12 de março de 2019

Um Amor Conquistado - Silvia Spadoni

Tempo de leitura:
Literatura Nacional
Editora: Pedrazul
Edição de: 2014
Páginas: 208
Trilogia Amores - Livro 1
Onde comprar: Amazon

Sinopse: Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Uma brincadeira do acaso e ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para vingar-se do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.



Foram várias as pessoas que me recomendaram esta história. E, durante algum tempo, eu considerei lê-la, colocá-la em minha meta de leitura, mas sem saber ao certo se arriscaria a leitura ou não. Até que, finalmente, criei coragem para começar, ainda mais tendo em vista que é uma história curtinha e, sobretudo, um romance de época, gênero que tanto amo. Todavia, embora tenha apreciado o livro, ele não chegou a me arrebatar. Não me apaixonou. Não mexeu com minhas emoções.

"A Inglaterra me acolheu ao passo que a França me deixou órfã."

O livro conta a história de Sophia, uma jovem que perdeu os pais durante a Revolução Francesa e teve que fugir com a madrinha para a Inglaterra; e Edward, um conde inglês amargurado pela perda do irmão e da cunhada, vítimas de um aliado de Bonaparte, e que criava a sobrinha Louise, tentando ser para ela o pai que o irmão seria se não tivesse sido assassinado. Os dois se conhecem quando Sophia, após perder a madrinha que a criara, necessita procurar um emprego para se sustentar. Então, sabendo da vaga que surgira após a pequena menina não se adaptar a mais uma preceptora, ela resolve se candidatar, mas as coisas seguem um rumo inesperado quando um acidente a coloca frente a frente com o tal lorde de gelo.

A antipatia é imediata. Ambos tinham seus próprios motivos para agir com frieza. Sophia conhecia bem a reputação do conde e ficara furiosa com a maneira como ele a tratou. Edward, por sua vez, abominava tudo o que fosse francês e não lhe passou despercebido a nacionalidade dela.

Porém, quando inúmeras candidatas parecem tão improváveis para a posição de preceptora de sua sobrinha, Edward não vê outra alternativa senão contratar Sophia temporariamente, como um teste. Afinal de contas, Louise gostara muito da jovem e talvez a relação entre as duas fizesse bem para a menina. E o que era para ser apenas uma relação profissional entre o conde e a jovem francesa se transforma em algo mais quando a Coroa solicita seus serviços para uma missão na França e Sophia é convencida a ir com ele, desempenhando o papel de noiva. Ele usaria a missão para obter uma vingança pessoal. Sophia, por sua vez, via naquela viagem a única chance de descobrir o que tinha acontecido com seus pais. Será que haviam morrido como ela acreditara ao longo de todos aqueles anos? Ou, por mais tênue que fosse a possibilidade, estariam vivos e sentindo a sua falta?

Sozinha com Edward num país que lhe provoca tantas lembranças dolorosas, Sophia descobrirá mais que a verdade sobre o seu passado. Descobrirá também que seu coração é voluntarioso e capaz de amar a pessoa mais inadequada.

"Ela conhecia bem demais a fama do conde de gelo para saber que qualquer relação estaria fadada a terminar."

Como eu disse, a história é boa, chega a ser envolvente, pois queremos saber o que se passou com os pais de Sophia, se eles realmente morreram, se foram presos durante a Revolução Francesa, se procuraram por ela... Enfim... Além disso, também queremos ver os protagonistas juntos, queremos que eles percebam que se amam. Todavia, a verdade é que não me convenceram deste amor. Ainda que eu quisesse que eles se amassem não consegui enxergar todo aquele sentimento que me apaixona neste tipo de romance. Eu percebi interesse, química, um certo carinho até, mas o amor, "aquele amor", não. E vocês me conhecem bem o suficiente para saber que quando o casal não me apaixona a história perde a graça para mim.

Ainda assim não vou ser injusta e dizer que me arrependo de lê-la. Nada disso. A história não é desagradável e cheguei a rir e me emocionar um pouco com os protagonistas, embora não por conta do romance entre os dois, mas sim por outros motivos. Sophia me tocou com a falta que sentia dos pais e quando tudo finalmente é revelado a gente sente uma dorzinha no coração por ela. :( Edward também me deixou triste ao falar da perda do irmão e da cunhada e sua sensação de culpa. O admiro por ter ficado com a sobrinha, mesmo não tendo nenhuma experiência como pai. Louise não era uma garotinha fácil e ele poderia ter optado pelo caminho mais simples para si mesmo, mas em vez disso preferiu manter a criança ao seu lado e criá-la como filha.

Também apreciei o carinho que a Louise sentia pela Sophia. Apesar da autora não ter mostrado muito da relação entre as duas é possível perceber a ternura e a identificação. Assim como Sophia, a menina também tinha perdido seus pais muito pequena e acabara sob os cuidados de outra pessoa. Isso causa uma aproximação natural entre elas. E eu gostaria muito de ver mais desta relação.


"Ainda que a razão lhe sussurrasse que não deveria acreditar nisso, o coração... Ah, o coração, esse monstro traiçoeiro! Ele insistia em gritar que algo especial havia surgido entre eles." 

Gostei muito do final. Claro que as coisas tinham que ter seguido aquele caminho, pois é um romance e eu não aceitaria um final diferente. Ainda assim não vou negar que a relação entre Sophia e Edward não me convenceu talvez pelo fato da história ser tão curta e a autora tentar colocar em poucas páginas tantas informações. Porque o livro é mais do que a história de amor entre eles. Têm os dramas familiares de cada um, a tal missão na França, a busca por um inimigo, a perseguição... Que espaço ficou para o tema principal da história? Esta falta de espaço para o desenvolvimento do romance foi que atrapalhou as coisas. Eu via eles se aproximando, tentando se envolver, supostamente se apaixonando, mas as cenas eram tão curtas, não aprofundadas, que não deu. Não foi possível eu acreditar em tanto amor que diziam sentir. Ainda assim, acreditei que existia afeto. Uma ponte forte para o amor que prefiro crer que vai surgir ao longo da relação. E há sim química entre os dois. É um casal que combina e que poderia ter sido melhor explorado pela autora.

Mas esta é minha opinião, claro. Muita gente ama a história com todo seu coração e acredito que cada um deve tirar suas próprias conclusões lendo o livro. :) Eu dei três estrelas porque considerei a história boa. E como ela não me entediou nem nada eu ainda lerei os próximos livros da trilogia.

*Esta foi minha escolha para a categoria ler um romance de época que seja indicação de alguém, do Desafio Romance de Época, criado pela blogueira do Livros Encantos. E como se trata de uma autora brasileira também cumpri o desafio Literatura Nacional.








Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

9 comentários:

  1. Oie,
    A história tem um baita potencial. Uma pena que talvez o sentimento dos protagonistas não tenha chegado até você, complicado quando o livro não consegue passar isso.
    Achei legal, o plano de fundo da Revolução Francesa, gosto quando usam um pouco de realidade

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luna.
    Uma pena que esse livro não tenha sido aquele UAU para você, mas mesmo assim eu fiquei curiosa para saber mais sobre essa história. Gosto de romances de época e vou anotar a dica. Se eu resolver ler mesmo, vou manter minhas expectativas mais baixas e ver no que dá! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Esta capa não me remeteu a um livor de época, mas de cara eu já ia querer ler em função da ambientação da revolução francesa. Achei a história bem consistente e já quero ler.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu li o lançamento da Silvia e me surpreendi com a escrita. Já tinha visto sobre essa leitura e me chamou atenção porque amo romance de época. Como também tem elementos históricos me deixa ainda mais animada para saber sobre os personagens e como a Silvia traz esse olhar sobre os históricos.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu acho que tenho esse livro em e-book, mas ainda não li, mesmo amando romances de época. Que pena que o amor do casal não lhe convenceu, mas pra quem curte histórias menos românticas pode ser interessante.

    ResponderExcluir
  6. Olá Luna!!!
    Uma pena o livro não ter lhe conquistado quando pensamos em livros nesse período. Eu não fui atraída tanto pela história e talvez por isso mesmo passaria a dica, mas quem sabe se eu ver outras opiniões acabo repensando esse meu lado.
    Realmente é uma pena que você tenha notado a cumplicidade dos personagens, mas o relacionamento que era o principal fiou a dever nessa história.
    De todo modo parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Ola!

    Olhando apenas pela capa assim, confesso que não fui remetida a um romance de epoca, se não fosse a sua resenha não teria ideia de que seria um romance nesse estilo. Confesso que não curto livros muito curto justamente por essa sensação e o problema do apego com o personagem. Adorei sua resenha e principalmente a sua sinceridade.

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Não conhecia o livro. E assim como você quando o casal não me ganha parece que o livro perde a graça. E por isso que tenho serios problemas com livros curtos onde a premissa da história é grande por que sinto que tudo passa rápido demais e a história fica meio perdida. É uma pena que o livro não tenha te agradado.

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    ainda não conhecia a obra, mas sua resenha me deixou bastante intrigado e necessito ler com urgência. Os personagens e o enredo é o tipo de leitura que sempre procuro, já anotei a dica.

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo