31 de julho de 2018

Rebelde/Um Mundo Novo - Nora Roberts

Tempo de leitura:
(Título Original: Rebellion/In from the cold
Tradutora: Daniela Rigon 
Editora: Harlequin
Edição de: 2018)

Os MacGregors - Livro 6

As mulheres MacGregor são conhecidas pelo temperamento explosivo e por serem destemidas, teimosas e lindas! Mas elas também são apaixonadas e lutarão até o fim por sua família e pelos homens que amam. 

No século XVIII, uma época em que combates sangrentos eram travados em nome da honra, as mulheres MacGregor passaram por muitas dificuldades para defender sua família. Em meio a tudo isso, duas integrantes do clã se destacam. Serena MacGregor acaba se envolvendo com um suposto inimigo, o inglês Brigham Langston. Encontrar dentro de si o que será necessário para viver esse amor exigirá muita coragem... mas isso é algo que Serena tem de sobra. 

Anos depois, o jovem soldado Ian MacGregor se vê à beira da morte e acaba encontrando Alanna Flynn, que além de salvar sua vida o ensinará que, às vezes, as maiores batalhas que enfrentamos são aquelas que ocorrem em nossos corações. 

Em Rebelde e Um mundo novo, Nora Roberts nos encanta com o passado da família MacGregor, mostrando que, independentemente dos lados no campo de batalha, quando se trata de amor ele sempre vencerá. 



Palavras de uma leitora...



- Não posso negar que este mês, por mais complicado e estressante que tenha sido, foi excelente para a minha leitura. Até mesmo para os filmes e para a série Lei e Ordem SVU. Depois de meses sem conseguir assistir nada vi quatro filmes!!! E terminei de assistir a 19ª temporada da minha série. :D Estou muito feliz por isso! Mas voltando à leitura... Tinha estabelecido como meta do mês ler sete livros. E se tomar vergonha na cara e concluir a leitura de Hamlet (que está me entediando muito) terei lido nove!!! 

Rebelde e Um mundo novo não faziam parte da meta do mês, mas eu estava tão ansiosa para ler estas histórias que quando percebi que só faltava Hamlet resolvi largar o livro outra vez e mergulhar nestes romances de época maravilhosos! Não me arrependi! Foi simplesmente delicioso conhecer o passado do clã MacGregor, viajar para o século XVIII e saber como tudo começou. Quem me conhece sabe que amo essa série! 

Antes de tudo, esqueçam o que eu disse sobre nenhum livro da série ser capaz de superar Hoje e Sempre. Rebelde definitivamente conseguiu! Uma história que me envolveu por completo, que me provocou lágrimas e deixou um gostinho de quero mais. Além de ter terminado com um epílogo cheio de esperança. 

- Escócia, ano de 1735. Serena tinha apenas oito anos de idade e naquele dia ela e sua irmã mais nova tinham ajudado a mãe a arrumar a casa para a chegada de seu pai e irmão. Eles tinham ido caçar e voltariam esgotados. Embora odiasse o trabalho doméstico, amava muito o seu pai e só queria que ele chegasse logo. Seu irmão caçula, que não passava de um bebê, estava em seus braços. Naquele momento, nenhum deles poderia imaginar o quanto a vida mudaria. Que ao longo dos próximos dez anos ela carregaria o trauma causado pela violência de soldados ingleses. 

A mãe tinha pedido que ela se escondesse juntamente com os irmãos, mas Serena não conseguiu deixá-la sozinha. Não podia. E quando o capitão inglês golpeou sua mãe, ela não foi capaz de pensar em mais nada. Transtornada pela fúria, o atacou, aumentando ainda mais o ódio daquele homem que tinha entrado ali disposto a provocar destruição. 

Não importava quanto tempo se passasse, jamais poderia esquecer o momento em que sua mãe caiu aos seus pés, nua, após ter sido violentada por aquele soldado. Nunca antes a tinha visto chorar daquela maneira e por mais que sua mente de criança não compreendesse toda a realidade, tinha uma noção do que tinha acontecido. E que seu coração queria vingança. Naquele dia, soube o quanto os ingleses valiam: menos que nada. Eram pura escória. E enquanto vivesse só seria capaz de sentir ódio por eles. 

Dez anos mais tarde ela ainda mantinha viva a memória daquele terror. Sua mãe tinha seguido em frente, consolada pelo amor de seu marido e filhos, mas Serena passou a nutrir um desprezo pelos homens em geral, embora os ingleses tivessem um lugar "especial" em sua lista. Era dona de uma beleza impressionante, o que atraía muitos pretendentes, mas bastavam poucos minutos ao seu lado para perceberem que seria um completo suicídio tentar qualquer coisa. Ainda não tinha chegado o dia em que um homem fora capaz de ultrapassar as barreiras do ressentimento e conquistar seu coração. Talvez jamais se casasse. Ela tentava se convencer de que não se importava. Seria preferível ficar sozinha do que passar a vida ao lado de um traste. 

E não foi sem surpresa e choque que ela viu seu irmão aparecer em casa, depois de uma longa viagem, carregado por nada mais nada menos que um inglês. Alguém que se hospedaria na sua casa, que passaria os dias sob o mesmo teto que ela. O que resultaria na morte de um dos dois, claro.

Todavia, dono de uma arrogância e coragem admiráveis, Brigham não se deixa intimidar pelos olhares assassinos de Serena, cujo nome parecia uma completa ironia. Se tinha uma mulher menos "serena" no mundo era ela. Mais parecia uma gata selvagem, pronta para cravar as garras no primeiro tolo que se deixasse enganar pelo rosto de anjo. E algo em seu interior, talvez uma pontada de masoquismo, o fazia desejar provocá-la... destruir suas defesas. Atingir um ponto que ninguém conseguira antes. Sim, era inglês. E por ser o melhor amigo do irmão dela conhecia seus motivos para desprezá-lo. Mas também era homem... e Serena era uma mulher irresistível. Perigosa, talvez até mesmo letal, ainda assim aquela que o fazia esquecer todo o resto. Que o fazia brincar com fogo... sabendo que se queimaria. 

Poderia o ódio dar lugar ao amor? Seria possível um futuro para duas pessoas completamente opostas, separadas pelos traumas do passado? E com uma guerra sangrenta prestes a estourar de que valeria qualquer esperança? 

"- Leve nosso convidado para a cozinha e cuide de seu ferimento, Serena.
- Prefiro cuidar de um rato."

- Confesso que eu não sabia bem o que esperar desta história quando comecei a lê-la. Queria apenas mergulhar num romance de época leve e descobrir se a Nora Roberts conseguiria desenvolver a história tão maravilhosamente como conduz seus romances contemporâneos. Mas logo no início ela me mostrou que seria diferente. Que eu não encontraria a leveza tão característica dos outros romances da série. Que existiriam momentos de muito sofrimento. E que um final feliz não era tão garantido assim. 

Quem já leu Outlander sabe o que aconteceu na Batalha de Culloden. Tudo bem que basta ter estudado um pouco de História para ter uma noção da guerra sangrenta travada entre escoceses e ingleses e que culminou num grande massacre. Mas a verdade é que não lembramos de tudo o que estudamos e a Diana Gabaldon trouxe de maneira bem "viva" esses fatos históricos para a nossa vida. Ainda sinto arrepios quando lembro de tudo o que a Claire, o Jamie, e outros membros dos clãs escoceses passaram na série. Ainda sou capaz de ver o sangue, ouvir os gritos, o som das espadas, dos disparos... vejo os corpos enquanto recordo o Jamie falando... Muitas vidas destruídas. Por nada

Em Rebelde não temos Claire e Jamie, mas como a Diana Gabaldon utilizou de acontecimentos reais em sua série, a Nora Roberts também colocou como pano de fundo em sua história a inimizade entre escoceses e ingleses, a disputa por um trono que acabaria com a vida de milhares de pessoas. E isso me provocou muito medo. Porque a história entre Serena e Brigham começa poucos meses antes da Batalha de Culloden. Uma guerra que o protagonista abraçaria. Defendendo uma causa que não era dele, mas na qual ele acreditava. Largando tudo o que possuía na Inglaterra para lutar lado a lado com seu amigo. Eu senti pânico, gente. Verdadeiro pavor. Tinha medo do que a autora poderia fazer...

"Serena queria chorar. Queria chorar desesperadamente, queria que ele a abraçasse de novo, que a beijasse como fizera na primeira vez daquela maneira gentil e paciente."

- Deixando um pouco de lado a guerra e voltando para o romance entre o meu casal querido (já amo demais), nada é fácil no princípio. Coll, irmão da Serena, podia não culpar todos os ingleses pelo que tinha acontecido com sua mãe, mas para ela não existia nenhum inocente. Todos eram canalhas pelo simples fato de terem nascido ingleses. E fosse tal pensamento racional ou não, era assim que ela se sentia. E não conseguia aceitar que aquele homem, por mais amigo que fosse do seu irmão, dividisse o mesmo teto que ela. E assim ela faz de tudo para tornar a vida dele um inferno.rsrs 

Eu me diverti muito com os ataques desta mocinha tão temperamental e guerreira. Em muitos momentos, ela me pareceu a rocha daquela família, aquela que todos ouviam e em quem se apoiavam. Seu pai era um homem corajoso, determinado, líder da casa, mas também morria de amores pela sua gatinha selvagem e levava em consideração a sua opinião. O que não se aplica apenas em relação ao Brigham, pois todos resolvem gostar dele, contra tudo o que a Serena pudesse argumentar.rs Isso porque o mocinho estava virando as costas para seu próprio país para lutar com o amigo. Uma prova de lealdade maior não existia e a família sempre lhe seria grata por tudo o que ele estava fazendo. Sua nacionalidade era um detalhe insignificante. 

Com o passar do tempo, tendo que tolerá-lo, sempre com palavras ferinas e uma agressão aqui e outra ali, ela acaba sendo envolvida por ele. Não era possível ignorar os beijos roubados ou a maneira como ele a olhava... nem as carícias tentadoras e inapropriadas. O odiava profundamente, mas... queria estar com ele. Queria sentir sua força, saber que em seus braços poderia estar segura e esquecer... esquecer tudo o que tinha acontecido. Chorar em seu ombro com a certeza que ele era diferente, que jamais a machucaria. 

"Estava apaixonado por Serena.
[...] Estava apaixonado, pensou novamente, e Serena o atacaria com um punhal em seu coração antes de entregar o próprio a ele."

- É belíssima a história que se desenvolve entre os dois. Existiam muitos problemas com os quais precisavam lidar. Mesmo quando começa a sentir algo por ele, nossa mocinha não permite que o passado fique para trás. Não deixa de culpá-lo por pecados que não eram dele. E utiliza isso como a principal barreira entre os dois. Só o que o Brigham não desiste, minha gente!kkkkkk... Ele não era homem para deixar um fantasma qualquer impedi-lo de ser feliz ao lado da mulher que amava. Inglês ou não ele passaria o resto da sua vida ao lado daquela escocesa sanguinária. Não aceitaria nada menos que isso.rs Eu me apaixonei perdidamente por esse mocinho! E se não fosse spoiler contar tudo o que ele faz vocês entenderiam por que o amo tanto!

"[...] Há sempre a morte, Serena; há sempre dor e perda. Sem a promessa de uma nova vida, não poderíamos suportar."

- Como eu disse, o livro não é tão leve como os demais da série. Existem momentos muito divertidos, outros românticos, quentes, fofos, mas ele se passa durante uma guerra. E tudo é muito arriscado. Acompanhamos a história de amor deles sabendo que tudo pode ser perdido. Mesmo assim prosseguimos, não só porque a história é deliciosa, mas também porque apostamos na autora... porque acreditamos que ela não seria capaz de destroçar nosso coração.rs

Em Um mundo novo damos um salto de vários anos, mas ainda estamos no século XVIII. Ian MacGregor, o protagonista desta história, tem uma ligação forte com Rebelde, mas creio que contar seria spoiler.kkkkkk.. Aqui temos uma novela, uma vez que a história tem um pouco mais de 80 páginas, dividida em capítulos curtos, com direito até mesmo a um epílogo. 

"Rezava de uma maneira que apenas um homem que sentia o próprio sangue derramando-se podia rezar. Pela vida."

Ian conhecia a história do massacre provocado pelos ingleses, não por ter presenciado tudo aquilo, mas pelo que sua família havia lhe contado. Jurou a si mesmo que um dia enfrentaria os inimigos de seu povo e quando a oportunidade finalmente surgiu ele a agarrou com todas as forças. O resultado era que encontrava-se gravemente ferido, entre a vida e a morte, em solo americano. Bem longe de casa e de qualquer um que sentiria sua falta. Não queria desistir, mas o sangue deixava rapidamente o seu corpo e não tinha energia sequer para pedir ajuda. 

Quando Alanna encontra o estranho em seu celeiro o mesmo já estava desacordado. Determinada a não perder mais ninguém para a morte num futuro próximo, ela se dispõe a cuidar de seu ferimento... o que mostra-se uma ideia equivocada quando Ian MacGregor se recupera e trata de fazer da vida dela um inferno. Quem ele pensava que era para invadir sua vida daquela maneira?! Ela estava satisfeita com o que tinha. Poderia passar os próximos anos dedicando-se ao pai e irmãos e não lamentaria. Tinha sido casada uma vez, mas seu marido morrera, deixando-a viúva antes de completar dezoito anos. Agora, aos vinte anos, não queria ninguém complicando sua existência, muito menos um rebelde inconsequente que parecia ansiar por uma guerra que ela temia. 

"- Case-se comigo, sra. Flynn, pois seu nome devia ser MacGregor."

- Esta segunda história é deliciosa! Leve, fofa, do tipo que devoramos em pouquíssimo tempo. Ela não tem os altos e baixos da primeira, até porque o número de páginas é muito menor. Simplesmente nos presenteia com um lindo romance e nos faz matar a saudade dos personagens da história anterior. 

É uma ótima indicação até mesmo para aqueles que não acompanham a série, mas querem se aventurar por um romance de época. Recomendo muito!


Segundo a internet, os livros que fazem parte da série Os MacGregors são:

4- Encanto da Luz
5- Hoje e Sempre (flashback do romance entre Daniel e Anna, os pais de Serena)
6- Rebelde/ Um Mundo Novo (históricos!)
7- Instinto do Amor
8- Beijos que Conquistam
9- Amor Nunca é Demais
10- Um Vizinho Perfeito


*Este livro foi recebido em parceria com a editora Harlequin.  

Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

13 comentários:

  1. Olá!

    Ah que bom que esse mês foi incrível para ti colocar a sua vida cultural em ordem haha ando eu tao problemática em questões desse setor que prefiro nem comentar.
    Sobre o livro, acredito que Nora é uma diva e isso não tem discussão. Acho maravilhoso a forma que ela tem de mudar a sua escrita e a sua essência com base no tipo de livro que ela pretende. Nunca li nada de época dele e nem que se passa em períodos de guerra, mas amei a sua resenha

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi lindeza.

    Como sempre suas resenhas tão completas.
    Eu ainda não li NADA da Nora e não foi por falta de indicação, mas eu simplesmente não consigo escolher um livro dela. Eu não sabia desse livro dela, mas como amo romances de época e escoceses (fui picada pelo bicho de Outlander), acho que vou curtir muito, ainda mais com tantos elogios. Espero gostar tanto quanto você! <3

    beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Luna!
    Ainda que esse não seja meu volume preferido dessa série, adorei a forma como o romance em Rebelde se desenvolveu durante a guerra, tudo foi tão cuidadoso que parecia que eu estava acompanhando a história bem do ladinho deles. E Um Mundo Novo realmente é uma gracinha de história, é uma delicinha acompanhar o romance entre Ian e Alanna, fiquei apaixonada pelo Ian logo de cara!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Confesso que eu não sou muito fã da Nora Roberts, mas só de ser um romance de época já estou pensando em dar uma chance, ainda mais por se passar na Escócia, amo toda essa coisa de clãs. Estou muito curiosa para ler esse livro, se for tão cheio de história e tão apaixonante quanto Outlander, vai ser minha nova série favorita. Obrigada pela dica.

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Mirelly!

    Rebelde, apesar de se passar no mesmo período histórico que Outlander, não teria como ter a mesma riqueza de detalhes e conteúdo, vez que tem apenas duzentas e poucas páginas enquanto a série Outlander tem milhares de páginas. Mesmo assim a Nora Roberts pesquisou bastante e conseguiu retratar bem a época e a guerra.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca sei por onde começar quando o assunto é Nora, são tantos titulos, ela é tão plural em relação aos generos que escreve, sempre transitando de um para o outro com uma facilidade enorme, que simplesmente me vejo perdida, sabe? Em todo caso, vou aproveitar a bienal para tentar encontrar esse titulo.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu nunca li nada da Nora Roberts, mas tenho ficado curiosa para ler esse livro. Apesar de não ter lido Outlander, conheço um pouco sobre esse período histórico e acho fascinante. Pelo que percebi, no livro da Nora Roberts ele também foi muito bem retratado e isso me deixa animada a ler.
    Vou procurar saber mais sobre os outros livros da série, porque gosto de ler na ordem, independente dos livros serem interligados ou não. Mas adorei sua resenha e fico feliz que você tenha gostado da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Luna!
    Sempre vejo inúmeros comentários, na maioria das vezes, positivos sobre os livros da Nora Roberts. Mas nunca li nada dela - primeiro porquê não sei qual livro me interessaria mais, com a quantidade de livros que ela tem. Segundo, porquê a maioria das histórias dela puxa mais para o romance e muitos para o romance histórico, que não é um gênero que curto.
    Mas achi interessante esse volume ser um pouco mais pesado e ela ter se aprofundado na parte histórica das guerras.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Luna!
    Já li algumas opiniões sobre esse livro e todas elas são muito positivas, como a sua! Nunca li nada da autora e fico cogitando se devo começar por essa série, parece uma das mais bem conceituadas de Nora Roberts.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Que resenha maravilhosa!
    Fiquei contente em saber que o 6º livro do Clã MacGregors é tão bom quanto os outros. Já consegui ler os cinco primeiros e estou ansiosa por esses histórico. Espero que consiga ler ainda esse mês.
    Gosto de como a Nora conduz a trama e Serena parece ser uma personagem incrível.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Olá, amei conferir sua opinião sobre esse livro. Se eu já gostei de Hoje e sempre, pelo visto vou gostar ainda mais desse. A mocinha da primeira história parece ser bem determinada.

    ResponderExcluir
  12. Eu adorei estes dois livros e no começo, achei que não ia gostar, mas caramba, que casal forte, que cenário histórico agregador e que final bom, de ambos. Lindo!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi
    Que resenha maravilhosa. Eu babo nas capas dessa série. Estava lendo Hoje e Sempre, mas tive que abandonar a leitura por que estava com muitas leituras de parceria a atrasada, mas não vejo a hora de poder continuar. Acho a escrita da Nora a coisa mais maravilhosa que ode ter. Agora fiquei mais que curiosa para ler. Tenho um certo fascínio por capas vermelhas ♥

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo