3 de maio de 2010

Noites de Tortura - Charlotte Lamb

Tempo de leitura:

Seus olhos eram verdes; seus cabelos, loiro-avermelhados. Ela era uma mulher linda, todos os homens se rendiam aos seus encantos. Mas Celina nunca se entregara a qualquer deles. Tinha medo, verdadeiro pavor de sexo. E nem Ashley Dent, que fora por seis meses seu marido, conseguira mudar isso. Agora, ele estava de volta, querendo tentar mais uma vez. Tinha prometido a Celina que a conquistaria aos poucos, para não assustá-la, como se ela fosse uma adolescente. E assim ele começou sua longa e excitante lição de amor. Celina ainda tinha seus pavores, mas era difícil resistir àquele homem experiente, que a deixava louca, torturando-a todas as noites, com suas carícias ardentes...




Uma completa mentira!

Antes de ler esse livro, eu considerava Charlotte Lamb uma escritora mais voltada para histórias com mocinhos carinhosos e não brutamontes...
Mas acho que ela escreve esses dois estilos de livro.


Ashley Dent pode até ter prometido não assustar Celina e entender seu problema. Celina tinha pavor de sexo porque quase havia sido violentada pelo padrasto quando tinha dezesseis anos. Bastava um homem se aproximar dela para ela entar em pânico, começar a chorar e gritar.
Mas Ashley não foi tão compreensivo como prometeu ser e num ataque de fúria agrediu Celina, a violentou e machucou...


Mas o pior de tudo nessa história é que a tola o perdoou e aceitou as agressões recebidas. Agressões físicas!




Tenho que admitir que essa história não é uma das melhores que li e com certeza não irei reler esse livro. Mas para quem gosta desse tipo de "romance", é só ler.

Uma leitora que se envolve profundamente com as histórias que lê, que é apaixonada por músicas, filmes... uma romântica incurável.Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

2 comentários:

  1. Na verdade acho que um casal como Ashley e Celina, precisariam de um bom e longo tratamento psiquiátrico, jamais conseguiriam viver juntos! Ashley tinha um ciúme doentio, era violento, as atitudes contraditórias com certeza uma bipolaridade. Quanto a Celina o trauma das violências físicas e do quase estupro que viveu tbem não se resolveria sozinho sem ajuda profissional. Os atos de violência na estória foram coerentes com o que estava sendo narrado, não era um conto de fadas, acho que a autora quis passar a forma crua da relação doentia dos dois. Se Ashley fosse um homem sadio, ele não agiria como agiu após saber o segredo da esposa, no entanto, ele se tornou mais ciumento e mais agressivo, ou seja, estava se repetindo a estória do padrasto e esse era o temor de Celina!

    ResponderExcluir
  2. Como odeio este livro, Beatriz!

    Sim, concordo que a mocinha precisava de um tratamento psiquiátrico. Mas o suposto mocinho, não. Ele precisava era de cadeia mesmo!

    Eu tive pena da estúpida por aceitar tudo e ainda se considerar culpada! Ela era uma grande imbecil. E jamais conseguiria ser feliz ao lado daquele miserável.

    Quanto a ele... senti verdadeiro ódio! É um canalha, alguém que não sabe sequer o significado da palavra amor!

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo