25 de maio de 2019

Harry Potter e a Ordem da Fênix - J. K. Rowling

Tempo de leitura:
Título Original: Harry Potter and the Order of the Phoenix
Tradutora: Lia Wyler
Editora: Rocco
Edição de: 2003
Páginas: 703

Sinopse: O Ministério da Magia começa a intervir em Hogwarts, não acreditando no retorno de Voldemort propalado por Harry Potter e Alvo Dumbledore. Indicada pelo Ministério como professora de Defesa Contra as Arte das Trevas, Dolores Umbrigde proíbe a matéria para alunos mais novos, o que leva Harry a fundar a Armada Dumbledore, para ensinar seus colegas a se defenderem do lorde e seus Comensais da Morte.
Na batalha Bem versus Mal, Harry vai enfrentar as investidas de Voldemort sem a proteção de Dumbledore, já que o diretor de Hogwarts é afastado da escola. E vai ser sem seu protetor que o jovem herói enfrentará descobertas sobre a personalidade controversa de seu pai, Tiago Potter, e a perda de alguém muito próximo.
Não foi por acaso que J. K. Rowling chegou às lágrimas escrevendo o quinto volume da série, lançado no Brasil em novembro de 2003.


Como vocês sabem esta edição de colecionador não vem com sinopse. Por isso, a sinopse acima é a que está disponível no Skoob. Além disso, eu não li Harry Potter e a Ordem da Fênix nesta edição (que é a que eu tenho), pois estava com medo de danificar o livro já que ele possui mais de 700 páginas e é um exemplar muito frágil. Preferi fazer a leitura no Kindle Unlimited, já que todos os livros da saga estão disponíveis lá, para minha alegria. :)

Quem leu Harry Potter e o Cálice de Fogo, quarto volume desta saga maravilhosa, já estava preparado para enfrentar situações muito difíceis e dolorosas no quinto volume. No livro anterior, se aproveitando do Torneio Tribuxo para atrair Harry Potter e assassiná-lo, Voldemort utilizou um de seus seguidores fiéis para entrar em Hogwarts sem levantar suspeitas e colocar o nome de Harry no Cálice de Fogo, para que ele fosse obrigado a concorrer com os outros campeões. Só que o maldito Lorde das Trevas não tratou apenas de obrigar nosso protagonista a concorrer, mas fez de tudo para que ele ganhasse... pois no momento que Harry colocasse as mãos na Taça Tribuxo eles estariam cara a cara. 


Acontece que, por uma questão de justiça e sem ter ideia de que a Taça Tribuxo tinha sido enfeitiçada por seu maior inimigo, Harry convenceu Cedrico Diggory de que deveriam pegar o prêmio juntos, pois ambos eram vencedores do torneio. Felizes, não imaginavam que a taça os levaria até Voldemort e que Cedrico seria assassinado. 

Chocado e arrasado com a morte de seu amigo, Harry foi obrigado a suportar a dor e lutar pela sua vida contra seu inimigo e os Comensais da Morte, chamados por seu "senhor". É quase por milagre que ele consegue sobreviver e retornar à Hogwarts com o corpo de Cedrico e avisar a Dumbledore sobre a volta do Lorde das Trevas e a reunião dos Comensais da Morte. 

Desesperados, pois seria apenas uma questão de tempo até que ele começasse a atacar as pessoas, tentam alertar o Ministério da Magia, mas o ministro Cornélio Fudge (um baita idiota!) se recusa a acreditar em Dumbledore ou Harry Potter, disposto a negar até o fim o retorno daquele que era o mais temido. Assim, coloca em sua cabeça que Dumbledore está apenas armando para ocupar o seu lugar e decide investir contra o diretor de Hogwarts em vez de acreditar em sua palavra. 

Quando Harry Potter e a Ordem da Fênix começa ainda paira no ar a tristeza profunda pela morte de Cedrico e o medo de que Voldemort tenha mesmo regressado. Já no início do livro, enquanto está de férias na casa de seus tios trouxas, Harry sofre um inexplicável ataque dos Dementadores (guardiões da prisão de Azkaban) sendo obrigado a utilizar magia para conjurar um patrono e se proteger do ataque. Tal acontecimento faz com que a Ordem da Fênix, uma antiga organização criada por Dumbledore para combater Voldemort e seus seguidores durante a primeira guerra contra o vilão (e "ressuscitada" agora para se preparar para uma possível segunda guerra), vá em socorro de Harry e o leve até a sede da ordem, para sua proteção. Todavia, o fato de Harry ter utilizado magia fora da escola é a oportunidade que o Ministério da Magia estava esperando para expulsar o adolescente de Hogwarts e desacreditá-lo por completo. 

Sem entender muito bem o que está acontecendo e temendo o que ainda poderá surgir, Harry busca respostas, mas Dumbledore decide evitá-lo e os demais bruxos pertencentes à ordem preferem considerá-lo novo demais para tomar conhecimento de certos assuntos, embora Sirius Black, padrinho de Harry, esteja de certa forma disposto a lhe contar o que considera necessário. 

Após enfrentar uma assustadora audiência no Ministério da Magia, para provar que só usou magia para salvar sua vida, Harry acaba sendo inocentado, para fúria do ministro e dos seus apoiadores. Com o fim das férias e de volta a Hogwarts, é surpreendido pela indicação de Dolores Umbridge como professora de Defesa contra as Artes das Trevas, uma vez que ela era uma das bruxas presentes em sua audiência. Logo os alunos compreendem que o Ministério da Magia decidiu intervir em Hogwarts, instituindo uma espécie de regime autoritário e passando por cima da autoridade de Dumbledore. Dolores não demora a conseguir que o ministro aprove diversos decretos na intenção de censurar alunos e professores e os impedir de se manifestarem. Foi proibida a reunião de alunos, os estudantes do quinto ano foram impedidos de terem aulas práticas para aprenderem a se proteger contra as artes das trevas, entre outros absurdos. A violação de qualquer decreto ou a manifestação de uma opinião ou verdade que fosse contra o que Dolores desejava que os alunos fizessem ou dissessem, tinha como consequência punições terríveis que podiam ser facilmente consideradas como torturas. 

Com o inferno que se transformou o ano letivo em Hogwarts, Harry pode contar apenas com seus amigos para secretamente organizar a Armada Dumbledore e ensinar os alunos que decidissem se unir a eles a defesa contra as artes das trevas, numa preparação para um futuro confronto com Voldemort. Enquanto isso, o Profeta Diário, a mando do Ministério da Magia, publica diversas calúnias contra Harry e Dumbledore para convencer os demais bruxos de que eles apenas inventaram que o lorde das trevas retornou e que não há qualquer necessidade de pânico. Como se não bastasse, nosso protagonista passa a ter sonhos muito vívidos, como se estivesse na cabeça de seu inimigo... o que provoca o aumento das dores em sua cicatriz. 

Mais do que concluir o ano letivo... os estudantes de Hogwarts precisam enfrentar um grande desafio: o de sobreviver no final. 

Este é o livro mais doloroso da série até agora. :( Eu passei o livro quase todo furiosa e triste, embora existissem alguns momentos de "leveza" para equilibrar um pouco as coisas. O fato do ministro da magia agir de modo tão idiota quando existia uma ameaça tão grande a ser enfrentada me deixou furiosa! Como se não bastasse o ministro ser um grande imbecil, que merecia ser exonerado do cargo por conta de sua burrice, ainda se atreveu a interferir na escola e colocar aquela desgraçada da Dolores lá dentro para infernizar a vida de todo mundo. A mulher é mais do que perversa, ela deve ter algum parentesco com o Voldemort, só pode! Uma víbora que tortura (literalmente tortura!!!) os estudantes e consegue sair impune na maior parte do tempo. O que ela fez com o Harry deixou meu sangue fervendo e eu quis dar um jeito nela com as minhas próprias mãos! 

Amei a resistência da professora Minerva McGonagall, que todo o tempo esteve do lado dos estudantes contra a víbora do ministério. E sua lealdade ao Dumbledore sempre me causa admiração. Ela é um das minhas personagens preferidas da série, mesmo quando age de modo severo. Gosto demais dela!

Severo Snape segue sendo tão intragável quanto nos outros livros, embora determinada cena tenha conseguido me fazer sentir compaixão dele. É duro admitir, mas o pai do Harry e seu "grupinho" ajudaram a criar a pessoa que o Snape é. Tiago Potter não era nenhum anjinho e, na minha opinião, demorou demais para amadurecer e nem deveria ter se casado com a Lílian, mãe do Harry, pois ela era uma pessoa muito melhor que ele e merecia alguém que realmente fosse digno dela. Acredito que o Harry se parece muito mais com sua mãe do que com seu pai. Algo que creio que será provado nos próximos livros. 

Fiquei muito triste pelo Dumbledore. :( Ninguém merece carregar o peso que ele carrega e que se tornou ainda maior por seu amor pelo Harry. Sempre soubemos que ele tem um carinho especial por nosso protagonista, como se Harry fosse seu filho. Todavia, é neste livro aqui que compreendemos o tamanho do sofrimento dele e como suas escolhas foram difíceis. Meu coração se partiu durante uma conversa entre os dois.

"Minha única defesa é que tenho observado você carregar mais pesos do que qualquer outro estudante que já passou por esta escola, e não tive coragem de acrescentar mais um: o maior de todos."

A amizade entre Harry, Rony e Hermione segue me apaixonando, mas agora outros personagens meio que entraram para o grupo.rs Neville me surpreendeu demais! Acredito no potencial deste adolescente e sei que ele ainda vai me impressionar muito! Luna, personagem que me parece que só entrou na série agora (pois não lembro do nome dela ter sido mencionado nos volumes anteriores) também me encantou. Ela parece completamente louca, mas acaba chocando os leitores com sua participação na história e na Armada Dumbledore.rs

Harry suportou muita dor neste livro. :( Teve que encarar revelações chocantes e que mudavam muito do que ele acreditava até então. Todavia, foi um período de grande amadurecimento para nosso protagonista e sei que ele vai conseguir enfrentar o que ainda está por vir. 

Tivemos mortes no quarto livro e neste aqui não foi diferente. Por isso, tenho um certo medo do próximo volume. Sei que terá pelo menos uma morte, pois recebi spoiler de quem perderemos. :( Não estou emocionalmente preparada para isso. 

Com este livro concluí o desafio de março do projeto Mulheres em Foco, criado pelo blog Um Olhar de Estrangeiro. Agora sim estou em dia com o projeto.rs





Leitora apaixonada por romances de época, clássicos e thrillers (não necessariamente nesta ordem). Mãe da gatinha Luana. Filha carinhosa. Irmã dedicada. Amiga para todas as horas. Acredita em Deus. E no poder do amor.

7 comentários:

  1. Sou uma grande fan dos filmes do HP, porém confesso que os livros não me despertam interesse pela leitura. Essa edição de colecionador e realmente lindíssima. Eu dei uma risada ao dizer que resolveu ler em digital a obra, por medo de estragar o livro pelo fato de haver mais de 700 páginas. Bom, fiquei feliz em saber que esta história foi intensa e te proporcionou um turbilhão de emoções como você mesma descreveu!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luna!
    Adorei o livro que você escolheu para ler no Mulheres em Foco no mês de Março, rsrs.
    Não sei se você sabe, mas eu AMO essa série e o quinto livro é um dos meus preferidos, junto com o terceiro e o sexto.
    Tudo o que o Harry passa nesse livro é muito triste. Ele acabou de perder o Cedrico e vai descobrir diversas bombas. Além disso, ainda tem que aguentar o Ministro e a Dolores. Não sei quem é pior.
    Adoro toda a politicagem que tem nesse volume. Mostra como a história está amadurecendo.
    Adorei a sua resenha.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2019/05/resenha-o-muro.html

    ResponderExcluir
  3. Oi Luna!
    Eu assisti os filmes, mas nunca tive a curiosidade em ler os livros, talvez seja porque os filmes já são bem detalhados, fico imaginando a leitura, bom enfim... adorei sua resenha ficou completinha e com gostinho de querer mais kkk, parabéns, obrigado pela dica de leitura, bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    HP é um grande nome entre os livros de fantasia, mas apesar de gostar dos filmes ainda não senti nenhuma vontade de ler os livros e sempre que vejo as indicações acho que estou demorando tempo demais para conhecer a escrita da autora e quem sabe me surpreender com todas as aventuras do bruxinho, Roni e Hermione.
    Gostei do seu olhar sobre essa leitura.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Oi Luna, amei conferir sua opinião sobre esse volume da série. Eu só li os dois primeiros e metade do terceiro por enquanto, preciso continuar a leitura. Pelo seu post, me parece que esse livro trará desafios enormes pro Harry, achei interessante (e obviamente errada) essa forma como tentam impedir que os alunos de Hogwarts se preparem para o que está por vir.

    ResponderExcluir
  6. Ooi,
    Como o Cálice de Fogo é meu livro favorito, quando li a Ordem da Fênix fiquei muito frustrada. Me lembro de uma linguagem mais arrastada e de passar muito tempo na cabeça do Harry. Depois que li de novo, mais velha, percebi a importância narrativa do livro na série, como o que descobrimos nesse volume é relevante pra história inteira. Mas continua sendo o que eu menos gosto ahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Gente eu amo JK Rowling e amo Harry Potter, mas esse livor foi muito chato de ler...rs Harry estava insuportável gente!!!
    Beijos

    ResponderExcluir

Seus comentários são sempre bem-vindos! E são muito importantes para o blog!

Todavia, observe que:

1- comentários feitos apenas para divulgação de sorteios ou coisas parecidas não serão publicados;

2- comentários ofensivos serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog basta mandar um e-mail para contato@emocoesaflordapele.com e eu responderei o mais rápido possível.

Topo