça, um mundo imaginário criado com base nos livros que o Henry escreve. Por causa da maldição, ele acredita que as seis temporadas desta história e consequentemente todos os personagens não passaram de uma história escrita por ele. Não se lembra de nada. Parte daí a história dele com a Cinderela. Porque Lucy o levará até sua mãe. Ela é a única que sabe a verdade e precisa unir seus pais para ter de volta o mundo que sua avó destruiu. Estou amando esta temporada! :D Só que o Henry bem que podia ter mais atitude. Está meio apagado.rs


Sigo não vendo a novela Muy Padres.kkkkkkk... Claro que não! Como poderia se ela é apenas exibida no México?! Nem existe no youtube, não é mesmo? Bem... Nunca vi nenhum episódio por lá.rsrs 

As três histórias desta novela me fascinam, mas a de Alan e Emilio são as que mais me envolvem, com certeza. Não sinto pena do Ricardo por nada. Não poderia, vez que ele abandonou a mulher e as filhas para assumir um relacionamento com a amante com a qual acabou por ter um bebê. Não acho nada engraçado o ciúme ridículo que ele sente da ex-esposa, da mulher que ele traiu sem parar para pensar em seus sentimentos. Ele se acha um homem cheio de princípios e moral, mas não passa de um egoísta que nada entende de fidelidade. Porque além de ter traído a mulher e passado a viver com outra, ainda chegou a desejar a prima de sua nova esposa que por acaso é a mulher que o amigo dele (Alan) ama. Não posso simpatizar com um tipo desses. E como se não bastasse, ele ainda tem a cara de pau de se sentir ofendido porque sua ex-mulher resolveu refazer sua vida e começar um namoro com outra pessoa. Ele a traiu e acha que ela tinha que continuar sozinha, chorando por ele. Dá ou não dá vontade de esfolá-lo em praça pública? 

Emilio, não. Ele pode ser um mulherengo assumido, mas como me divirto com ele!kkkkkkkk É um encanto e mostrou ser alguém incrível ao abrir mão de tudo pela Pamela. Ele a traía no início da relação deles, pois não sabia como livrar-se da Déborah (sua chefe e amante) sem acabar perdendo o emprego também. Então ele meio que brinca com as duas durante um tempo. Mas não consegui sentir raiva dele. Foi impossível. Ele nada sabia de relacionamentos. Jamais tinha assumido algo sério com alguém e a Pamela apareceu em sua vida mudando tudo abruptamente. Era realmente necessário tempo para ele colocar na balança o que importava. Valeria a pena seguir daquela maneira e perder para sempre a única mulher que ele já tinha amado? Quando percebe que não poderia viver sem ela, o Emilio manda tudo para o inferno! Enfrenta a Déborah pela primeira vez na vida e termina tudo, abrindo mão do emprego que amava. E colhendo as consequências. Pamela e Emilio formam o meu casal preferido da novela! E o pequeno Santi é todo um amor. Espero que a mãe dele nunca volte. Ela o abandonou sem se importar com nada. O largou na porta do Emilio. A Pamela é quem tem sido uma mãe para o Santi. Ele já não necessita da desnaturada. 

Alan e Jenny estão numa fase que nos parte o coração. :( Sei que o Alan só tem feito escolhas ruins desde o início da novela. É um irresponsável, não nego. Arriscou a vida do filho, do pequeno Arturo, mas não é justo ele perder a guarda do menino para os avós maternos. Sobretudo porque seu ex-sogro não se importa realmente com o menino. Só o quer por vingança. Porque culpa o Alan pela morte de sua filha e como retaliação quis tirar o filho dele também. O Alan ama o Arturo com todo o seu coração e ambos estão sofrendo muito com a separação. São muito, muito tristes as cenas deles dois. O menino quer ficar com o pai, mas a Justiça entendeu que ele está melhor com os avós. Enfim... Torço para que a Jenny e o Alan voltem e que o Arturo fique com o pai. 



E os livros que li foram...

A leitura realmente não funcionou para mim. Claro que isso em nada diminuiu meu carinho pela autora que sempre será uma das minhas preferidas. Simplesmente, preferirei esquecer este livro.


"[...] Se existe uma coisa que Voldemort não consegue compreender é o amor. Ele não entende que um amor forte como o de sua mãe por você deixa uma marca própria. Não é uma cicatriz, não é um sinal visível... ter sido amado tão profundamente, mesmo que a pessoa que nos amou já tenha morrido, nos confere uma proteção eterna."

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

4 comentários:

  1. TV achou melhor queimar e me deixar na mão 😭😭, é uma série muito bom.
    Das demais séries, confesso que sou analfabeta rsrs

    ResponderExcluir
  2. Lamento pela sua TV, Ana. :(

    Todas essas séries são maravilhosas!

    ResponderExcluir
  3. Oxi, meu comentário saiu cortado ☹️

    ResponderExcluir
  4. Mas eu entendi que você estava falando de Lei e Ordem. :)

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo